F1
16/04/2017 15:09

Mercedes alega que fez uso de ordem de equipe por Bottas ter problema de pressão nos pneus

A ordem de equipe que a Mercedes deu para Lewis Hamilton passar por Valtteri Bottas não caiu muito bem. O diretor-executivo da equipe de Brackley teve de responder e justificar logo após a corrida. Segundo Wolff, a decisão foi tomada apenas por um problema com o regulador de pneus do carro de Bottas - não é o novo normal
Warm Up
PEDRO HENRIQUE MARUM, do Rio de Janeiro

Depois de três anos se recusando totalmente a interferir na luta de Lewis Hamilton e Nico Rosberg pelo título mundial que só envolvia os dois - mesmo em momentos de altas tensões entre a dupla -, demorou três corridas para a Mercedes resolver dar uma ordem de equipe para que os dois pilotos mudassem de posição. No GP do Bahrein deste domingo (16), a equipe ordenou por duas vezes que Valtteri Bottas desse caminho para Hamilton enquanto o tricampeão mundial ia à caça de Sebastian Vettel. O alemão da Ferrari venceu a corrida, no fim das contas.
 
O diretor-executivo da Mercedes, Toto Wolff, afirmou em entrevista concedida à rede de TV inglesa Sky Sports que a ordem foi dada por conta da regulagem de pneus de Bottas. Segundo Wolff, a Mercedes não conseguiu ajustar a regulagem dos pneus de Bottas, o que fez com que o finlandês ficasse num ritmo abaixo de Hamilton. Por isso - e só por isso - tomou a decisão de mandar Bottas liberar passagem para o companheiro. 
 
O que Wolff admitiu, porém, foi que é uma decisão desagradável e afirmou que a Mercedes não quer tomá-la em outras condições. Ao menos por enquanto
Menos sorrisos agora para Valtteri Bottas e Toto Wolff (Foto: Mercedes-Benz)

"Tivemos um problema com o gerador [de pressão dos pneus] e não deu para regular os pneus de Valtteri, então ficamos algumas libras acima e não deu para recuperar o ritmo. A Ferrari executou tudo muito bem", falou.

"Tentamos manter a ordem e não interferir, porque é uma péssima decisão [a ordem de equipe], mas em um certo momento você tem que decidir se vai perder a corrida ou tomar essa decisão", disse. "O principal é que [Bottas] não podia guiar no ritmo que o carro tinha", seguiu.
 
"É bem parecido [entre Mercedes e Ferrari]. Em ritmo de uma volta nós tínhamos uma pequena vantagem; e na corrida, com pneus controlados, a Ferrari tinha essa pequena vantagem. Não sabemos qual seria o final da corrida se Lewis estivesse à frente desde o começo. Três corridas já foram, e nós sempre mantivemos a filosofia de pilotos iguais. Sei que é uma decisão difícil, e ainda não quero tomar", encerrou.

A F1 volta em duas semanas, 30 de abril, com o GP da Rússia.




Últimas Notícias
domingo, 22 de outubro de 2017
Stock Car
F1
F1
Stock Car
Stock Car
F1
F1
Nascar
Superbike
F1
Brasileiro de Marcas
MotoGP
MotoGP
F1
MotoGP
Galerias de Imagens
Facebook