F1
12/05/2015 13:50

Com vida difícil na McLaren, Alonso vê distância da Ferrari para Mercedes na Espanha e cutuca: “Não mudou nada”

Fernando Alonso não dá nenhum sinal de arrependimento por ter deixado a Ferrari para voltar à McLaren. O bicampeão do mundo cutucou a ex-equipe ao afirmar que a diferença em relação à Mercedes, baseado no resultado do GP da Espanha, foi a mesma em relação ao seu último ano em Maranello
Warm Up
Redação GP, de Sumaré
SE F1 NÂO OLHAR PRA TRÁS, MORRE DE INANIÇÃO, DIZ FLAVIO GOMES'
A vida não anda nada fácil para Fernando Alonso. Acostumado a brigar por vitórias e títulos, o bicampeão do mundo completou sua quinta corrida consecutiva sem somar pontos neste seu retorno à McLaren, por onde já correu em 2007. Enquanto o time britânico ainda pena para desenvolver o MP4-30 em conjunto com a nova unidade de força construída pela Honda, a Ferrari deu um salto de qualidade e hoje é a segunda força do grid, atrás apenas da Mercedes. Por isso, Fernando é frequentemente questionado sobre um possível arrependimento ao deixar a escuderia de Maranello, algo que sempre foi prontamente negado pelo piloto de 34 anos.

E um desses fatores que fazem Alonso garantir que está feliz na nova-velha casa ocorreu no GP da Espanha, a quinta etapa da temporada 2015, disputada no último domingo (10) em Barcelona. Justamente o mesmo circuito onde Fernando venceu pela 32ª e última vez, há exatos dois anos. Nico Rosberg dominou toda a prova e não deu chances a ninguém. Lewis Hamilton terminou em segundo, enquanto Sebastian Vettel finalizou em terceiro, 43s atrás da Mercedes vencedora. Foi a maior diferença de um carro prateado para a Ferrari em corrida, maior até mesmo que os 34s que Lewis impôs ao tetracampeão em Melbourne, na abertura da temporada.
Alonso entende que diferença da Ferrari para a líder Mercedes não caiu: "Não mudou nada" (Foto: Getty Images)
Por tal razão, Alonso entende que acertou ao deixar a Ferrari e assumir a responsabilidade de liderar o novo projeto McLaren-Honda.

“Estou muito contente por ter vindo para a McLaren. No ano passado, estava de meio minuto a um minuto da Mercedes; neste ano, a Ferrari na Espanha ficou a 43s. Não mudou nada, não mudou pro cinco anos e não queria que as coisas se repetissem por um sexto ou sétimo ano”, declarou Fernando em entrevista à emissora britânica Sky Sports.

De fato, a Ferrari avançou significativamente em relação ao ano passado, quando sequer venceu uma corrida. Com Vettel, Kimi Räikkönen e Maurizio Arrivabene no comando, o time quebrou a seca de conquistas e venceu o GP da Malásia ao empreender grande estratégia e colocar Sebastian no topo do pódio logo em sua segunda corrida vestindo as cores da Ferrari. Mas o fato é que, mesmo ameaçando um pouco mais em algumas corridas, a diferença ainda é muito grande, como foi visto em Barcelona.

Últimas Notícias
domingo, 22 de outubro de 2017
F1
F1
F1
F1
F1
F1
F1
F1
F1
F1
F1
Stock Car
F1
F1
F1
Galerias de Imagens
Facebook