F1
14/03/2017 14:32

Ocon reconhece temporada “impressionante” de Pérez em 2016 e fala: “Quero desafiá-lo já na primeira corrida”

Esteban Ocon celebrou a chance de trabalhar ao lado de um piloto experiente como Sergio Pérez, mas afirmou que quer desafiar o mexicano deste o início da temporada. O titular da Force India colocou como meta pontuar em todas as etapas do ano
Warm Up
Redação GP, de São Paulo
 
Esteban Ocon não consegue esconder a alegria por fazer parte da Force India. Às vésperas do início da temporada 2017 da F1, o piloto de 20 anos celebrou a chance de trabalhar ao lado de Sergio Pérez e destacou a evolução do time de Vijay Mallya ao longo do ano.
 
Em entrevista ao site oficial da ‘F1’, Ocon avaliou que correr pela Manor em 2016 já foi bastante positivo, mas celebrou a chance de se juntar a um time que fechou o ano com o quarto posto no Mundial de Construtores.
Esteban Ocon celebrou a chance de guiar pela Force India (Foto: Sahara Force India)
“Estou muito feliz”, resumiu. “Começar a minha carreira com a Manor já foi ótimo, e aí, no fim de 2016, recebi a chance da Force India. Isso é uma oportunidade incrível para mim: como jovem piloto, me juntar a um time bem sucedido e ao lado de Checo Pérez, que tem muita experiência. Isso é simplesmente fantástico”, comentou.
 

Recém-chegado a uma equipe que manteve muita estabilidade nos últimos anos, Ocon confessou que ainda não decorou o nome de todos os funcionários da equipe, mas destacou que se integrou bem ao time.
 
“Tive uma boa preparação com eles ao longo do inverno. Nós tivemos dois meses para nos prepararmos para a temporada, então treinei bastante e, nos intervalos, fiz algum trabalho de simulador e algumas reuniões com o time. Conheci todos na equipe — todos, incluindo também o departamento aerodinâmico, para entender quem fazia o que e quem é responsável pelo que”, contou. “Tenho de confessar que eu ainda não sei todos os nomes, já que é uma equipe maior que a Manor, mas estou trabalhando duro nisso”, assegurou.
 
Ainda, Esteban elogiou a temporada de Pérez em 2016 e se disse ansioso para trabalhar com o mexicano, mesmo deixando claro que sua meta é incomodar o novo companheiro de equipe.
 
“Ele teve uma temporada incrível no ano passado. Colocou o time para frente. Foi muito impressionante ver o que ele fez”, opinou. “A Force India está ganhando posições a cada ano, então estou ansioso para trabalhar com ele. Já aprendi muito com ele nos dois testes, mas testar é uma coisa. Quero desafiá-lo assim que chegarmos à primeira corrida”, brincou.
 
Questionado sobre como tem sido a colaboração entre eles, Ocon respondeu: “Nós avaliamos os dados, discutimos o que encontramos a cada sessão. O feedback dele é realmente ótimo”.
 
Apesar da pouca experiência na F1, Ocon sabe que chega à F1 com uma grande responsabilidade, já que substitui Nico Hülkenberg.
 
“Tenho de entregar logo de cara. O time quer que eu substitua Nico, e isso inclui resultados. Então não tenho tempo para alcançar a velocidade. Tenho de fazer isso logo de cara”, ponderou. “Daí uma boa preparação com o time ao longo do inverno. No fim, resultados se traduzem em mais fundos e isso significa um carro melhor, mais rápido. É simples assim”, resumiu.
 
A caminho de seu segundo ano na F1, Ocon destacou a importância de sua passagem pela Manor e lamentou a ausência do time no grid.
 
“Extremamente importante. A Manor foi realmente ótima, porque eles estavam forçando muito, já que isso representava simplesmente a sobrevivência deles. Com o orçamento que eles tinham, eles trabalharam extremamente bem, de forma muito profissional. Para mim, significou que eu aprendi todos os aspectos da F1 em um curso intensivo. Estou realmente triste que a Manor não esteja mais no grid”, lamentou.
 
Esteban, aliás, evitou entrar em polêmicas ao ser indagado se ficou aliviado por pular para a Force India enquanto Pascal Wehrlein, agora seu ex-companheiro de equipe, vai guiar pela Sauber.
 
“Não posso dizer nada a respeito disso. A Force India me escolheu. Só isso. Fico feliz que Pascal também tenha conseguido uma vaga”, afirmou.
 
Por fim, Esteban traçou suas metas e exaltou a boa performance do VJM10, o carro da Force India para a temporada.
 
“Minha meta pessoal seria pontuar em todas as corridas. Isso seria muito legal. Melbourne é um lugar onde todos liberam suas máquinas, então vamos ver qual é a realidade. Tenho uma ótima sensação com o VJM10. O equilíbrio está certo e o motor Mercedes é simplesmente o melhor, também no que diz respeito à confiabilidade. Então vamos ver se posso confiar nas minhas sensações”, concluiu.
PADDOCK GP #68 ANALISA SEGUNDA SEMANA DE TESTES DA F1 EM BARCELONA



Últimas Notícias
terça-feira, 19 de setembro de 2017
F-E
MotoGP
F-E
F1
F1
F1
MotoGP
F1
MotoGP
F1
F1
Warm Up
F1
F1
segunda-feira, 18 de setembro de 2017
MotoGP
Galerias de Imagens
Facebook