F-E
01/04/2017 20:00

Di Grassi larga em 15º, cai para último e ainda vence eP da Cidade do México digno de 1º de abril

O eP da Cidade do México deste sábado (1) realmente parecia corrida do Dia da Mentira. Lucas Di Grassi era o lanterna lá pela metade, adotando uma estratégia que parecia insana. E deu muito certo. É a primeira vitória de Di Grassi, enquanto Buemi fica fora da zona de pontos. A disputa pelo campeonato começou
Warm Up
PEDRO HENRIQUE MARUM, do Rio de Janeiro
 

Sébastien Buemi não venceu, e isso por si só é notícia. Mas a forma como o eP da Cidade do México deste sábado (1) se desenhou foi perto do incrível. Lucas Di Grassi largou em 15º, sofreu acidente na largada e foi aos boxes para trocar o carro com 27 voltas restantes para o final. Era uma estratégia arriscada, contando com interrupções para mantê-lo no jogo da bateria. Jérôme D'Ambrosio, aliás, fez o mesmo. Deu muito, muito certo para o brasileiro. Di Grassi fatura uma vitória para os livros da história da categoria. 

Se um ano atrás a vitória dele no México foi negada, agora ela foi reposta da forma mais dramática possível - claro, salvo um novo problema encontrado na inspeção da FIA. E quase que novamente com D'Ambrosio na segunda colocação. Lucas foi mal na classificação, largou em 15º apenas por punições alheias quando teria de partir de 18º. Na largada, foi achado por Stéphane Sarrazin e perdeu a asa traseira. Após 17 voltas, já havia entrado nos boxes duas vezes e trocado de carro. Era o último entre os 19 carros ainda na pista. 
 
A estratégia foi contar com mais safety-car, além daqueles chamados após a largada e o abandono de Oliver Turvey. D'Ambrosio fez o mesmo que Lucas, mas uma volta depois - não deu tão certo para ele, que teve de lidar com pressão. Mas o primeiro colocado até as trocas de carros, José María López, que tinha chances altas de vencer, se precipitou no ataque ao belga e saiu da pista, vendo findarem suas chances da primeira vitória ou pódio na F-E.

E quem fez exatamente a mesma coisa, o mesmo erro que López? Buemi, que reclamava do carro e já havia caído para o décimo lugar após a parada nos boxes. O erro custou a chance de pontuar, e o campeonato agora vê uma briga. Se antes eram 29 pontos, agora são somente cinco que separam Buemi e Di Grassi.
Lucas Di Grassi (Foto: Audi ABT)
Vergne se deu bem com o fim da bateria de D'Ambrosio. O belga terminou apenas no 13º lugar, enquanto o francês colocou novamente a novata Techeetah no pódio. Quem completou, no terceiro posto, o correto Sam Bird. Mitch Evans colocou a Jaguar no quarto lugar, com Nicolas Prost, López, Daniel Abt, Adam Carroll, Nelsinho Piquet e o estreante Esteban Gutiérrez indo aos pontos. 
 
A Mahindra tinha tudo para marcar 22 pontos - P4 e P5 -, mas Nick Heidfeld e Felix Rosenqvist se encontraram na pista a três voltas do fim e terminaram zerados. Com total honestidade, Heidfeld foi acertado por Prost, perdeu a direção e foi parar na frente do companheiro. Uma manobra que será investigada pela direção de prova. 

Confira como foi o eP da Cidade do México:

A nova primeira curva do traçado do eP da Cidade do México foi tão caótica quanto era esperado na largada. Enquanto Oliver Turvey, o pole-position por herança após a punição de Daniel Abt, pulou para a frente para não ter que disputar a ponta, José María López, tentando enfim uma boa corrida, seguiu no segundo posto. Nick Heidfeld deu o pulo e tomou o P3 de Jean-Éric Vergne.
 
Lá atrás, porém, a confusão foi completa. Stéphane Sarrazin não fez a curva e encheu o bico na asa traseira de Lucas Di Grassi. A Audi ABT do brasileiro, por sua vez, tocou Nicolas Prost. Sarrazin e Di Grassi foram direto para os boxes, e a direção de prova chamou o safety-car. Prost, na sequência, recebeu bandeira preta com disco laranja que o obrigava a ir ao pit-lane também. António Félix da Costa se enrolou no final da primeira volta, passou direto na curva, mas não causou maiores problemas.

Os pilotos que foram aos boxes deram sorte com o safety-car e conseguiram voltar ainda na volta do líder. A bandeira verde só chegou ao final do quinto giro, com bem menos movimentação e López tentando encostar no líder Turvey.

Assim que as coisas normalizaram, Buemi fez a primeira ultrapassagem: Felix Rosenqvist, a vítima. Mais atrás, o estreante Esteban Gutiérrez ficava pelo caminho com ultrapassagem de Félix da Costa. Assim como o português passou, muita gente passou Gutiérrez: Robin Frijns, Prost, Abt, Jérôme D'Ambrosio, Loïc Duval e Nelsinho Piquet. O FanBoost ficou com Di Grassi, Abt e Buemi.
 
