F1
02/12/2016 11:17

Novo campeão mundial, Rosberg surpreende e anuncia fim da carreira da F1 com efeito imediato

O anúncio mais surpreendente que o automobilismo poderia ter neste fim de ano: Nico Rosberg acaba de anunciar nesta sexta-feira (2) que está deixando a F1. O alemão alegou que não tem mais motivação de se sacrificar para obter um novo título na categoria
Warm Up
FERNANDO SILVA, de Sumaré


O anúncio mais surpreendente que o automobilismo poderia ter neste fim de 2016: Nico Rosberg acaba de anunciar nesta sexta-feira (2) que está deixando a F1, na semana em que finalmente garantiu o campeonato. O motivo é a falta de motivação para ir atrás de outro título mundial, no sentido de que não quer se sacrificar da forma que alegou ter feito para conquistar a taça deste ano.

“Para mim, é um dia muito especial por receber o troféu nesta noite. Vai ser incrível, mas por outra razão: quero aproveitar a oportunidade para anunciar o encerramento da minha carreira na F1. Desde quando comecei, aos seis anos, tive esse sonho: se tornar campeão mundial, e isso estava claro em minha mente. Conquistei isso, dei tudo por isso, e com ajuda dos fãs consegui alcançar isso. Vou lembrar disso para sempre”, declarou o agora, surpreendentemente aposentado Rosberg, durante a festa de premiação da FIA (Federação Internacional de Automobilismo).
 
O anúncio da aposentadoria de Rosberg veio na esteira da sua melhor temporada na F1. Uma temporada em que finalmente realizou seu sonho de ser campeão do mundo em cima do rival mais duro da sua carreira, Lewis Hamilton
Nico Rosberg vai se retirar da F1 após campeonato (Foto: Mercedes)

Rosberg, depois de 11 temporadas na F1, se consolidou como um dos astros do grid, mas foram anos e mais anos de polêmicas e desgaste que fizeram com que o alemão chegasse a esta decisão. 

E a história da temporada 2016 do filho de Keke Rosberg  começou com nada menos que quatro vitórias consecutivas e sete, contando as três últimas do ano passado, fazendo-o igualar o recorde de Michael Schumacher e Alberto Ascari.

Naquela altura da vitória no GP da Rússia, o quarto da temporada, Rosberg abriu nada menos que 43 pontos de vantagem para Hamilton. Mas depois do polêmico incidente envolvendo Hamilton na primeira volta do GP da Espanha, Hamilton deu a volta por cima e conseguiu equilibrar o jogo, enfileirando vitórias em Mônaco, no Canadá, na Áustria — depois de uma manobra polêmica de Nico na última volta —, além dos triunfos em casa, na Inglaterra, e também na Alemanha. Neste tempo, Rosberg triunfou apenas em Baku, no Azerbaijão. 
 
Assim, Hamilton terminou o primeiro semestre 19 pontos à frente de Rosberg e indicava ser o grande favorito ao título. Só que Nico surpreendeu com um grande virada na segunda parte do campeonato, começando a partir do GP da Bélgica.

Vieram, então, as vitórias na Bélgica, na Itália e em Cingapura, lograda de maneira brilhante. Na Malásia, Hamilton despontava como o grande favorito e liderava a prova, mas uma quebra no motor do seu carro quando restavam perto de dez voltas para o fim, praticamente jogou por terra suas chances de título. Depois de uma grande ‘remontada’ ao cair para último após ter sido acertado por Sebastian Vettel, Rosberg terminou em terceiro e ficou bem perto do título.
Nico Rosberg surpreendeu o mundo do esporte a motor ao anunciar aposentadoria da F1 (Foto: Reprodução/Facebook)
Em Suzuka, novo revés de Hamilton, que falhou na largada e praticamente deu ‘de bandeja’ a vitória a Rosberg, que abriu vantagem suficiente para não precisar mais vencer nas quatro corridas restantes para o fim da temporada para ser campeão. E foi exatamente isso o que aconteceu: Nico terminou os GPs dos Estados Unidos, do México, do Brasil e de Abu Dhabi em segundo lugar. Mesmo com Hamilton vencendo todas as provas, Rosberg se manteve na liderança e fechou o ano com 385, contra 380 de Hamilton.

