F1
27/02/2017 14:00

Hamilton lidera primeiro dia em Barcelona, mas vê Vettel e Massa bem perto. McLaren e Red Bull têm problemas

Lewis Hamilton liderou o complemento do primeiro dia de testes da F1. Mas isso não significa que a Mercedes está sobrando: o britânico, com macios, teve pouca vantagem sobre a Ferrari de Sebastian Vettel, com médios. A Williams de Felipe Massa também ficou perto, pintando em terceiro
Warm Up, de Barcelona
FERNANDO SILVA, de Sumaré
VITOR FAZIO, de Porto Alegre
Lewis Hamilton tirou a liderança das mãos de Sebastian Vettel no turno da tarde do primeiro dia de pré-temporada da F1 em 2017, nesta segunda-feira (27). Mas isso não significa que a Mercedes já pode ser apontada como uma espécie de favorita: Hamilton, com macios, liderou com apenas 0s113 de vantagem para Vettel, que optou por usar médios. Até mesmo Felipe Massa, voltando à Williams, conseguiu se sustentar no alto da tabela, 0s311 atrás do ponteiro.

Para não parecer nem de longe um aposentado, Massa esforçou-se como iniciante. “Fazia muito tempo que eu não pilotava. Eu treinei muito esses dias. Acho que nunca me preparei tanto quanto nas duas últimas semanas. Essa volta me dá motivação”, explicou ao GRANDE PRÊMIO.

O ânimo renovado vem, segundo o próprio piloto, de duas coisas. A primeira, o novo regulamento da categoria. “Todas as mudanças me dão prazer. O prazer de tentar entender como as coisas funcionam, de ver a equipe evoluindo... É algo novo para todos, e eu gosto desse tipo de mudança."
 
A distância entre os tempos do top-3 e o resto chamou atenção. Kevin Magnussen, que sofreu um acidente durante a manhã, colocou a Haas em quarto com pneus macios – mas 0s818 atrás de Massa. Valtteri Bottas, ainda com o tempo da manhã, surgiu em quinto.
Lewis Hamilton, o mais veloz em Barcelona (Foto: FIA)

É claro que os tempos chamam atenção, mas não é errado dizer que a quilometragem é tão importante quanto. E, nas primeiras horas de atividade, Mercedes e Ferrari já mostram que fizeram o dever de casa, sendo as únicas a quebras a barreira das 100 voltas. Vivendo situação oposta estão McLaren e Red Bull: as duas sofreram interrupções ao longo do dia e não chegaram nem perto da quilometragem desejada. A equipe de Fernando Alonso se surpreendeu com vazamento e problemas no motor, enquanto a de Daniel Ricciardo sofreu com defeito no câmbio e nos sensores do RB13.

Mesmo enfrentando problemas, Ricciardo ainda foi capaz de marcar o sexto melhor tempo do dia. Com macios, o piloto da Red Bull deveu 1s404 para Lewis Hamilton. Sergio Pérez pintou em sétimo com a Force India, seguido pela Toro Rosso de Carlos Sainz Jr. e a Renault de Nico Hülkenberg. Fernando Alonso pintou em penúltimo, enquanto a lanterninha ficou nas mãos da Sauber de Marcus Ericsson.
 
A F1 ainda vai promover mais três dias de atividades em Barcelona nesta semana. Depois, na segunda e derradeira série de testes, serão outros quatro dias. Isso é tudo a que as escuderias têm direito antes do GP da Austrália, marcado para 26 de março.

Saiba como foi a tarde do primeiro dia de testes da pré-temporada da F1

Logo após uma providencial pausa para o almoço, os pilotos voltaram para a segunda parte do primeiro dia de testes de pré-temporada em Barcelona. Ou melhor, nem todos. Isso porque Valtteri Bottas, seguindo a programação da Mercedes de revezar seus dois competidores em todos os dias, deu lugar a Lewis Hamilton, que prometeu realizar uma chamada ao vivo em sua conta no Instagram de dentro do seu carro para mostrar os testes para seus fãs. São os novos tempos da F1.

