F1
10/10/2016 08:45

Massa lembra amizade com Schumacher na F1 e diz: “Ele se aposentou também para me dar uma chance”

Michael Schumacher certamente está na lista dos grandes amigos que Felipe Massa fez na F1. A ponto de considerar o alemão, hoje lutando pela vida após gravíssimo acidente numa estação de esqui, como seu irmão mais velho. No fim de 2006, na Ferrari, o heptacampeão se aposentou pela primeira: “Foi uma decisão dele, mas sei que ele o fez também para me dar uma chance”
Warm Up
Redação GP, de Sumaré

Mais que amigo, Michael Schumacher, que há duas semanas completou 1.000 dias após o grave acidente em Méribel, se tornou uma espécie de irmão mais velho para Felipe Massa. No fim de 2005, o brasileiro, que já fazia parte do programa de pilotos da Ferrari, foi contratado como titular em substituição a Rubens Barrichello e teve o icônico alemão como seu novo companheiro de equipe. A relação entre colegas de time, que por vezes é explosiva na F1, resultou em uma grande amizade entre Schumacher e Massa.
 
No segundo semestre de 2006, a Ferrari anunciou a contratação de Kimi Räikkönen para o ano seguinte. Aí, Schumacher, depois de ter conquistado nada menos que sete títulos mundiais, tomou uma decisão que o levou às lágrimas em Monza. O alemão anunciava que estava deixando as pistas ao fim daquele ano.
Schumacher e Massa se tornaram amigos na F1 (Foto: Getty Images)
Massa, em entrevista ao diário italiano ‘La Gazzetta dello Sport’, disse que uma das motivações da aposentadoria de Schumacher foi lhe dar uma chance para continuar na Ferrari. E foi o que aconteceu até o fim de 2013. “Foi sua decisão, mas sei que ele o fez também para me dar uma chance”, comentou o brasileiro.
 
Schumacher quase voltou à F1 para substituir justamente Massa depois que o paulista sofreu seu acidente mais grave na carreira, quando uma mola do carro de Barrichello, que guiava pela Brawn, o acertou na classificação do GP da Hungria de 2009. Felipe ficou de fora do restante daquela temporada, mas não houve acordo com Schumacher. A Ferrari contou com Luca Badoer e, depois, com Giancarlo Fisichella.
 
Felipe voltou ao cockpit da Ferrari em 2010, mesmo ano em que Schumacher regressou à F1 como piloto da Mercedes, que retornava ao esporte como equipe depois de adquirir a campeã mundial Brawn. Michael continuou no esporte sem o mesmo brilho da sua primeira passagem e se aposentou em definitivo em 2012. Um ano depois, em 29 de dezembro de 2013, sofreu o terrível acidente na estação de esqui de Méribel, nos Alpes Franceses.

Desde então, o maior campeão da história da F1 luta pela vida.
Mick Schumacher ao lado de Felipe Massa durante partida para homenagear o heptacampeão (Foto: Getty Images)
O brasileiro lembrou de como era se relacionar com Schumacher. “Michael às vezes era um pouco duro e frio, mas se ele gostasse de você, então você se tornava seu grande irmão”, contou Felipe, que teve a chance de conhecer o filho do seu grande amigo, com quem chegou a jogar futebol na Alemanha. “Conheci seu filho, Mick, e é um menino incrível, com um coração enorme. Não é fácil suportar o que aconteceu”, disse.
 
Sobre o futuro após a F1, Massa reiterou as três possibilidades. E indicou, também, que não vai deixar de acompanhar a F1, visitando o paddock esporadicamente. “Há três possibilidades sobre a mesa: WEC, DTM e a F-E. Estou considerando o que vou fazer”, explicou o piloto que, por morar em Mônaco, vai estar bem perto de boa parte das etapas do Mundial. “Vou para alguns GPs como representante de empresas e como comentarista de TV”, concluiu.

Últimas Notícias
domingo, 26 de fevereiro de 2017
Nascar
F1
F1
F1
Nascar
MotoGP
F1
F1
F1
F1
Rali
F1
Superbike
MotoGP
sábado, 25 de fevereiro de 2017
F1
Galerias de Imagens
Facebook