F-E
14/11/2016 12:02

Frustrado com erros da Techeetah, Vergne crê que teria vencido em Marrakech: “Única coisa boa é termos um carro rápido”

Jean-Éric Vergne não está feliz com a Techeetah após a enxurrada de erros e defeitos que o tirou uma clara chance de ser pole-position e uma claríssima chance de vencer o eP de Marrakech do último sábado. Depois de duas corridas com um dos dois carros mais rápidos do grid, Vergne soma apenas quatro pontos e nem pode ser culpado pelos fracassos
Warm Up
Redação GP, do Rio de Janeiro

A novata Techeetah tem um carro veloz, empurrado pelo trem de força da Renault, e até consegue controlar bem a energia. Mas a operação como um todo e a confiabilidade ainda são um problema. No sábado do eP de Marrakech, Jean-Éric Vergne viu problemas da equipe tirarem dele a chance de pole-position e de vitória. Desnecessário dizer que o francês não está feliz.
 
Vergne teve a volta mais rápida da fase de grupos da classificação, mas não conseguiu sair para tentar a sorte na Superpole por conta do que foi chamado de um "problema procedural". Depois, quando era segundo colocado na corrida e se aproximava rapidamente do líder Felix Rosenqvist, teve de parar para cumprir 5s de punição por ter andando rápido demais no pit-lane - algo que já tinha acontecido no treino livre. Para Vergne, o limitador não funcionou.
 
"Fui multado de manhã pela mesma razão que na corrida [excesso de velocidade no pit-lane], nunca passei por isso na minha vida. Eu suspeito que o botão do limitador do pit-lane, assim como no sábado de manhã, não funcionou", disse.
 
JEV se mostrou extremamente decepcionado pela impressão de que poderia vencer a corrida. De fato, o eventual vencedor, Sébastien Buemi, era o mais rápido na pista no trecho final, mas não é garantia de que ele conseguiria alcançar Vergne tivesse o francês ficado na pista. 
Jean-Éric Vergne superando Nelsinho Piquet (Foto: Reprodução)
"É frustrante, nós tínhamos carro para vencer. Eu estava em posição de ganhar a corrida, era muito mais rápido que Felix e com boa porcentagem de energia e, naquele momento, Buemi estava muito atrás e teria de usar muita energia para me alcançar. Não acho que ele teria passado", afirmou Jean-Éric.
 
Após a punição, Vergne caiu para o quinto posto e logo recebeu o aviso para poupar energia apesar de que ainda havia bastante, mas alguma questão na Techeetah impediu que Vergne despejasse sua potência. Acabou caindo para o oitavo lugar. O abandono em Hong Kong também por problemas no carro faz com que Vergne, com um carro que o permite brigar pelo título, tenha apenas quatro pontos no campeonato 2016/17.
 
"Minha barra de direção enlouqueceu. Eu estava tentando seguir normalmente, mas meu engenheiro me avisou para começar a poupar muita energia e era tarde demais, então eu terminei a corrida só com o embalo, porque não tinha mais energia. Nós bagunçamos a corrida em Hong Kong e não marcamos muitos pontos aqui hoje também. Não consegui andar na Superpole por causa de um erro da equipe. Posso olhar para o que aconteceu de positivo de que temos um carro rápido, mas é só", afirmou o francês.
 
"O time estava trabalhando muito, muito melhor essa semana, mas ainda não é o bastante, obviamente. Creio que o passo dado desde Hong Kong até Marrakech deve ser o mesmo dado de agora até Buenos Aires. Aí, sim, estaremos numa posição forte", encerrou Vergne.
 
A F-E para por longos três meses e volta em 18 de fevereiro direto da Argentina.


Últimas Notícias
domingo, 20 de agosto de 2017
F1
sábado, 19 de agosto de 2017
Indy
Seletiva BR
Indy
F3
Rali
Indy
Indy
Nascar
Indy
F3
F3
DTM
Indy
Superbike
Galerias de Imagens
Facebook