O que ninguém poderia imaginar era que dias depois da maior conquista da sua carreira, no dia em que vai receber o troféu de campeão do mundo, Rosberg anunciaria ao mundo o fim da sua trajetória como piloto de F1. Nico agora se junta a Felipe Massa e Jenson Button, que também decidiram deixar a maior das categorias ao fim desta temporada.

A aposentadoria totalmente inesperada de Rosberg abre uma outrora improvável vaga na melhor equipe da F1. Claro, tudo ainda se faz muito recente, mas o cenário aponta para que Pascal Wehrlein seja o substituto do novo campeão mundial de F1 em 2017, visto que trata-se do reserva imediato da equipe prateada. Vice-campeão neste ano, Hamilton tem contrato com o time alemão até 2018.

A declaração completa de Nico Rosberg:

"Em 25 anos no automobilismo, foi meu sonho, meu único, me tornar campeão mundial de F1. Através de trabalho duro, de dor, dos sacrifícios, sempre foi minha meta. E agora eu consegui. Subi minha montanha, estou no meu auge, me sinto bem. Minha emoção mais forte agora é agradecer a todos que me apoiaram por fazer esse sonho acontecer.
 
Esta temporada, digo a vocês, foi muito dura. Fiquei louco depois das decepções nos últimos dois anos, mas elas abasteceram minha motivação a níveis que eu nunca tinha experimentado. E é claro que tive um impacto naqueles que eu amo também: foi um esforço familiar completo de sacrifício, pondo tudo atrás do meu objetivo. Mal posso encontrar palavras para agradecer a minha esposa Vivian: ela tem sido incrível e entendeu que esse era o ano, nossa oportunidade de fazer isso, e abrir o espaço para eu me recuperar por completo entre cada corrida, olhando para nossa filha todas as noites, lidando quando as coisas ficaram difíceis e pondo nosso campeonato como prioridade.
 

Quando venci em Suzuka, do momento onde o destino do título estava em minhas próprias mãos, começou uma grande pressão e comecei a pensar sobre encerrar minha carreira no automobilismo se eu me tornasse campeão mundial. No domingo de manhã em Abu Dhabi, eu sabia que essa poderia ser minha última corrida, e esse sentimento abriu minha cabeça antes da largada. Queria aproveitar cada parte da experiência, sabendo que poderia ser a última... e então as luzes se apagaram, e eu tive as mais intensas 55 voltas de minha vida. Tomei a decisão na segunda-feira à noite. Depois de refletir por um dia, as primeiras pessoas com que falei foram Vivian e Georg [Noite, empresário], e depois com Toto (Wolff).
 
A única coisa que faz essa decisão de qualquer forma difícil é porque eu coloquei minha família do automobilismo em uma situação difícil. Mas Toto entendeu. Ele sabia que eu tinha plena conviccção e me tranquilizou. Minha conquista mais orgulhosa no automobilismo será sempre ter sido campeão com essa incrível equipe de pessoas, as Flechas Prateadas.
 
Agora estou aqui só curtindo o momento. Haverá tempo para saborear nas próximas semanas, para refletir sobre a temporada e para aproveitar cada experiência que virá em meu caminho. Depois, vou virar a próxima curva em minha vida e ver o que tem para mim..."

Últimas Notícias
quinta-feira, 19 de janeiro de 2017
Rali
Rali
F-E
Outras
MotoGP
MotoGP
F1
Indy
MotoGP
MotoGP
F1
F1
Rali
F1
MotoGP
Galerias de Imagens
Facebook