Endurance
06/11/2016 09:57

Webber/Hartley/Bernhard domina rivais e vence em Xangai. Di Grassi tem problemas e sai da briga pelo título do WEC

O trio atual campeão mundial da Porsche, formado por Mark Webber, Brendon Hartley e Timo Bernhard, venceu com facilidade e mais de 59s de vantagem as 6 Horas de Xangai deste domingo (6). Com os problemas de reabastecimento da Audi, Lucas Di Grassi não pode mais ser campeão mundial. Assim como Bruno Senna, que viu suas chances na LMP2 acabarem com o quarto lugar do Signatech Alpine #36, de Gustavo Menezes, Nicolas Lapierre e Stéphane Richelmi, que confirmou a conquista
Warm Up
Redação GP, do Rio de Janeiro

Mark Webber não vai se aposentar com o bicampeonato do WEC, mas será uma cavalgada em direção ao pôr do sol em grande nível. O trio #1 da Porsche, que começou a temporada com dificuldades, venceu pela quarta vez nas últimas cinco etapas na madrugada deste domingo (6), em Xangai. E com grande estilo: incomum em provas de grande duração, o trio dominou toda a corrida. 
 
Quem largou e guiou na primeira parte da prova foi Brendon Hartley, que disparou e entregou para Timo Bernhard já com uma confortável liderança em relação ao Porsche #2. No final, Webber assumiu e ainda abriu mais para o então segundo colocado, Marc Lieb. 
 
Até a última sequência de pit-stops, parecia uma certa dobradinha da Porsche. Mas uma parada bem sucedida da Toyota resolveu mudar a estratégia e colocou seus dois trios à frente. O composto por Kamui Kobayashi, Stéphane Sarrazin e Mike Conway ficou no segundo lugar, enquanto Sébastien Buemi, Anthony Davidson e Kazuki Nakajima fizeram o terceiro posto. O Porsche #2 foi o quarto a chegar. 
 
Já a Audi, na primeira etapa do WEC desde o anúncio da saída ao final do ano, viveu uma corrida com nenhum de seus protótipos próximos às rivais. Lucas Di Grassi ocupava a segunda posição no primeiro stint da prova, mas um problema no reabastecimento do carro #8 deu o início às dificuldades que terminaram por distanciá-lo do pelotão. Por fim, uma batida de Oliver Jarvis com o Audi #7 - que esteve distante desde o começo - então guiado por Benoît Tréluyer, acabou tirando o protótipo de perto dos Toyota.
Comemoração da Porsche com a vitória do trio Webber, Hartley e Bernhard (Foto: WEC)
Entre as equipes privadas, a ByKolles levou a melhor com Pierre Kaffer, Oliver Webb e Simon Trummer. 
 
A G-Drive, com Will Stevens, Alex Brundle e Roman Rusinov, venceu na classe LMP2, mas a maior comemoração ficou com o trio formado por Nicolas Lapierre, Stéphane Richelmi e Gustavo Menezes. Com o quarto posto, o time da Signatech Alpine assegurou o título mundial.
 
Andy Priaulx e Harry Tincknell garantiram mais uma vitória para o Ford GT no que foi uma dobradinha da Ganassi na GTE-Pro, com Stefan Mücke e Oliver Pla no segundo lugar após um pneu furado. E na GTE-AM, mais uma vitória - a quinta - da Aston Martin com Pedro Lamy, Mathias Lauda e Paul Dalla Lana. 
Os campeões da LMP2 (Foto: WEC)
Com 152 pontos, o trio #2 da Porsche lidera o campeonato com 17 tentos de vantagem para o Kobayashi/Conway/Sarrazin, únicos capazes de desbancar o bicampeonato da Porsche. Na GT-Pro, Nicki Thiim e Marco Sorensen, da Aston Martin, têm 12 pontos de frente para Davide Rigon e Sam Bird, da AF Corse, e 21 para as duplas Mücke e Pla, da Ganassi, e Gianmaria Bruni e James Calado, também da AF Corse. Por fim, na GTE-Am, Emmanuel Collard, François Perrodo e Rui Águas, da AF Corse, chegam ao final de temporada com 22 tentos de vantagem para Lauda, Dalla Lana e Lamy, da Aston Martin.
 
A temporada termina com as 6 Horas do Bahrein, em Sakhir, 19 de novembro.

Últimas Notícias
sábado, 25 de fevereiro de 2017
F1
F1
F1
F1
F1
F1
MotoGP
F1
Nascar
F1
F1
Superbike
F1
F1
F1
Galerias de Imagens
Facebook