F1
23/08/2015 13:29

Hamilton passeia e vence na Bélgica em dia de azar de Vettel e gafe homérica da Williams. Massa é 6º

Lewis Hamilton não deu a menor chance a Nico Rosberg e venceu de ponta a ponta o GP da Bélgica, 11ª etapa do Mundial de F1. Felipe Massa não resistiu à pressão de Daniil Kvyat e terminou a corrida em sexto. A prova foi marcada por um erro clamoroso da Williams no primeiro pit-stop ao calçar o carro de Valtteri Bottas com três pneus macios e um médio
Warm Up
FERNANDO SILVA, de Sumaré
Definitivamente, foi um passeio. Lewis Hamilton não deu chances a Nico Rosberg e venceu com tranquilidade o GP da Bélgica, 11ª etapa do Mundial de F1, alcançando assim seu sexto triunfo na temporada. O britânico largou bem e manteve a ponta, perdendo-a somente durante as duas janelas de pit-stop. Por sua vez, Rosberg caiu para quinto na largada e teve de fazer uma prova de recuperação para completar a dobradinha da Mercedes neste domingo (23) em Spa-Francorchamps.

A corrida deste domingo foi marcada por uma trapalhada histórica da Williams. Durante o primeiro pit-stop de Valtteri Bottas, um dos mecânicos da equipe de Grove se confundiu e colocou um pneu médio e outros três macios, contrariando a regra que determina que os quatro pneus têm de ser do mesmo tipo. Mais uma falha grotesca da Williams na temporada.
Hamilton, Rosberg e o surpreendente Grosjean festejam no pódio da lendária Spa-Francorchamps (Foto: AP)
O último degrau do pódio ficou, de forma surpreendente, com Romain Grosjean. O franco-suíço fez uma grande corrida e aproveitou o ótimo rendimento do motor Mercedes de sua Lotus. O piloto ainda acabou sendo beneficiado pelo estouro do pneu da Ferrari de Sebastian Vettel na última volta. Daniil Kvyat cruzou a linha de chegada em um ótimo quarto lugar, enquanto Sergio Pérez, que brilhou na largada em Spa-Francorchamps, fechou o top-5, seguido por Felipe Massa. Felipe Nasr ficou perto dos pontos e terminou em 11º.

Massa falou sobre o sexto lugar conqusitado neste domingo em Spa-Francorchamps. O resultado o colocou à frente de Valtteri Bottas e Kimi Räikkönen no Mundial de Pilotos. Agora, Felipe ocupa o quarto lugar, só atrás de Hamilton, Rosberg e Vettel. "A gente acabou não conseguindo chegar mais para frente. Se as coisas funcionassem melhor no início da corrida, o pneu funcionasse melhor no começo da prova, o resultado poderia ser diferente. Sem dúvida, poderia ter feito uma vantagem um pouco melhor no campeonato, o pneu mole não funcionava, quando coloquei o pneu duro o carro virou outro", declarou o piloto da Williams à TV Globo.

Confira como foi o GP da Bélgica de F1:

Antes mesmo do início da corrida, Nico Hülkenberg queixou-se de falta de potência do seu carro, mas mesmo assim não voltou aos boxes. No grid, o alemão acenou, sinalizando que seu carro estava parado. Assim, foi realizado um novo procedimento de largada, com uma nova volta de apresentação.

Nessa volta, foi a vez de Carlos Sainz Jr. queixar-se de falta de potência. Mas desta vez, o espanhol recolheu de volta para os boxes. Assim, 18 carros alinharam no grid em Spa. Hamilton manteve a ponta, mas Rosberg largou muito mal e despencou para quinto lugar. Entre eles, Pérez fez belíssima largada e saltou de quarto para sair da La Source em segundo lugar, seguido por Ricciardo e Bottas. Na subida da reta, o mexicano quase passou Lewis, mas o britânico deu o troco e retomou a liderança. Massa vinha em nono, e Nasr era o 16º.
Hamilton mantém a ponta, enquanto Pérez assume segundo lugar na largada (Foto: AP)
Na segunda volta, outro motor Mercedes apresentou problemas. Pastor Maldonado ficou lento na reta e abandonou a corrida em Spa. Lá atrás, Hülkenberg abandonava de vez a disputa, enquanto Sainz conseguiu regressar à prova, mas com duas voltas atrás dos líderes. Mas o espanhol voltou muito lento à pista.

