Endurance
12/01/2017 10:44

Estabelecida no WEC, Manor anuncia planos de ingressar na LMP1 a partir de 2018 com chassis da Ginetta

Enquanto a irmã na F1 briga para manter sua existência, a Manor do WEC quer alçar voos maiores: a LMP1 a partir da temporada 2018. A equipe de John Booth e Graeme Lowdon segue na LMP2 por mais um ano para, se tudo der certo, entrar na P1 com carros da Ginetta daqui a um ano
Warm Up
Redação GP, do Rio de Janeiro
 

Enquanto na F1 a Manor vive mais uma cruzada para seguir existindo, no WEC a equipe inglesa dá passos maiores e tem planos de entrar na competição da classe LMP1 na temporada 2018. O ingresso da Manor na classe mais tradicional do endurance mundial será com os carros da Ginetta, que comunicou sua entrada na categoria há alguns dias.
 
A Manor é, desta forma, a primeira equipe a informar seu interesse para utilizar o chassi da Ginetta. No WEC desde 2016 na classe LMP2 - algo que repetirá neste ano -, a Manor está confiante que mudar de patamar é a escolha correta. Quem afirmou foi o chefe Graeme Lowdon.
 
"Com o que está acontecendo na LMP1 no momento, acreditamos que 2018 pode ser a hora certa para ingressar como uma equipe privada. Temos falado com a Ginetta por algum tempo, e acho que o programa da P1 vai jogar com nossas maiores forças enquanto grupo que já fez os próprios carros de F1", disse em entrevista ára a revista inglesa 'Autosport'.
 
Apesar da intenção de entrar na P1, porém, Lowdon sublinha que a concretização depende da parte financeira andar de acordo com o traçado. "[Depende de] fazer o modelo de negócios da P1 funcionar. Como sempre, é pendente das finanças, mas se não começarmos a trabalhar nos planos agora, não vai acontecer", seguiu.
A Ginetta está entrando no WEC (Ilustração: Divulgação)
Embora uma parceria com a Ginetta esteja nos planos, em 2016 a Manor segue na LMP2 com chassis da ORECA. Ainda mais do que isso: passa dos defasados chassis 05 para os atualizados 07 da construtora francesa. "Vemos a P1 como uma adição, não uma alternativa. Estamos comprometidos com a LMP2 e é nosso maior foco para 2017 no momento", encerrou Graeme.
 
A Manor espera manter os dois carros com que competiu no campeonato de 2016 para 2017, tentando agora dar um salto de resultados após marcar apenas 29 tentos e ficar com o décimo e último lugar da P2 no ano que passou.

É importante ressaltar que a Manor do WEC nada tem a ver com a atualmente operando na F1 - e que vive um novo drama financeiro. Booth e Lowdon, fundadores da Manor, eram os diretores da antiga Marussia e carregaram o nome consigo para uma nova operação.


Últimas Notícias
quarta-feira, 18 de outubro de 2017
MotoGP
F1
Copa Grande Prêmio
Stock Car
F1
F1
Outras
Indy
F1
F1
Copa Grande Prêmio
Indy
Stock Car
F3
F1
Galerias de Imagens
Facebook