F1
19/04/2015 16:38

Hamilton vence e Rosberg entrega segundo lugar para Räikkönen no fim no Bahrein‏. Problema elétrico afeta Massa

Lewis Hamilton venceu pela terceira vez em quatro corridas na temporada 2015 do Mundial de F1. O bicampeão do mundo não chegou a ser ameaçado diretamente em Sakhir, mas teve de se impor para evitar a aproximação dos carros da Ferrari e também de Nico Rosberg. Felipe Massa enfrentou problemas elétricos na largada, mas conseguiu voltar à disputa para chegar em décimo
Warm Up
FERNANDO SILVA, de São Paulo
O GP do Bahrein de 2015 não chegou a repetir a linda edição do ano passado, mas ainda assim foi uma corrida interessante. Lewis Hamilton não enfrentou oposição direta na luta pela vitória e triunfou na corrida deste domingo (19) no circuito de Sakhir. O britânico, no entanto, precisou se impor para evitar a aproximação de Nico Rosberg e das Ferrari de Sebastian Vettel e Kimi Räikkönen e vencer pela terceira vez em quatro corridas na temporada. Sobre Rosberg, o alemão finalmente acordou depois de um início de campeonato bastante passivo. Embora não tenha ameaçado o domínio do seu companheiro de Mercedes e rival, o alemão mostrou atitude e guiou de maneira aguerrida, sobretudo nos três duelos que teve com Vettel ao longo da prova. Nico, com problemas nos freios na parte final da corrida, só não resistiu à pressão de Räikkönen, que o ultrapassou na penúltima volta para subir ao pódio pela primeira vez desde o GP da Coreia do Sul de 2013.

Habitué do pódio nas três primeiras corridas do ano, Vettel não conseguiu repetir o top-3 em Sakhir e terminou em quinto. No seu segundo stint, o piloto começou a reclamar de problemas em seu carro e teve de entrar nos boxes uma vez mais em relação aos ponteiros. A Ferrari teve de trocar a asa dianteira da SF15-T #5. Sebastian acabou perdendo a quarta posição para a Williams de Valtteri Bottas, que conquistou sua melhor posição temporada. Daniel Ricciardo conquistou um bom sexto lugar e finalizou a prova no Bahrein à frente de Roman Grosjean, mas passou pela linha de chegada com seu motor quebrado, mais uma vez. Sergio Pérez voltou a ter um desempenho convincente no país insular e colocou a Force India em oitavo. Daniil Kvyat finalizou em nono, enquanto Felipe Massa enfrentou muitas dificuldades no fim da corrida, mas ainda assim fechou o top-10 e foi o último a pontuar no domingo.

Fernando Alonso ficou perto dos pontos  e terminou a corrida em 11º. O bicampeão marcou seu melhor resultado na temporada, o que serve como alento para a McLaren depois de uma desastrosa jornada com Jenson Button, que sequer teve condições de largar devido aos inúmeros problemas do MP4-30. Alonso terminou a corrida imediatamente à frente de Felipe Nasr, que descreveu sua corida como "difícil" depois de fechar em 12º.
Hamilton lidera as Ferrari e Nico Rosberg. Terceira vitória em quatro corridas para o britânico em 2015 (Foto: AP)
VIU ESSA? FENATI CHUTA AJO DURANTE TREINO DA MOTO3 NA ARGENTINA

Confira como foi o GP do Bahrein de F1 deste domingo:

Antes mesmo da largada, o GP do Bahrein começou complicado. Piloto mais azarado de todo o fim de semana, Jenson Button não conseguiu largar, já que a McLaren, embora tenha trabalhado duro durante toda a tarde, não conseguiu resolver os problemas do seu MP4-30 que foram evidenciados na sexta-feira e no sábado. Assim, 19 carros largaram, mas quase foram 18, já que a Williams de Felipe Massa ficou parada no grid devido a problemas elétricos. A equipe trabalhou para religar o FW37 do brasileiro, que conseguiu sair para a corrida, mas em último lugar. Carlos Sainz Jr. foi punido pela direção de prova por ter saído para alinhar no grid fora do tempo regulamentar e teve 5s acrescidos no seu tempo total de prova.

