F1
23/10/2017 09:20

Com futuro incerto na Toro Rosso, Kvyat já admite deixar F1: “Não quero lutar por pontos a vida toda, quero algo a mais”

Daniil Kvyat sabe que seu futuro na F1 está nas mãos da Red Bull e que uma reunião nesta semana vai selar seu destino. Ainda sem saber se vai disputar o GP do México nesta semana, o russo abre a possibilidade de deixar o Mundial para buscar o sucesso em outro certame. “Se há uma chance de estar em uma categoria competitiva para lutar por vitórias e pódios... Por que não?”
Warm Up
Redação GP, de Sumaré

A Toro Rosso ainda não confirmou os pilotos que vão disputar o GP do México, já neste próximo fim de semana. Nos Estados Unidos, a ausência de Pierre Gasly para correr no Japão na Super Formula motivou o time de Faenza a buscar Brendon Hartley para preencher a vaga, mas ainda não se sabe qual vai ser a dupla que vai acelerar no Autódromo Hermanos Rodríguez. Daniil Kvyat está ansioso para definir seu futuro e sabe que ele está nas mãos da Red Bull. Tudo vai depender de uma reunião nesta semana. Mas o russo já tem a consciência de que pode até não ficar mais na F1. Sendo assim, Daniil começa a projetar seu futuro fora do Mundial.
 
“Vamos ter uma reunião, na qual vamos decidir meu futuro com a Red Bull. Tenho contrato e, até que este contrato vença, trabalho com eles e tento fazer meu melhor possível”, declarou Kvyat à emissora espanhola Movistar F1 antes do GP dos Estados Unidos, onde fez boa prova e terminou na zona de pontuação ao cruzar a linha de chegada em décimo em Austin.
 
“Quero esclarecer meu futuro, que função querem me dar e o objetivo. Não quero lutar por pontos a vida toda. Quero lutar por algo a mais”, explicou o piloto, que dá a entender que tem como objetivo voltar à Red Bull, equipe de onde foi rebaixado após o GP da Rússia do ano passado para dar lugar a Max Verstappen.
Daniil Kvyat tem futuro incerto na Toro Rosso. E na própria F1 (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)
Contudo, Daniil já tem em mente que não vai seguir na F1 se não tiver ao menos um planejamento que o leve a um lugar melhor. 


“Se há uma chance de estar em uma categoria competitiva para lutar por vitórias e pódios... Por que não? É o que eu gosto, é o que aprendi em todos os meus anos no kart. Agora é muito diferente. Tenho de falar com [Helmut] Marko para entender o que vai acontecer no futuro”, explicou.
 

O piloto lembrou de quando soube, pessoalmente, do consultor da Red Bull que não iria correr na Malásia e no Japão, onde deu lugar a Gasly. 
 
“Helmut me chamou, como sempre. Disse que eles tinham de ver algumas coisas. E eu aceitei, mas no fim dessas duas corridas não perdi nada de especial. Só vi os resultados, os vídeos dos melhores momentos e das voltas on-board. Nada mais. Gostei de relaxar um pouco”, finalizou o ainda piloto da Toro Rosso na F1.
RITMO DE FESTA

PADDOCK GP CHEGA À EDIÇÃO 100 COM HISTÓRIAS IMPERDÍVEIS DE EDGARD MELLO FILHO
 

Últimas Notícias
sexta-feira, 17 de novembro de 2017
F1
Nascar
Brasileiro de Marcas
Brasileiro de Turismo
F1
Rali
F1
World Series
Stock Car
Endurance
World Series
World Series
Stock Car
World Series
F1
Galerias de Imagens
Facebook