F1
23/02/2017 09:10

Mercedes apresenta W08 e adota receita simples para se manter no topo da F1: bico normal e sem barbatana

A Mercedes apresentou nesta quinta-feira (23) o carro com o qual vai tentar manter o protagonismo na F1 em 2017. O W08 será guiado pelo tricampeão Lewis Hamilton e pelo novo piloto do time anglo-germânico, Valtteri Bottas, substituto do atual campeão e aposentado Nico Rosberg
Warm Up
FERNANDO SILVA, de Sumaré
 

O mundo do esporte finalmente conheceu o novo carro da Mercedes para a temporada 2017 do Mundial de F1. Depois de mostrar uma prévia do modelo, o W08, nova joia construída pela equipe tricampeã do mundo em Brackley, finalmente foi apresentado nesta quinta-feira (23) em Silverstone, na Inglaterra, e de lá segue para Barcelona para o começo dos testes de pré-temporada, na próxima segunda-feira. O novo carro prateado será guiado por Lewis Hamilton, tricampeão mundial de F1, e também pelo novo contratado da Mercedes, Valtteri Bottas, substituto do atual campeão e recém-aposentado Nico Rosberg

A apresentação da formação da equipe para 2017 tentou ser inovadora. A Mercedes fez uso da câmera 360º, mas a ideia acabou não dando muito certo em razão da baixa resolução das imagens. No fim das contas, foi um detalhe diante da grande estrela do dia: o novo W08 EQ Power+ e dos pilotos: Hamilton e Bottas. 

Na filosofia de não mexer muito em time que está vencendo, a Mercedes traz poucas mudanças que saltam aos olhos. No shakedown realizado por Lewis Hamilton minutos antes do lançamento, ficou claro que a pintura ostenta traços modernos na lateral do novo carro, mas mantém o tradicional prata como cor predominante. Em virtude do regulamento técnico, o novo W08 é mais largo e realmente mais robusto, mas traz algumas linhas do W07 de 2016, sobretudo com o bico arredondado. Destaque também para as aletas na lateral do novo carro.

E não há, ao menos neste primeiro momento, a 'barbatana de tubarão'. Mas a Mercedes deve testar o apêndice aerodinâmico durante sessão de filmagem ainda na tarde desta quinta-feira.
Mercedes W08 (Foto:Reprodução)
"É tão animador ver essa coisa ganhar vida", declarou Hamilton. "O pessoal está trabalhando nos túneis de vento, tem esse GIG, que obviamente não é a realidade, estamos juntando partes mais rápidas do protótipo. Fiz o molde do assento no inverno, e então ver nos últimos dias ver tudo aparecendo pronto. De alguma forma, eles juntaram tudo perfeitamente - algumas coisas precisam ser trabalhadas, mas é normal." 
 
"Guiando hoje, os pneus mais largos já deram muita aderência, mesmo com a temperatura fria daqui. Não foi um teste, só entrei no carro para alguma filmagem. Então você entra e dá algumas voltas lentas, é um shakedown. Não é um teste, eu preciso tentar ser mais rápido em algumas partes, mas aqui está bastante frio", relatou. 
 
O carro parece bem parecido com o do ano passado em termos de ergonômica, posicionamento do banco. Mas você tem essa fera maior e mais poderosa em suas mãos", encerrou.
 
A nova dupla terá a dura missão de manter a Mercedes como protagonista da F1 em um ano marcado por grandes mudanças no regulamento técnico, que certamente vai mudar a forma de guiar os novos carros do grid. A missão é espinhosa, já que novas regras costumam mudar um pouco a ordem de forças da F1. Neste ano, a Red Bull desponta como a principal oponente da Mercedes, segundo avaliação de Rosberg, mas nesta fase não dá para descartar a Ferrari ou mesmo outra equipe tendo a chance de seguir correndo por fora.

Fica a curiosidade para ver como Hamilton vai lidar com seu novo companheiro de equipe. Depois de uma relação de altos e baixos com Nico Rosberg, Lewis, que deixou claro sua posição contrária ao compartilhamento de informações entre colegas, terá em Bottas um novo oponente interno. O finlandês, que espera uma disputa justa com Hamilton, não tem nenhum histórico de grande rivalidade, uma vez que sempre se deu bem com seu último colega de time, o brasileiro Felipe Massa, nos últimos três anos na Williams.

O fato é que Valtteri começou bem no novo time, deixando boa impressão, segundo o presidente não-executivo Niki Lauda.