À largada, pois. Hamilton conseguiu manter a ponta, embora tenha sido bastante pressionado por Vettel. Rosberg não largou mal, mas Räikkönen fez uma grande largada e conseguiu ultrapassar o piloto da Mercedes na entrada da curva 1 para assumir o terceiro lugar. Bottas manteve o quinto posto em Sakhir, enquanto Nasr passou a primeira volta em 12º. No fim do grid, Massa não enfrentou problemas para superar rapiadmente os dois carros da Manor Marussia, de Will Stevens e Roberto Merhi, e iniciar sua escalada no Bahrein.
A largada do GP do Bahrein (Foto: AP)

Na quarta volta, Rosberg aproveitou o melhor ritmo da sua Mercedes, ainda equipada com pneus macios, e ultrapassou Räikkönen para retomar a terceira posição. Hamilton mantinha a dianteira, mas Vettel não permitia que o britânico abrisse grande vantagem. O tetracampeão parecia ter sob controle Rosberg, que vinha logo atrás. A expectativa era saber se a Mercedes conseguiria esticar seu stint com pneus macios para evitar um possível 'pulo do gato' da Ferrari na estratégia no fim da prova.

Correndo no limite, Vettel estava 4s1 atrás de Hamilton depois de cometer um erro na curva 1, o que permitiu a aproximação de Rosberg na volta 8. Um giro depois, o piloto da Mercedes tirou proveito da unidade de força da Mercedes e usou o DRS para fazer a ultrapassagem sobre o compatriota para assegurar o segundo lugar. A realidade da F1 voltava a ser restabelecida com Mercedes ocupando as duas primeiras colocações, os dois carros da Ferrari logo atrás e a Williams de Bottas, em quinto.

No pelotão intermediário, Massa dava sequência à sua recuperação. Com um bom ritmo de corrida, o brasileiro já havia ultrapassado também Daniil Kvyat, Pastor Maldonado e Fernando Alonso para subir à 13ª posição, ficando logo atrás de Felipe Nasr, que estava fazendo voltas mais lentas em relação ao piloto da Williams. Parecia questão de tempo para Massa conseguir voltar ao top-10.

Enquanto Räikkönen mostrava ser mais rápido que Vettel, aparentemente já sofrendo com o desgaste dos pneus, e se aproximava do seu companheiro de equipe, a movimentação nos boxes para os primeiros pit-stops da corrida ganhava corpo. Nico Hülkenberg, Massa e Nasr foram os primeiros a efetuarem a troca de pneus, partindo para um segundo stint com os compostos macios e deixando os médios para o fim da corrida. Na saída dos pits, Nasr disputou posição lado a lado com Massa, com o brasileiro da Williams levando a melhor.

Aí a corrida entrou em dos seus momentos-chave: dos quatro primeiros colocados, Vettel foi o primeiro a fazer sua parada, na abertura da 14ª volta. No giro seguinte, foi a vez da Mercedes chamar Rosberg para realizar sua troca de pneus. O trabalho da Ferrari foi melhor em comparação à equipe prateada: 24s5 contra 25s3 no tempo total contando entrada e saída dos pits. Assim, Sebastian passou à frente de Rosberg e ganhou uma posição. Na sequência, foi a vez de Lewis ir para os boxes: todos trocaram pneus, mas mantiveram o uso dos compostos macios. Com tática teoricamente diferente, Kimi seguia na pista e vinha com tática diferente.
Rosberg vai para cima de Vettel e passa pela segunda vez o alemão durante a corrida (Foto: Reprodução TV)
Mas bastou uma volta para Nico reagir e, após grande manobra no fim da reta dos boxes, passou Vettel novamente e voltou a estar apenas atrás de Hamilton. Com apetite, Rosberg parecia querer virar o jogo depois de três corridas abaixo da média para quem conta com o melhor carro da F1.

Räikkönen foi aos boxes apenas na volta 18 para fazer seu primeiro pit-stop.  A Ferrari novamente fez um grande trabalho. Porém, diferente do que fizera com Vettel, o time italiano equipou o carro de Kimi com pneus médios. O tempo total de parada foi de 24s773, novamente mais rápido em relação à Mercedes. Hamilton voltava à liderança, com Rosberg em segundo, menos de 2s atrás do britânico, Vettel em terceiro e Räikkönen em quarto. Massa era o décimo colocado, porém muito pressionado por Nasr, que vinha com bom ritmo de corrida em Sakhir.