Após 12 voltas, Buemi não se aproximava tão rápido quanto o esperado de Sam Bird. Lá na frente, Turvey e López abriam 2s5 para o terceiro colocado, Heidfeld. Até que Turvey foi ficando lento, mais lento e incrivelmente lento. López passou, assumiu a liderança, e o aniversariante do dia foi parando na pista. A China NextEV mandou reiniciar o carro, mas não adiantou. Era o fim da chance do inglês alcançar a primeira vitória na F-E. Segundo a equipe, uma questão na bateria.

Antes que a direção de prova chamasse o safety-car para que os fiscais retirassem da pista o carro de Turvey, Abt fez uma bela ultrapassagem em Prost pela 12ª colocação. E mesmo com o safety-car, as duas Dragon se tocaram para voar um pedaço do carro de D'Ambrosio.
 
Enquanto a corrida estava parada, Di Grassi e D'Ambrosio trocaram o carro. Era a tentativa do pulo do gato, já que a fila estava junta. Mas Lucas precisaria segurar 27 voltas, enquanto Jérôme segurava 26. Os dois certamente iriam para frente do pelotão no momento das trocas gerais do carro, mas a economia de bateria deixaria que ambos andassem o bastante para vencer? Era essa a questão.
 
A relargada chegou na 20ª volta. Para voltar a abrir na liderança, López imprimiu um ritmo fortíssimo para somar algum tempo liderança antes de parar para trocar os carros. Vergne parou no final da volta 25, mas quase todos os pilotos foram na 26. E um dos dois que resolveram ficar na pista, Duval, também teve problemas e ficou parado na pista. Bandeira amarela na volta 27. E safety-car no giro seguinte.
 
Desta forma, Di Grassi abriu a 28ª volta 32s à frente do terceiro colocado, Pechito López. Buemi não se deu bem, voltou apenas na décima colocação e reclamando no rádio da Renault e.dams que o carro estava ruim. Neste momento, Lucas tinha 63% de bateria restante contra 90% de López.

Relargada na volta 31. Em vez de López partir para cima de D'Ambrosio, foi Vergne quem mergulhou e chegou a empurrar a DS Virgin de López, mas sem conseguiu passar. Em seguida, na chicane final, tentou de novo, obrigando López a cortar a curva.
 
Bird atacou Félix da Costa pela quinto lugar, e a travada na reta fez a Andretti do português parar. Nova bandeira amarela, que cada vez mais aumentava a esperança de que Di Grassi e D'Ambrosio pudessem conseguir manter seus carros à frente do pelotão.
 
E López, se esforçando para passar os dois líderes na base da estratégia, atacou D'Ambrosio e perdeu o carro na área de escape. Heidfeld sacudiu, provavelmente por conta do susto, e Buemi fez exatamente o mesmo que Pechito. O líder do campeonato caiu para o 17º lugar, enquanto López voltava em 11º.

Conforme o final se aproximava, estava na cara que Di Grassi tinha bateria o suficiente. D'Ambrosio, por conta da defesa de posição, estava em situação mais complicada. No fim, precisou diminuir a velocidade e acabou caindo fora da zona de pontuação.

Lucas manteve a ponta e, na volta 42, mais um safety-car chamado. Prost tocou Heidfeld, fez o alemão perder o controle e acertar o companheiro de Mahindra, Rosenqvist. Não tinha mais o que fazer: Di Grassi conseguiu a virada incrível e vencer a prova que pareceu uma completa mentira desde o começo. Vergne e Bird completaram o pódio.

F-E, eP da Cidade do México, Classificação Final:

1 LUCAS DI GRASSI BRA AUDI ABT 45 voltas  
2 JEAN-ÉRIC VERGNE FRA TECHEETAH +1.966  
3 SAM BIRD ING VIRGIN +5.480  
4 MITCH EVANS NZL JAGUAR +9.770  
5 NICOLAS PROST FRA E.DAMS +9.956  
6 JOSÉ MARÍA LÓPEZ ARG VIRGIN +10.631  
7 DANIEL ABT ALE AUDI ABT +11.694  
8 ADAM CARROLL IRN JAGUAR +13.722  
9 NELSINHO PIQUET BRA CHINA +14.156  
10 ESTEBAN GUTIÉRREZ MEX TECHEETAH +15.717  
11 ROBIN FRIJNS HOL ANDRETTI +21.459  
12 NICK HEIDFELD ALE MAHINDRA +27.232  
13 JÉRÔME D'AMBROSIO BEL DRAGON +32.646  
14 SÉBASTIEN BUEMI SUI E.DAMS +1:01.365  
15 STÉPHANE SARRAZIN FRA VENTURI +1 volta  
16 FELIX ROSENQVIST SUE MAHINDRA +2 voltas NC
17 MARO ENGEL ALE VENTURI +7 voltas NC
18 ANTÓNIO FÉLIX DA COSTA POR ANDRETTI +13 voltas NC
19 LOÏC DUVAL FRA DRAGON +20 voltas NC
20 OLIVER TURVEY ING CHINA +33 voltas NC
 

  
DEBATE QUENTE SOBRE AS ESTREIAS DE F1 E MOTOGP. ASSISTA



Últimas Notícias
quarta-feira, 23 de agosto de 2017
Indy
Truck
F1
Rali
MotoGP
F-E
Indy
Indy
F1
Indy
F1
F1
F1
Copa Grande Prêmio
F1
Galerias de Imagens
Facebook