F1
14/03/2017 07:15

Presidente da Ferrari descarta favoritismo, vê Mercedes ainda à frente e torce por volta por cima da McLaren

Com um discurso bem diferente do que foi adotado em 2016, Sergio Marchionne adotou um tom bem mais humilde mesmo após o bom desempenho da Ferrari nos testes de pré-temporada e disse que a Mercedes continua sendo a grande força da F1. O executivo se compadeceu da fase difícil da eterna rival McLaren e disse torcer pela recuperação da icônica equipe britânica
Warm Up
Redação GP, de Sumaré
 

Há pouco mais de um ano, a Ferrari se mostrou bem competitiva nos testes de pré-temporada. O desempenho animou tanto o presidente Sergio Marchionne que o discurso foi otimista ao extremo. A ponto de o dirigente cobrar a vitória desde a primeira corrida de 2016, na Austrália. A vitória não veio, nem em Albert Park e em nenhum dos outros 20 GPs da temporada. Depois de tanto falar, a Ferrari aprendeu a lição.
 
Em 2017, o tom foi de muito trabalho e poucas palavras. Marchionne deixou a habitual paixão italiana de lado e adotou um discurso bem mais ‘pés no chão’ desde o início do ano e, mesmo com a grande performance da nova SF70H com Sebastian Vettel e Kimi Räikkönen, o presidente da escuderia de Maranello não quer saber de favoritismo. O presidente entende que a Mercedes ainda continua à frente na F1.
Marchionne ainda vê a Mercedes como a protagonista da F1 após os testes de inverno (Foto: AP)
Ao comentar sobre o desempenho da Ferrari nos testes de inverno na Espanha, Marchionne entende que a escuderia cumpriu com as suas metas. “Tínhamos dois objetivos nos testes de Barcelona. Em primeiro lugar, estar lutando com a Red Bull e, em segundo, ter um carro confiável. Para mim, a Mercedes continua à frente”, declarou o dirigente em entrevista veiculada pela agência ‘GMM’.
 
Enquanto a Ferrari desponta como uma das grandes candidatas às vitórias em 2017, a eterna rival da escuderia de Maranello não consegue se encontrar. Longe das vitórias desde 2012, a McLaren continua capengando mesmo após três anos de calvário. Nos testes de pré-temporada, os problemas no motor Honda prejudicaram os trabalhos do time de Woking.
 

Marchionne torce pela reação da rival. “Desejo uma boa recuperação à McLaren-Honda”, disse o executivo, que previu uma temporada das melhores para a F1 como um todo em razão do novo regulamento técnico, que deixou a condução dos novos carros bem mais desafiadora do que nos últimos anos.
 
“Esta temporada vai ser interessante. Os carros são muito mais rápidos, e os pilotos realmente terão de suar para ganhar seu salário. Acho que eles vão ficar muito mais suados quando deixarem seus carros”, finalizou.

PADDOCK GP #68 ANALISA SEGUNDA SEMANA DE TESTES DA F1 EM BARCELONA


Últimas Notícias
domingo, 28 de maio de 2017
Indy
Indy
F1
F1
F1
F1
F1
F1
F1
F1
F1
Superbike
F1
F1
F1
Galerias de Imagens
Facebook