Era interessante observar que a vantagem de Hamilton, líder, para  Kimi, quarto com pneus médios, era de apenas 8s. O ritmo da Ferrari do finlandês era muito bom. Como também era o da Sauber de Nasr. Na volta 24, o estreante conseguiu aproveitar o melhor ritmo e finalmente fez a ultrapassagem sobre Massa, que vinha sofrendo com o desgaste dos pneus macios. Na sequência, os dois brasileiros e Pastor Maldonado foram aos boxes. O venezuelano se deu melhor e ganhou as posições de Nasr e Massa na saída dos boxes.

Mas a corrida era longa, restavam ainda 30 voltas para o fim. Kimi era o grande destaque da corrida e aproveitava o melhor desempenho dos pneus médios para ser o mais rápido da pista no momento. A cada volta, o finlandês reduzia a diferença para Vettel, Rosberg e Hamilton. Na zona intermediária, Alonso lutava com Massa e Nasr pela 12ª colocação, com o brasileiro da Williams em vantagem por ter um melhor ritmo com os médios e também por contar com a força do motor Mercedes. Assim, seu ex-companheiro de equipe na Ferrari não ofereceu resistência, e Massa fez a ultrapassagem na volta 31, no fim da reta dos boxes. Com os macios, Nasr também passou o bicampeão do mundo e subia para 13º.

Longe de brilhar no fim de semana, exceção feita ao Q3 de Sainz Jr. na classificação de sábado, a Toro Rosso deixou a corrida após o novato espanhol enfrentar problemas em seu carro. Poucas voltas depois, Max Verstappen recolheu de volta aos boxes e finalizou a jornada da equipe de Faenza no Bahrein.

Aí Vettel voltou aos boxes, agora para trocar os desgastados pneus macios pelos médios para cumprir seu stint final em Sakhir. O tetracampeão foi o primeiro dentre os líderes a realizar o segundo pit-stop no GP do Bahrein. Em seguida, foi a vez de Hamilton fazer sua parada e, depois, Rosberg. Novamente, como foi depois do primeiro pit-stop, Nico voltou à pista atrás de Vettel, e o dono da Mercedes #6 teria de lutar novamente para retomar a segunda posição.

Pressionado, Sebastian cometeu um erro e escapou na última curva do circuito de Sakhir e acabou por novamente, no fim da reta dos boxes, ser ultrapassado por Rosberg. O piloto da Ferrari se queixou de falta de equilíbrio do seu carro e optou por ir aos boxes para trocar a asa dianteira e ainda colocar novos pneus médios. Assim, Vettel praticamente ficou de fora da luta pelo pódio.

Lá na frente, Räikkönen ainda liderava a corrida porque não havia feito seu segundo pit-stop. Mas o nórdico começava a perder tempo em relação às Mercedes por estar com os pneus médios já bem desgastados. Kimi acabou perdendo a liderança da corrida para Hamilton, que seguiria até o fim sem mais pit-stops a cumprir. Aí a Ferrari chamou seu piloto para, finalmente, colocar um jogo de pneus macios quando restavam 16 voltas para o fim da prova.

Com diiculdades para lidar com o alto consumo dos pneus traseiros, Hamilton chegou a perder um pouco da vantagem em relação a Rosberg. Mas, ainda assim, a liderança do bicampeão mundial era confortável, e o alemão tinha de se preocupar mesmo com a aproximação de Räikkönen, muito mais rápido por contar com os pneus macios. Nico resistiu de todas às formas, mas enfrentou problemas nos freios e sucumbiu ao ataque final de Kimi na penúltima volta.

Hamilton venceu no Bahrein, como em 2014, com Räikkönen em segundo e Rosberg em terceiro. Bottas conseguiu suportar a pressão de Vettel e garantiu o quarto lugar, seguido pelo alemão. Daniel Ricciardo teve novamente problemas em seu motor Renault, que quebrou bem no momento em que terminava a prova, mas ainda assim garantiu uma boa sexta colocação, à frente de Romain Grosjean e Sergio Pérez. Daniil Kvyat chegou em nono, enquanto Massa, com forte perda de desempenho no fim da corrida, cruzou a linha de chegada em décimo lugar. 

F1, GP do Bahrein, Sakhir, final:

Últimas Notícias
segunda-feira, 29 de maio de 2017
Indy
Nascar
F1
F1
Nascar
MotoGP
Nascar
F1
Indy
F1
Truck
F1
F1
domingo, 28 de maio de 2017
Nascar
Indy
Galerias de Imagens
Facebook