F1
16/10/2017 14:30

Motivados por pontos em Suzuka, Pérez e Ocon destacam boa fase da Force India e projetam novo bom resultado em Austin

Depois de uma série de bons resultados na fase asiática da temporada com as últimas três corridas, a Force India cruza novamente o mundo para encarar a parte final do campeonato a partir deste fim de semana com a disputa do GP dos Estados Unidos. Sergio Pérez e Esteban Ocon destacaram o bom rendimento do VJM10 com as atualizações aerodinâmicas e reforçam o otimismo para a etapa do Texas. A dupla já somou ao todo 147 pontos para o time de Silverstone no Mundial
Warm Up
Redação GP, de Sumaré
Definitivamente, a Force India vive um momento iluminado na F1. Ao longo da temporada 2017, a equipe baseada em Silverstone consolidou-se de vez como a quarta força do Mundial de Construtores, deixando para trás nomes poderosos como Williams, Renault e McLaren. Perto de confirmar o top-4 pelo segundo ano consecutivo, a Force India vai aos Estados Unidos para a disputa da 17ª etapa da temporada confiante em novamente conquistar um bom resultado depois da boa jornada nas últimas três etapas, disputadas em solo asiático. Sergio Pérez e Esteban Ocon, sétimo e oitavo colocados no Mundial de Pilotos, respectivamente, confiam em garantir mais um bom resultado no ano.
 
Para ‘Checo’, a corrida no Texas, dada a proximidade com o México, vai ser praticamente em casa, ainda que o piloto realmente vá correr no seu país na semana que vem. “A corrida em Austin é um dos meus finais de semana preferidos do ano”, afirmou o piloto nascido em Guadalajara. “Há tantos fãs mexicanos nas arquibancadas e a torcida é tão incrível que eles fazem com que essa corrida seja muito especial para mim. Minha família e meus amigos sempre vêm estar comigo no circuito, o que é uma vantagem a mais”, contou.
 
Pérez é um apreciador do traçado norte-americano, que é bastante seletivo e compreende trechos inspirados em outros circuitos, como Silverstone e Istambul. O mexicano destacou a primeira curva do traçado do Circuito das Américas, feito em subida íngreme.
Sergio Pérez feliz pela chance de correr praticamente em casa no Texas (Foto: Force India)
“É um circuito interessante, com algumas curvas bem interessantes. Acho que os esses do primeiro setor vão ser incríveis com o carro deste ano. Gosto também da primeira curva, é muito difícil frear bem e você pode facilmente a tangência cega. Você não pode mesmo ver para onde vai até que esteja em cima da curva, então é fácil chegar atrasado e travar tudo”, explicou.
 
O sentimento de ‘Checo’ com tudo o que a Force India vem alcançando é de muita felicidade. O piloto, que renovou seu acordo com a equipe por mais uma temporada, soma 82 pontos até agora, muito perto da melhor campanha da sua carreira, quando somou 101 tentos no ano passado.
 
“Eu me sinto muito feliz como as coisas estão caminhando nas últimas corridas. Estou orgulhoso pelo trabalho que estamos realizando e com os resultados que estamos conquistando. É incrível que sigamos trazendo novas peças ao carro e continuamos evoluindo. O carro está funcionando bem, e Austin deve ser outra chance para somarmos bons pontos”, complementou.
Motivado pela boa jornada em Suzuka, Ocon vai a Austin empolgado: com o circuito e com a cidade (Foto: Force India)
As palavras de Pérez sobre a performance da Force India são endossadas por Ocon, que vem de um bom sexto lugar no Japão, onde chegou a andar até em terceiro durante parte da corrida. Esteban só não pontuou apenas em uma prova do ano: o GP de Mônaco.
 
“Fiquei muito feliz com nossa corrida em Suzuka. Definitivamente, foi uma das minhas melhores corridas neste ano, e é sempre bom quando você vai embora no domingo à noite sentindo que conseguiu tirar o máximo do que estava ao nosso alcance. O carro foi rápido desde o começo dos treinos livres, como foi na Malásia. Parece que demos um grande passo em frente e acho que vamos ser fortes em todas as corridas restantes”, disse.
 
O francês se mostrou fã do circuito, mas também da cidade de Austin. “Acho que todo mundo gosta de visitar Austin. É uma cidade divertida, e curti muito no ano passado. Apesar de termos de nos concentrar na corrida, você fica na cidade e pode curtir o ambiente. Há muita música ao vivo durante a semana de corrida de alguns restaurantes excelentes na cidade”.
 
“É uma pista gostosa para pilotar porque há curvas muito distintas. O setor de alta velocidade é parecido com Silverstone. Há retas largas como Monza e há uma seção mais complicada no fim da volta. A primeira curva também é uma característica especial da volta. Como está no morro, você pode frear muito tarde, e há alguns traçados diferentes que você pode tomar para fazer a curva”, complementou.
 

Vijay Mallya, dono da Force India, também falou à prévia da equipe indiana sobre a expectativa para o GP do Japão. E reiterou o otimismo depois dos bons resultados apresentados. “As últimas corridas nos permitiram dar alguns passos significativos com a performance do VJM10. Na Malásia e no Japão, fomos a quarta equipe mais rápida, e tenho certeza que podemos continuar nesta posição nas próximas corridas”.
 
“No Japão, por exemplo, terminamos mais de 20s à frente do oitavo carro, o que é muito satisfatório em uma pista tão técnica. Graças ao trabalho duro no túnel de vento, na fábrica e na pista, estamos consolidados em quarto lugar, muito fortes no campeonato e com 81 pontos de frente para o quinto lugar. A próxima corrida, em Austin, vai ser outra chance para conseguir bons pontos e consolidar nossa quarta posição”, finalizou.
’EXTRAORDINÁRIO’

DI GRASSI VÊ HAMILTON COMO UM DOS TRÊS MAIORES DA HISTÓRIA
 

Últimas Notícias
quarta-feira, 22 de novembro de 2017
Stock Car
MotoGP
Indy
F1
F1
MotoGP
F1
Copa Grande Prêmio
F1
Endurance
Outras
Outras
Stock Car
F1
F1
Galerias de Imagens
Facebook