Hamilton deixava claro que tinha o melhor ritmo da corrida e abria vantagem para o ótimo Pérez, que também tinha ritmo consistente e conseguia se manter com propriedade em segundo lugar. Ricciardo vinha em terceiro e conseguia domar o ímpeto de Rosberg, quarto. Vettel completava o top-5 na sua corrida 150 na F1, enquanto as Williams não tinham o melhor rendimento: Bottas era apenas o sexto, duas posições à frente de Massa. Grosjean aparecia em sétimo e pressionava Valtteri.

A diferença de rendimento entre a Mercedes de Hamilton em comparação à McLaren de Fernando Alonso era abissal: 4s. Assim, o britânico sobrava na frente, enquanto asturiano se arrastava e não conseguia nem de longe ser competitivo. Massa também não conseguia fazer a Williams render e acabou sendo ultrapassado com facilidade por Daniil Kvyat, caindo para nono.

Lewis abria 6s de frente para Pérez, que começava a ter a Red Bull de Ricciardo no seu encalço. Mas o australiano foi aos boxes na abertura da oitava volta para trocar os pneus macios pelos médios para seu segundo stint em Spa. Na volta seguinte, foi a vez de 'Checo' realizar seu pit-stop, calçando um novo jogo de macios. Com a parada do mexicano, Rosberg assumia o segundo lugar.

A Williams seguia em queda livre, com Bottas perdendo com facilidade a quinta posição para Grosjean. Das equipes empurradas pelo motor Mercedes, era quem tinha o pior rendimento. E para completar a jornada desastrosa, a equipe, no pit-stop de Bottas, misturou os pneus, três macios e um médio na roda traseira direita. Bizarro! O finlandês foi punido com um drive-through.
Williams comete erro histórico: colocou pneus diferentes no carro de Bottas (Foto: Reprodução TV)
Na zona intermediária, Nasr e Verstappen travaram um belo duelo. Desde a Blanchimont até à Bus Stop, os dois jovens estreantes andaram lado a lado, mas o holandês, com um carro melhor e tendo os pneus macios com rendimento superior, conseguiu fazer a ultrapassagem na curva que antecede a reta dos boxes.

Lá na frente, a Mercedes seguia soberana e sem pit-stops: Hamilton ocupava a ponta, com Rosberg em segundo lugar. Mas o alemão realizou sua primeira parada na volta 13 e, no retorno à pista, conseguiu ganhar a posição de Pérez. O mexicano chegou a emparelhar na reta que antecede a Les Combes, mas Nico conseguiu se manter à frente, assegurando o momentâneo terceiro lugar, já que Vettel, segundo, também não tinha feito sua parada. Seb subiu para primeiro depois que Lewis fez sua parada na volta 14.

Com a parada de Vettel na volta 15, a verdade foi restabelecida com Hamilton na ponta, seguido por Rosberg, Pérez, Ricciardo, Grosjean e Vettel. Massa vinha apenas em nono, enquanto Nasr aparecia em 14º, brigando com a McLaren de Alonso.
Na frente, Hamilton teve de lidar com a aproximação de Rosberg (Foto: AP)
A cada volta, Rosberg reduzia sua vantagem perante Hamilton. O alemão buscava se aproximar para brigar de vez pela vitória, mas Lewis tinha tudo sob controle. O motor Mercedes dominava a corrida, com Pérez em terceiro lugar. Mas o mexicano passava a ser ameaçado pela Lotus de Grosjean, que apresentava ótima performance, inclusive fazendo com facilidade a ultrapassagem sobre Ricciardo. E nem demorou muito para o franco-suíço encostar na Force India.

Na reta Kemmel, Grosjean tirou proveito da asa móvel e não tomou conhecimento de Pérez para fazer a ultrapassagem antes da Les Combes. Dentre os dez primeiros, 'Checo' era quem estava mais lento. Aí, na volta 21, Ricciardo teve de lidar com problemas hidráulicos no seu Red Bull na entrada da curta reta dos boxes e ali ficou parado, em posição perigosa. A direção de prova acionou o safety-car virtual. Muitos pilotos aproveitaram a bandeira amarela para a execução da segunda troca de pneus.

Não levou muito tempo para que a corrida voltasse ao seu ritmo normal, em bandeira verde. A dura missão de quem fez a segunda parada naquele momento, como Pérez, Grosjean, Massa e Räikkönen, era economizar pneus por cerca de 20 voltas. Uma tarefa complicada, visto que os pneus estavam se desgastando bastante. E além disso, outro fator que poderia embaralhar as cartas do GP da Bélgica vinha dos céus: nuvens pesadas se aproximavam de Spa-Francorchamps.

