Endurance
04/01/2017 13:36

Ginetta revela projeto para entrar no Mundial de Endurance com carro de LMP1 na temporada 2018

A Ginetta vai desenvolver um chassi para o LMP1, expandindo sua participação no mundo dos protótipos. Para isso, os britânicos convocaram Adrian Reynard, fundador da Reynard, uma das maiores desenvolvedoras de carros dos anos 1990
Warm Up
Redação GP, de Porto Alegre

A classe LMP1 do Mundial de Endurance vai ganhar uma nova força na temporada 2018. A Ginetta, tradicional fábrica britânica de carros, anunciou nesta quarta-feira (4) que vai desenvolver um chassi para a categoria. A montadora ficou animada com o novo regulamento técnico do WEC, com duração prevista de cinco anos, e quer aproveitar a oportunidade para se desenvolver dentro do mundo do endurance.
 
Ao anunciar a novidade, a Ginetta destacou sua participação no mundo dos protótipos. A marca desenvolveu carros de LMP2 recentemente, mas passou a focar apenas no LMP3, que não faz parte do WEC. Agora também no LMP1, os britânicos se orgulham do tamanho do envolvimento no automobilismo.
 
“Agora estamos oferecendo uma verdadeira escada para nosso clientes, desde as primeiras corridas até Le Mans. Isso me deixa incrivelmente animado”, disse Lawrence Tomlinson, presidente da Ginetta.
 
A marca, todavia, não terá equipe própria no Mundial de Endurance. A Ginetta só vai fornecer carros para inscrições privadas do LMP1.
A Ginetta está entrando no WEC (Ilustração: Divulgação)
A Ginetta também anunciou a participação de Adrian Reynard no projeto, assumindo a condição de chefe de aerodinâmica. Adrian fundou a Reynard, que forneceu chassis para a CART entre 1994 e 2001. A marca também ficou conhecida pelo envolvimento com a BAR no final da década de 1990.
 
Além de Reynard, a Ginetta também destaca a participação de Paolo Catone, muito importante na participação da Peugeot no WEC.
Últimas Notícias
sábado, 29 de abril de 2017
F1
F1
F1
F1
F1
F1
F1
F1
F1
F1
F1
F1
Superbike
F1
F1
Galerias de Imagens
Facebook