F1
14/03/2017 07:15

Presidente da Ferrari descarta favoritismo, vê Mercedes ainda à frente e torce por volta por cima da McLaren

Com um discurso bem diferente do que foi adotado em 2016, Sergio Marchionne adotou um tom bem mais humilde mesmo após o bom desempenho da Ferrari nos testes de pré-temporada e disse que a Mercedes continua sendo a grande força da F1. O executivo se compadeceu da fase difícil da eterna rival McLaren e disse torcer pela recuperação da icônica equipe britânica
Warm Up
Redação GP, de Sumaré
 

Há pouco mais de um ano, a Ferrari se mostrou bem competitiva nos testes de pré-temporada. O desempenho animou tanto o presidente Sergio Marchionne que o discurso foi otimista ao extremo. A ponto de o dirigente cobrar a vitória desde a primeira corrida de 2016, na Austrália. A vitória não veio, nem em Albert Park e em nenhum dos outros 20 GPs da temporada. Depois de tanto falar, a Ferrari aprendeu a lição.
 
Em 2017, o tom foi de muito trabalho e poucas palavras. Marchionne deixou a habitual paixão italiana de lado e adotou um discurso bem mais ‘pés no chão’ desde o início do ano e, mesmo com a grande performance da nova SF70H com Sebastian Vettel e Kimi Räikkönen, o presidente da escuderia de Maranello não quer saber de favoritismo. O presidente entende que a Mercedes ainda continua à frente na F1.
Marchionne ainda vê a Mercedes como a protagonista da F1 após os testes de inverno (Foto: AP)
Ao comentar sobre o desempenho da Ferrari nos testes de inverno na Espanha, Marchionne entende que a escuderia cumpriu com as suas metas. “Tínhamos dois objetivos nos testes de Barcelona. Em primeiro lugar, estar lutando com a Red Bull e, em segundo, ter um carro confiável. Para mim, a Mercedes continua à frente”, declarou o dirigente em entrevista veiculada pela agência ‘GMM’.
 
Enquanto a Ferrari desponta como uma das grandes candidatas às vitórias em 2017, a eterna rival da escuderia de Maranello não consegue se encontrar. Longe das vitórias desde 2012, a McLaren continua capengando mesmo após três anos de calvário. Nos testes de pré-temporada, os problemas no motor Honda prejudicaram os trabalhos do time de Woking.
 

Marchionne torce pela reação da rival. “Desejo uma boa recuperação à McLaren-Honda”, disse o executivo, que previu uma temporada das melhores para a F1 como um todo em razão do novo regulamento técnico, que deixou a condução dos novos carros bem mais desafiadora do que nos últimos anos.
 
“Esta temporada vai ser interessante. Os carros são muito mais rápidos, e os pilotos realmente terão de suar para ganhar seu salário. Acho que eles vão ficar muito mais suados quando deixarem seus carros”, finalizou.

PADDOCK GP #68 ANALISA SEGUNDA SEMANA DE TESTES DA F1 EM BARCELONA



Últimas Notícias
quinta-feira, 21 de setembro de 2017
MotoGP
Superbike
F1
MotoGP
F-E
MotoGP
MotoGP
Nascar
F1
MotoGP
F-E
F1
F1
MotoGP
Indy
Galerias de Imagens
Facebook