Com o reagrupamento dos pilotos depois da segunda parada, as Mercedes seguiam na ponta, com Vettel ocupando o terceiro lugar, ficando à frente de Grosjean e Pérez. Contudo, Seb ainda não havia feito seu pit-stop. Mas o tetracampeão fazia um bom ritmo mesmo com pneus usados por 14 voltas, com tempo de volta melhor que o de Grosjean, que vinha com compostos novos para seu último stint.

Lewis fez seu pit-stop derradeiro na 30ª volta. Nesse tempo, a tripulação de Rosberg pediu para o alemão acelerar forte antes de sua parada, que seria na volta seguinte: Nico calçou sua Mercedes com compostos macios.  Mas no retorno de ambos à pista, a vantagem de Lewis era absolutamente confortável: 7s. Ou seja: a corrida estava nas mãos do bicampeão.

Na luta pelo quinto lugar, Massa tinha melhor ritmo em relação a Pérez e se aproximava do mexicano, reduzindo a diferença para 0s6, mas ao mesmo tempo seguia escoltado por Räikkönen. Depois de um ótimo começo de corrida, 'Checo' não tinha bom rendimento, e Massa, ao contrário, melhorou na fase final da corrida. 
Hamilton coloca mais uma vitória no currículo (Foto: AP)
Mas Felipe acabou sendo superado por Kvyat, que teve um ótimo fim de prova. O russo também ganhou a posição de Pérez e subiu para quinto lugar. E Grosjean, com um belíssimo rendimento, conseguiu se manter no top-4. O franco-suíço acabou sendo presenteado por um estouro no pneu traseiro direito de Vettel na última volta, conseguindo assim seu primeiro pódio na temporada. O problema também acabou beneficiando Felipe Massa, que terminou em sexto lugar. A vitória, com sobras, ficou com Hamilton, que ampliou ainda mais sua vantagem na liderança do campeonato.

Faltam apenas oito passos para Lewis garantir o tricampeonato.

F1, GP da Bélgica, Spa-Francorchamps, final:

1 44 LEWIS HAMILTON ING MERCEDES 1:23:40.387 43 voltas
2 6 NICO ROSBERG ALE MERCEDES +2.058  
3 8 ROMAIN GROSJEAN FRA LOTUS MERCEDES +37.988  
4 26 DANIIL KVYAT RUS RED BULL RENAULT +45.692  
5 11 SERGIO PÉREZ MEX FORCE INDIA MERCEDES +53.997  
6 19 FELIPE MASSA BRA WILLIAMS MERCEDES +55.283  
7 7 KIMI RÄIKKÖNEN FIN FERRARI +55.703  
8 33 MAX VERSTAPPEN HOL TORO ROSSO RENAULT +56.076  
9 77 VALTTERI BOTTAS FIN WILLIAMS MERCEDES +1:01.040  
10 9 MARCUS ERICSSON SUE SAUBER FERRARI +1:31.234  
11 12 FELIPE NASR BRA SAUBER FERRARI +1:42.311  
12 5 SEBASTIAN VETTEL ALE FERRARI +1 volta  
13 14 FERNANDO ALONSO ESP McLAREN HONDA +1 volta  
14 22 JENSON BUTTON ING McLAREN HONDA +1 volta  
15 98 ROBERTO MERHI ESP MANOR MARUSSIA FERRARI +1 volta  
16 28 WILL STEVENS ING MANOR MARUSSIA FERRARI +1 volta  
17 55 CARLOS SAINZ JR ESP TORO ROSSO RENAULT +11 voltas NC
18 3 DANIEL RICCIARDO AUS RED BULL RENAULT +24 voltas NC
19 13 PASTOR MALDONADO VEN LOTUS MERCEDES +41 voltas NC
20 27 NICO HÜLKENBERG ALE FORCE INDIA MERCEDES +43 voltas  
               
MELHOR VOLTA NICO ROSBERG ALE MERCEDES 1:52.416  
               
RECORDE JARNO TRULLI ITA TOYOTA   1:44.503 29/08/2009
MELHOR VOLTA SEBASTIAN VETTEL ALE RED BULL RENAULT   1:47.263 30/08/2009

Últimas Notícias
segunda-feira, 29 de maio de 2017
Indy
Nascar
F1
F1
Nascar
MotoGP
Nascar
F1
Indy
F1
Truck
F1
F1
domingo, 28 de maio de 2017
Nascar
Indy
Galerias de Imagens
Facebook