F-E
21/11/2016 13:32

Chefe exalta eP de Marrakech “perfeito” da Renault e.dams e garante: “Buemi teria engolido Vergne mesmo sem punição”

O chefe da Renault e.dams, Jean-Paul Driot, saiu de Marrakech na semana passada com a certeza de que a equipe fez tudo certo. Isso, combinado com uma grande pilotagem de Sébastien Buemi, culminou na segunda vitória em duas corridas na temporada. Para Driot, Buemi venceria no Marrocos ainda que seu grande rival na luta pela vitória, Jean-Éric Vergne, não tivesse sofrido uma punição que acabou com suas chances
Warm Up
Redação GP, do Rio de Janeiro
 

O começo de temporada avassalador de Sébastien Buemi na F-E é impressionante até para o chefe da Renault e.dams, Jean-Paul Driot. Com um grid do campeonato elétrico cada vez mais próximo, a expectativa não era abrir de tal jeito na liderança - são 22 pontos - após duas corridas, mas Buemi, de forma implacável, anima a equipe francesa.
 
A vitória no eP de Marrakech foi do tipo que deixou todo o time se sentindo bem. Isso porque Buemi largou na sétima colocação e mesmo assim ganhou com certa facilidade. Driot avaliou a forma como a equipe trabalhou melhor que os rivais com o consumo de energia, ajudando na estratégia de Buemi de retardar em uma volta a troca de carros e ter condição de despejar a potência no segundo stint.
 
O chefe ainda garante: ainda que Jean-Éric Vergne não tivesse saído da frente por punição, Buemi o teria alcançado e passado e venceria a corrida de qualquer forma.
 
"Tínhamos uma estratégia clara com sempre 5 ou 6% de consumo de energia melhor que Vergne e Rosenqvist, então sabíamos que uma volta extra seria boa configuração para nós. Vimos que tudo funcionou. Também teríamos engolido Vergne ao fim se ele não tivesse tido problemas. Executamos uma corrida perfeita", disse ao site norte-americano 'Motorsport.com'. 
A conversa de Jean-Paul Driot com Buemi e Duval (Foto: F-E)
"Conseguir esses pontos cedo é muito importante na temporada, porque os times estão mais próximos agora. Não é só a Audi como ano passado. Equipes como Mahindra e Virgin DS melhoraram muito, ainda tem a Techeetah, então pegar o máximo de pontos é crucial. Sempre sou conservador porque nem sempre sabemos o que as corridas trazem. Vimos ano passado como as coisas mudam na F-E", seguiu. 
 
"Normalmente a Audi é melhor do que mostrou neste final de semana. Tiveram problemas, não sei o que foram e não me importo, porque eles são fortes e continuarão sendo. Precisamos seguir focados e não dormir no ponto", afirmou.
 
Sem reclamação, Driot abordou a punição que Buemi sofreu após o treino classificatório. Por estar abaixo do peso mínimo, o suíço foi empurrado cinco posição para baixo do que havia conquistado. Assim, em vez de sair na primeira fila, em segundo lugar, foi sétimo.
 
"Acho que durante a classificação passamos por uma zebra que soltou alguns fios e o extintor soltou. O grande problema é que é abaixo do assento do piloto e não há como indicar se está lá ou uma luz para mostrar se está vazio. Foi checado antes e mostramos para os comissários, estava tudo bem, então eu acredito que tenha soltado", falou. 
 
"Não há ganho, porque usamos um lastro, já que ficamos abaixo do limite sem o lastro. Mas em questão de segurança, foi uma quebra do regulamento, e os comissários entenderam que não estávamos trapaceando. Foi fora do nosso controle", encerrou.
 
A F-E volta apenas em fevereiro, direto de Puerto Madero, em Buenos Aires.


Últimas Notícias
quarta-feira, 28 de junho de 2017
Indy
F1
F1
Truck
F1
F1
F1
Stock Car
Rali
Superbike
Copa GP de Kart
F1
MotoGP
F1
F1
Galerias de Imagens
Facebook