DTM
08/05/2016 13:35

Di Resta faz largada perfeita, dá sorte com punição a Paffett e vence corrida 2 do DTM em Hockenheim. Farfus é 3º

Paul Di Resta fez uma grande largada na segunda corrida do final de semana de abertura da temporada 2016 do DTM em Hockenheim. Fugiu e provavelmente venceria sem problemas não fosse por um erro de pit-stop, mas o único que o ameaçava mesmo depois disso, Gary Paffett, acabou punido por um erro de sua equipe e abriu o caminho para a vitória do escocês
Warm Up
PEDRO HENRIQUE MARUM, do Rio de Janeiro

Uma largada especial de Paul di Resta é o que vai marcar sua primeira vitória na temporada 2016 do DTM, na manhã deste domingo das mamães (8), em Hockenheim. O escocês ex-F1 deixou que Augusto Farfus e os membros da segunda fila brigassem entre eles e fugiu. Não fosse um erro da equipe no pit-stop, provavelmente venceria sem problemas. Mesmo assim, a ameaça que sofreu de Gary Paffett não durou mais que duas voltas. Sem o inglês no caminho, Di Resta atropelou e ganhou por mais de 13s.

O único momento de sobressalto da corrida para Di Resta foi um que fugiu ao seu controle. Quando parou nos boxes, algum problema fez com que seu pit-stop durasse mais de 3s2 que o do então segundo colocado, Paffett. Só voltou na frente do rival porque Miguel Molina, ainda sem parar, o atrasou. Mesmo assim, quando Paffett atacou e deixou Molina para trás, foi à caça. Até receber um drive-through por liberação insegura. Culpa também de seu time, que quase promoveu uma batida no pit-lane entre ele e Robert Wickens.
Briga do estreante Esteban Ocon com Jamie Green (Foto: DTM)
Daí em diante, Di Resta caminhou sozinho. O segundo lugar ficou com Timo Glock, que foi subindo no quadro aos poucos e passou Farfus nas últimas voltas. Apesar da boa prova do também ex-F1, se viu sem qualquer chance, tempo ou ritmo de almejar a vitória. Farfus largou em segundo, caiu para quarto, passou Maxime Martin, herdou a posição de Paffett e parecia garantido no segundo posto até a chegada de Glock. Mas fecha o pódio - aliás, duas BMW no top-3 depois do desastre que foi a corrida 1.

Martin ficou com o quarto lugar, mas Paffett merece um capítulo à parte na prova. Foi o quinto, mas era o único com ritmo comparável a Di Resta e tinha boas chances de sair de Hockenheim com uma vitória não fosse a punição sofrida. Caiu para a nona colocação após o drive-through, mas foi passando um a um: Nico Müller, Martin Tomczyk, Tom Blomqvist e Wickens. O quinto lugar pode ser amargo, mas ressalta a ótima corrida que fez.
 
Wickens, Blomqvist, Müller, Marco Wittmann e Tomczyk fecham o top-10. Di Resta fecha o final de semana como líder do campeonato com 37 pontos, 11 à frente de Wickens e 12 de Edoardo Mortara.
 
O DTM volta agora no final de semana dos dias 20-22 de maio direto do Red Bull Ring, na Áustria.

Confira como foi a corrida 2 em Hockenheim:

Paul Di Resta ia começar a corrida já com a grande expectativa sobre seus procedimentos de largada. Nos últimos temos, a partida tem sido extremamente definitiva. Ontem, por exemplo, Edoardo Mortara mergulhou vindo do segundo lugar e não perdeu mais a posição.
 
E, se fosse esse o caso, Di Resta foi muito bem. Enquanto Augusto Farfus precisava se preocupar com o que acontecia atrás dele, o escocês fugiu muito bem. Grande largada, um foguete, e Di Resta sumiu fácil na primeira colocação. Farfus patinou, Gary Paffett e Maxime Martin o atacaram. Faltou pista, mas Martin e Paffett saíram em segundo e terceiro.
 
No bloco classe média, Bruno Spengler levou a pior num toque com Jamie Green e Esteban Ocon, rodou e precisou abandonar. No rádio, ficou revoltado. Disse que Ocon é "o piloto mais idiota" que já conheceu. Em seguida, falando já no pit-lane, pediu desculpas ao novato pela declaração. Mas, enfim, safety-car chamado. Green e Ocon também não conseguiram continuar.
 
Demorou quatro voltas até que a bandeira verde retornasse ao jogo. Na frente, Paffett passava Martin pelo segundo lugar. Mas a briga mais divertida estava atrás, pelo 13º lugar, com Maximilian Götz forçando para uma bela passada em Mike Rockenfeller. Mortara também passou Rockenfeller em seguida.
 
