F1
13/04/2016 09:00

Na Garagem: Senna vence duelo incrível contra Mansell e lidera F1 pela 1ª vez

Há exatos 30 anos, Ayrton Senna, pela primeira vez na carreira, assumia a liderança do Mundial de F1. Foi depois de uma de suas mais espetaculares vitórias: por apenas 14 milésimos contra Nigel Mansell no GP da Espanha de 1986
Warm Up
RENAN DO COUTO, de São Paulo
Depois de se afirmar na F1 em 1985, Ayrton Senna queria brigar pelo título em 1986 com a Lotus. Começou fazendo a pole no Brasil e chegando em segundo, atrás da Williams de Nelson Piquet. Três semanas mais tarde, na Espanha, tratou de comprovar que já era “gente grande” com uma das melhores apresentações da carreira. Foi há exatos 30 anos, no GP da Espanha, em Jerez.
 
Naquele 13 de abril, Senna fez a segunda pole no ano. Foram oito décimos de vantagem para o segundo colocado, Piquet, e a segunda fila tinha Nigel Mansell e Alain Prost.
 
Senna manteve a ponta na largada, enquanto Mansell perdeu posições para Prost e para a outra McLaren, a de Keke Rosberg nas voltas iniciais.
Senna duela com Mansell pela vitória no GP da Espanha de 1986 (Foto: Schlegelmich)
A corrida seguiu com Mansell se recuperando aos poucos no travado circuito de Jerez, construído para as corridas de motovelocidade e usado pela F1 para o GP da Espanha. Passou Prost na 19ª volta, e Rosberg dez giros mais tarde. Na 33, deixou Piquet para trás e, seis voltas depois, ultrapassou Senna para lhe tomar a ponta – quando o motor de Piquet o deixou a pé.
 
O problema do inglês foi que, depois disso, não conseguiu abrir mais.
 
Diferentemente do que há hoje na F1, com três tipos de compostos por corrida, no GP da Espanha de 1986, os pilotos da Goodyear largaram para tentar chegar até o fim sem precisar ir aos boxes. E Mansell, andando o tempo todo no tráfego e lutando por ultrapassagens, gastou muito mais a borracha em relação aos adversários.
 
Assim sendo, Senna permaneceu em sua cola e, a dez voltas do fim, atacou para recuperar na marra a liderança. A manobra fez Mansell perder o ritmo e o segundo lugar para Prost.
 
Com a terceira posição longe de estar ameaçada, Mansell resolveu apostar. Foi aos boxes e voltou com pneus novos – bem atrás de Senna e Prost, mas muito mais rápido. Não demorou para que ele alcançasse o francês e o superasse. Então começou a perseguição a Ayrton: eram quatro voltas até a bandeirada.
 
Mansell chegou, mas já sem tempo. Na F1, não existe o “se tivesse mais uma volta”. Cada GP é desenhado para ter 300 km, e quem desenhar a melhor estratégia chega à frente. Foi o caso de Senna, com a aposta de Mansell se mostrando a pior por apenas 14 milésimos – menos de meio carro.
 
Foi a terceira vitória de Senna na F1, a primeira em 1986. Após duas etapas, o piloto da Lotus tinha 15 pontos, seis a mais que Piquet, e pela primeira vez na carreira ocupava a liderança do Mundial de Pilotos. Senna seguiria brigando pelo título até a metade da temporada, mas perdeu fôlego na reta final e foi apenas um observador na decisão em Adelaide, Piquet e Prost.
 
Mas o GP da Espanha de 1986 ficou marcado na história como um dos mais memoráveis de todos os tempos.
 


Últimas Notícias
domingo, 20 de agosto de 2017
Superbike
DTM
F-Inter
F1
sábado, 19 de agosto de 2017
Indy
Seletiva BR
Indy
F3
Rali
Indy
Indy
Nascar
Indy
F3
F3
Galerias de Imagens
Facebook