“Eu gosto de como o carro é limpo, mas mantendo um grande número de detalhes. Na asa traseira, nas laterais, na frente... Todos os detalhes e o desenvolvimento que foi feito. O carro parece bom, mal vejo a hora de pilotar”, declarou o finlandês.
Detalhes das mudanças na pintura para o novo Mercedes W08 (Foto: Reprodução)

A Mercedes passou a dominar a F1 desde a adoção da nova ‘Era Turbo’, a partir de 2014. De lá para cá, foram conquistadas nada menos que 51 vitórias, 65 poles, três títulos do Mundial de Pilotos (Hamilton em 2014 e 2015; Rosberg em 2016) e outros três do Mundial de Construtores. Números que refletem a supremacia prateada, mas o domínio da Mercedes fica, em teoria, ameaçado neste começo de ano, quando só será possível saber o real nível das equipes quando os carros forem à pista a partir de segunda-feira.
 
 
“Já pude ver a nova Mercedes, eles começaram a trabalhar com muita antecedência. Vi todos os detalhes, está impressionante. Do que vi, posso dizer que tem uma aparência muito atraente. Acredito que Lewis e Valtteri terão muita diversão atrás do volante neste ano. Se trata de uma autêntica revolução, não uma simples evolução”, comentou. Hamilton, por sua vez, se mostrou impressionado com a robustez do novo carro ao vê-lo antes da sua montagem: "Parece um navio, é muito maior".
 
Toto Wolff, chefe da Mercedes, também se mostrou empolgado com a nova joia construída pela equipe tricampeã do mundo. "Estou mais animado, porque fomos sortudos o bastante para sermos o melhor time nos últimos anos, mas com as mudanças de regras, não apenas os pontos voltam a zero, mas você entra numa nova era na área da inovação técnica. Então talvez alguém ache a bala de prata que se prove a chave para todo, como Ross Brawn em 2009. Espero que nós tenhamos achado a bala de prata", disse.
 
Sobre a nova era da F1, Wolff crê que "será um momento bem divertido". "Lewis e eu ficamos boquiabertos quando vimos o carro da primeira vez - e todo mundo que viu agora por Facebook e Twitter vai ficar maravilhado", seguiu.
O Mercedes W08 é bem mais largo que a sua versão anterior (Foto: Reprodução)
“Há muitos detalhes técnicos no chassi, o que é fascinante. Eles definitivamente parecem melhores, mas como vai ser guiados e o quão rápido eles vão ser é algo que não sabemos porque ainda não vimos o rendimento dos pneus”, salientou o dirigente austríaco em entrevista à BBC, desejando ver os carros na pista para saber qual seu real nível de performance.
 
Wolff é cauteloso, contudo, sobre um teórico domínio da Mercedes em 2017. Tudo em razão do novo regulamento técnico. “Em uma mudança nas regras, você tem de temer todos os teus rivais. Ninguém esperava que a Brawn fosse conquistar o título em 2009, então nós tememos todo mundo porque todos têm chances”, salientou.

Quanto à disputa na pista entre Hamilton e Bottas, Toto, que renovou seu contrato com a Mercedes até 2020, assegurou que tudo permanece como antes. Ou seja: filosofia de igualdade, com as mesmas condições para os dois pilotos. “As regras mudaram e tudo volta a começar do zero. Espero que tenhamos um carro suficientemente bom para vencer corridas e o título, mas vamos continuar dando as mesmas oportunidades a ambos”, garantiu Wolff em entrevista à emissora britânica BBC na quinta-feira passada (16).
 
“O que mais gosto no esporte é que quem soma mais pontos é que é o campeão do mundo. E é um esporte mecânico, não se trata apenas dos dois pilotos lá fora na pista, mas se trata também de produzir dois carros para que eles possam tirar o melhor do seu talento”, assegurou o dirigente austríaco.
O dispositivo testado pela Mercedes (Foto: Reprodução/Twitter)
Asa ou sensor?

Foi só Valtteri Bottas sair dos boxes para um dia de filmagem em Silverstone que uma interrogação surgiu na cabeça do público. Na cobertura do motor da Mercedes apareceu uma peça que ninguém sabe ao certo o que é. Enquanto a equipe alemã não se pronuncia, fica a dúvida: os prateados já deram jeito de desenvolver uma asa diferenciada, ou é apenas um sensor para avaliar o carro?

Caso realmente seja um dispositivo aerodinâmico, a Mercedes tomou um rumo diferenciado. A maioria das equipes aposta nas barbatanas como forma de melhorar o fluxo de ar na traseira dos carros. É a solução óbvia após a mudança de regulamento que força escuderias a diminuir a altura da asa traseira. A escuderia tricampeã seria a única a apostar em uma asa extra.


PADDOCK GP #66 RECEBE LUCAS DI GRASSI, DEBATE F-E E NOVOS CARROS DA F1


Últimas Notícias
domingo, 30 de abril de 2017
F1
F1
F1
F1
F1
F1
F1
F1
F1
F1
F1
F1
F1
F1
F1
Galerias de Imagens
Facebook