Ricciardo, que mal teve tempo para guiar o novo RB13 no período da manhã, foi o primeiro piloto a deixar os boxes, às 10h08 (horário de Brasília), depois de a Red Bull resolver o problema no sensor do seu carro, o que impediu o trabalho do australiano, que logo marcou 1min27s881 usando pneus médios. A expectativa também estava nos boxes da McLaren. Depois de um vazamento de óleo no motor Honda, a equipe de Woking e a fornecedora japonesa trabalharam para colocar Alonso de volta à pista nesta tarde, quando os termômetros marcavam 18,4ºC de temperatura ambiente e 28,9ºC no asfalto.

Enquanto a Honda confirmava a troca de motor do carro de Alonso, que ainda seguia nos boxes, a Renault tratava de colocar Hülkenberg para trabalhar. E o alemão mostrava serviço. Com o novo R.S.17 calçado com pneus médios, Nico realizou um bom stint de voltas rápidas, chegando a marcar 1min25s972, ainda permanecendo em sexto. Quem melhorava seu tempo era Carlos Sainz. De volta à pista após o almoço, o jovem espanhol registrou 1min25s206, também com pneus médios, deixando Felipe Massa para trás.
Hamilton guiou o novo Mercedes W08 com 'barbatana' nesta tarde em Barcelona (Foto: Mercedes/Twitter)
Pouco depois, finalmente Hamilton acelerou o novo W08. Mas diferente de Bottas, Lewis guiou o carro prateado da Mercedes dotado de uma 'barbatana'. A equipe tricampeã do mundo quis avaliar o desempenho do modelo com duas configurações aerodinâmicas diferentes. Assim como Valtteri, o britânico também foi à pista usando pneus médios. E logo de cara registrou 1min25s235, subindo para quinto lugar.

Em seguida, Hamilton baixou ainda mais sua marca e cravou 1min24s756. Quem também acelerou e melhorou seu tempo foi Massa, que subiu para terceiro depois de voltar à pista com pneus macios. O brasileiro passou na linha de chegada com 1min23s461, superando a Force India de Sergio Pérez.

O bom momento de Massa no teste não parou por aí. Mais algumas voltas e, ainda com macios, o brasileiro registrou o melhor tempo da sessão, 1min22s727. Ainda é cedo para comparar a real velocidade dos carros, mas a Williams certamente fica animada por ter um tempo 0s4 melhor do que o da Mercedes, que também andava com a borracha amarela. 20 minutos depois, quando a Williams resolveu dar novos pneus macios para Felipe, a marca caiu para 1min22s536.

No quesito quilometragem, tão importante em testes de pré-temporada, duas equipes viviam situações extremamente diferentes. A Mercedes, com 79 voltas de Bottas na manhã e 22 de Hamilton na tarde, havia quebrado a barreira dos 100 giros já no primeiro dia. A McLaren, por sua vez, seguia com apenas uma volta no bolso -- Alonso ainda não havia deixado a garagem no turno da tarde. Ricciardo, mesmo com os problemas de sensor resolvidos, seguia empacado com oito voltas.
Felipe Massa anotou bons tempos de volta em Barcelona(Foto: Twitter/F1)

Pouco antes da marca de duas horas de teste vespertino, a liderança voltou a trocar de mãos. Vettel, ainda com médios, marcou 1min22s475 e desbancou Massa e seus macios. Um ótimo indicativo para a esquadra italiana.

Só que não durou muito: pouco depois Hamilton foi à pista com macios e, para a surpresa de absolutamente ninguém, assumiu a liderança com folga. O #44 anotou 1min21s765, colocando 0s3 sobre o novo melhor tempo de Massa, que havia recuperado o segundo lugar na tabela de tempos. Era um bom tempo da Mercedes, mas nada imbatível.

