F-E
07/12/2015 17:48

Com Tempelhof cedido para refugiados, F-E na Alemanha deve ter nova casa e coloca Norisring como uma das favoritas

O aeroporto de Tempelhof está sendo usado como morada de mais de 800 refugiados vindos do Oriente Médio por conta da crise especialmente na Síria, e portanto não deverá ser usado como casa o eP alemão em 2015. Norisring, Berlim e Munique estão sendo discutidas pelo diretor-geral Alejandro Agag
Warm Up
Redação GP, do Rio de Janeiro
Enquanto o lugar onde a F-E vai correr em 2016 em Londres ainda está para decisão local, a prova da Alemanha agora vai precisar achar sua nova casa. O aeroporto Berlim-Tempelhof não vai sediar a corrida da segunda temporada, e a categoria considera o circuito de rua de Norisring como um dos possíveis substitutos.
 
A informação de que o aeroporto não vai estar na segunda temporada do campeonato é da revista inglesa 'Autosport'. O Tempelhof está envolvido ativamente na crise dos refugiados. Desativadas, as instalações foram cedidas como abrigo de cerca de 800 refugiados - o número pode chegar a 1200 - vindos de áreas de conflito no Oriente Médio, sobretudo da Síria. Com o local ocupado, a F-E não vai poder se utilizar do aeroporto.
 
Embora ainda não confirme a informação, o diretor-geral da Formula E Holdings, Alejandro Agag, já fala em achar outro local. Segundo ele, a Alemanha é um mercado importante da qual a F-E não vai abrir mão. Agag colocou o tradicional circuito de rua de Norisring, em Nuremberg, como um dos candidatos, assim como locais ainda não divulgados para manter a corrida em Berlim ou ir a Munique.
Aeroporto Tempelhof (Foto: Andberlin)
"Eu estou procurando para valer por outras pistas, meu time está procurando na Alemanha. Norisring seria bem legal, é um lugar ótimo para corridas. Isso é legal, é como correr em Mônaco ou Long Beach. Traz muita herança. Somos fanáticos pelo automobilismo aqui e sabemos o valor de herança e história. É tudo no esporte a motor", disse Agag.
 
"É uma opção. Mas Berlim é uma opção e Munique também. Temos conversas diferentes neste momento", afirmou.
 
"A Alemanha é extremamente importante. Temos parceiros daqui, times também, mas também temos uma indústria automobilística alemã que é muito importante e ambientalmente muito avançada. É um mercado chave", seguiu.
 
Apesar do tempo curto, Agag não vê a logística como problema para ir até outro lugar na Alemanha. Não custa lembrar que a F-E viveu algo parecido na temporada inicial, quando o eP de Moscou foi confirmado apenas quatro meses antes da execução.
 
"Temos todo o conhecimento de Berlim, então se tivermos de correr em Munique ou Berlim já conhecemos o caminho. Em Norisring, eles têm o próprio caminho, porque já tem a pista", encerrou.
 
A próxima etapa da F-E acontece no próximo dia 19 de dezembro, em Punta del Este.
 

E se os carros de F1 forem como este que a McLaren desenhou?http://grandepremio.uol.com.br/f1/noticias/video-mclaren-apresenta-visao-de-f1-do-futuro-com-revolucionario-modelo-conceitual-mp4-x

Posted by Grande Prêmio on Quinta, 3 de dezembro de 2015
PADDOCK GP EDIÇÃO #9: ASSISTA JÁ



Últimas Notícias
sexta-feira, 26 de maio de 2017
Indy
Nascar
Indy
MotoGP
F1
Indy
MotoGP
Indy
F2
F1
MotoGP
Superbike
MotoGP
F1
F1
Galerias de Imagens
Facebook