Foi apenas na nona volta que Farfus recuperou uma das duas colocações que perdera na largada quando atrasou a freada no hairpin e deixou o carro rosado de Martin para trás. O ritmo de ambos, no entanto, era distante do apresentado por Di Resta e Paffett.
 
A corrida de António Félix da Costa acabou na 16ª volta. Depois de largar no top-10, o português tinha o carro da BMW danificado pelo ataque às zebras. Após ser passado por Lucas Auer e cair para o 17º lugar, preferiu carregar o carro de volta aos boxes e encerrar o dia.
O campeão de 2014 Marco Wittmann (Foto: DTM)
A janela de paradas nos boxes começou na volta 12. Paffett quase ficou muito atrapalhado ao tocar Robert Wickens enquanto saía do pit-lane, mas acabou se dando bem num primeiro momento. Isso porque o pit de Di Resta teve problemas e acabou 3s2 mais lento. Quando o ex-Force India voltou, estava ligeiramente à frente de Miguel Molina - ainda sem parar - e Paffett. Foi a sorte, porque Gary era bem mais rápido e logo passou o espanhol.
 
Só que quando Paffett ia começar a caça a Di Resta, eis que chegou uma punição. Liberação insegura dos boxes, acabando com as chances do veterano de vencer a corrida. E Di Resta ficou cheio da liberdade novamente.
 
Lá atrás, agora tentando fazer pontos depois do drive-through, Paffett passou Nico Müller pelo oitavo lugar. E Molina, tentando entrar nos boxes, mas com os pneus extremamente desgastados, rodou na entrada do pit-lane. Com 25 voltas completadas, o top-10 era: Di Resta, Farfus, Timo Glock, Martin, Tom Blomqvist, Martin Tomczyk, Paffett, Müller e Marco Wittmann.

Paffett era um homem em missão. Logo passou Tomczyk e Blomqvist pelo sétimo e sexto lugar, respectivamente. Enquanto isso, o safety-car tinha de voltar à pista por conta de mais uma batida de Daniel Juncadella.
 
Depois, nas três voltas finais e bandeira verde, a única mudança de posição no top-10 aconteceu quando Tomczyk escapou da pista na entrada do Estádio, caindo para a décima colocação - Müller já havia passado e Wittmann foi quem o deixou para trás agora. Ainda conseguiu ser o décimo.

O top-10 ficou com Di Resta, Glock, Farfus, Martin, Paffett, Wickens, Blomqvist, Müller, Wittmann e Tomczyk.

DTM, Hockenheim, Corrida 2:

1 PAUL DI RESTA ESC Mercedes HWA 1:01:42.654 37 voltas
2 TIMO GLOCK ALE BMW MTEK +13.024  
3 AUGUSTO FARFUS BRA BMW MTEK +13.905  
4 MAXIME MARTIN BEL BMW RBM +14.493  
5 GARY PAFFETT ING Mercedes ART +15.055  
6 ROBERT WICKENS CAN Mercedes HWA +19.377  
7 TOM BLOMQVIST ING BMW RBM +21.690  
8 NICO MÜLLER SUI Audi Abt +22.220  
9 MARCO WITTMANN ALE BMW RMG +23.790  
10 MARTIN TOMCZYK ALE BMW Schnitzer +24.454  
11 MIKE ROCKENFELLER ALE Audi Phoenix +31.303  
12 EDOARDO MORTARA ITA Audi Abt +50.053  
13 MAXIMILIAN GÖTZ ALE Mercedes HWA +56.722  
14 ADRIEN TAMBAY FRA Audi Rosberg 1:02.408  
15 CHRISTIAN VIETORIS ALE Mercedes Mücke +1.05.985  
16 LUCAS AUER AUT Mercedes ART +2 voltas  
17 DANIEL JUNCADELLA ESP Mercedes HWA +8 voltas  
18 MIGUEL MOLINA ESP Abt Audi   NC
19 TIMO SCHEIDER ALE Audi Phoenix   NC
20 MATTIAS EKSTRÖM SUE Audi Abt   NC
21 ANTÓNIO FÉLIX DA COSTA POR BMW Schnitzer   NC
22 BRUNO SPENGLER CAN BMW MTEK   NC
23 ESTEBAN OCON FRA Mercedes ART   NC
24 JAMIE GREEN ING Audi Rosberg   NC

PADDOCK GP #27 RELEMBRA COBERTURA DA MORTE DE AYRTON SENNA


Últimas Notícias
sábado, 25 de março de 2017
Nascar
MotoGP
MotoGP
MotoGP
MotoGP
MotoGP
MotoGP
MotoGP
MotoGP
MotoGP
F1
F1
MotoGP
Nascar
F1
Galerias de Imagens
Facebook