F1
19/09/2013 16:00

Massa e Lotus têm acordo, mas contrato depende de aporte financeiro e ajuda da família Todt

Felipe Massa e a Lotus estão apalavrados, porém, para que a caneta rubrique o papel, é preciso que o brasileiro garanta estabilidade financeira para a equipe de Enstone
Warm Up
FLAVIO GOMES, de São Paulo

Coluna Superpole, por Victor Martins: Keep calm
O dilema da Lotus com três candidatos para duas vagas
Exclusivo | DF - Dossiê de Falcatruas
Federações criam 'autoduto' e desviam R$ 760 mil dos cofres públicos

Jean Todt é o grande aliado de Felipe Massa para correr na Lotus em 2014. O presidente da FIA e pai do empresário de Felipe, Nicolas Todt, está atuando nos bastidores para tentar costurar uma situação que transforme o acordo que já existe entre o piloto e a equipe em um contrato para a próxima temporada, conforme apurou o GRANDE PRÊMIO.

O brasileiro deu entrevista deu entrevista na noite de ontem, em Cingapura, à imprensa nacional e não escondeu ter noção de que ajudar financeiramente uma equipe faz parte hoje do modelo de negócios da F1.
A Lotus desponta como o destino mais provável para Felipe Massa em 2014 (Foto: Getty Images)
Com isso, ele deve entrar, no ano que vem, na categoria de ‘pilotos pagantes’. Definição que já não é muito precisa, diga-se. Há aqueles que efetivamente pagam por uma vaga, e outros, o que passou a ser o caso de Massa nesta 'janela de transferências', que funcionam como intermediários de negociações.

A sorte de Felipe é que seu maior rival pela vaga na Lotus, Nico Hülkenberg, até onde se sabe, é apenas piloto, sem grandes envolvimentos com empresas e patrocinadores de grande porte.

Leia a matéria completa no blog de Flavio Gomes.

A cobertura completa do GP de Cingapura de F1 no GRANDE PRÊMIO
As imagens da quinta-feira da F1 em Cingapura
icone_TV Automobilismo na TV: a programação do fim de semana

Últimas Notícias
sábado, 25 de outubro de 2014
Outras
Rali
MotoGP
Turismo
F1
MotoGP
Seletiva BR
F1
F1
F1
MotoGP
MotoGP
MotoGP
MotoGP
MotoGP
Galerias de Imagens
Facebook