Enquanto Mercedes, Williams e Ferrari buscavam seus limites, a McLaren só buscava um dia tranquilo. E nem isso conseguia: Alonso saiu dos boxes pela segunda vez, e quebrou pela segunda vez. O motor Honda não conseguiu completar uma volta antes de apresentar problemas, o que obrigou o espanhol a se arrastar até os boxes. Era um verdadeiro pesadelo para a turma de Woking. Sorte que, cinco minutos depois, o asturiano conseguiu deixar a garagem normalmente.

Quem também vivia um pesadelo, mesmo que em menor escala, era a Red Bull. Depois de resolver os problemas de sensor do RB13, Ricciardo regressou à pista e descobriu que a bateria do carro também estava defeituosa. Assim como a McLaren, a equipe austríaca resolveu o problema rapidamente.
Alonso enfrentou muitos problemas com o MCL32 (Foto: Twitter)
Com problemas resolvidos, tanto Red Bull quanto McLaren começaram a ganhar alguma quilometragem. Ricciardo, de médios, surgiu em sétimo na classificação. Isso jogava a Sauber de Ericsson, com 64 voltas, para a lanterninha da tabela de tempos. Alonso, com supermacios, marcou o nono melhor tempo do dia. Depois, usando um set de macios, melhorou um pouco mais, mas não ganhou posições.

Na última hora de atividades do dia, a situação ficou mais calma. Poucas equipes ainda eram capazes de melhorar o tempo de volta e o foco claramente havia mudado para a quilometragem. Salvo Ricciardo, que subiu para quinto com pneus macios, a tabela estava praticamente estacionária. Hamilton, Vettel e Massa seguiam no top-3, e com grande folga para os demais pilotos.

Os minutos passavam e ficava claro que as equipes queriam aproveitar cada instante na pista. Alonso quebrou a barreira das 20 voltas com macios, uma pequena vitória para uma assustada McLaren. Hamilton, Vettel, Massa e Hülkenberg também somavam quilometragem, mesmo sem ter condições de melhorar os tempos de volta. Assim, sem mais grandes acontecimentos, o primeiro dia de atividades da F1 se encerrou.

F1, Barcelona, testes coletivos, dia 1:

1 44 LEWIS HAMILTON ING MERCEDES 1:21.765   73
2 5 SEBASTIAN VETTEL ALE FERRARI 1:21.878 +0.113 128
3 19 FELIPE MASSA BRA WILLIAMS MERCEDES 1:22.076 +0.311 103
4 20 KEVIN MAGNUSSEN DIN HAAS FERRARI 1:22.894 +1.129 51
5 77 VALTTERI BOTTAS FIN MERCEDES 1:22.926 +1.161 50
6 3 DANIEL RICCIARDO AUS RED BULL TAG HEUER 1:23.169 +1.404 79
7 11 SERGIO PÉREZ MEX FORCE INDIA MERCEDES 1:23.709 +1.944 39
8 55 CARLOS SAINZ JR ESP TORO ROSSO RENAULT 1:24.494 +2.729 51
9 27 NICO HÜLKENBERG ALE RENAULT 1:24.784 +3.019 57
10 14 FERNANDO ALONSO ESP McLAREN HONDA 1:24.852 +3.087 29
11 9 MARCUS ERICSSON SUE SAUBER FERRARI 1:26.841 +3.672 72

Os pneus são...
ultramacios | supermacios | macios | médios | duros

PADDOCK GP #66 RECEBE LUCAS DI GRASSI, DEBATE F-E E NOVOS CARROS DA F1



Últimas Notícias
domingo, 23 de julho de 2017
Stock Car
Truck
Stock Car
Truck
Truck
Stock Car
Stock Car
Stock Car
Nascar
Shell
F1
Brasileiro de Turismo
DTM
Truck
Truck
Galerias de Imagens
Facebook