F1
19/04/2017 06:30

Renault apresenta “visão de futuro da F1” e mostra carro-conceito com cockpit fechado para 2027

A Renault divulgou imagens do seu protótipo de carro-conceito sobre o que imagina que vai ser a F1 dentro de dez anos. O modelo, batizado de R.S. 2027, foi apresentado no Salão do Automóvel de Xangai. O carro é dotado de cockpit fechado, 600 kg e potência estimada em 1.340 cv
Warm Up
Redação GP, de Sumaré
 

A Renault mostrou ao mundo nesta quarta-feira (19) aquilo que entende ser a sua visão de futuro sobre a F1 dentro de dez anos. O carro-conceito batizado R.S. 2027 foi apresentado no Salão do Automóvel de Xangai e também nas redes sociais da montadora francesa. À primeira vista, o protótipo se assemelha com o Roborace, carro autônomo desenvolvido em conjunto com a F-E. O R.S. 2027 é dotado de cockpit fechado, tração nas quatro rodas e impulsionado por um motor de combustão, mas também por um sistema de baterias cinco vezes mais potentes do que hoje equipam as unidades de potência dos carros de F1. O modelo tem peso estimado de 600 kg e potência de 1.340 cv. No fim de 2015, a McLaren também apresentou um protótipo de carro-conceito.
 
Um dos conceitos apresentados pela Renault na divulgação do R.S. 2027 diz respeito à relação entre piloto e fã. A cúpula da cobertura do cockpit é transparente, da mesma forma que o capacete utilizado pelo piloto na apresentação. Assim, seria possível ao fã do esporte poder acompanhar de forma muito mais nítida as reações do competidor em ação na pista.
A Renault apresentou seu conceito de F1 do futuro para dentro de dez anos (Foto: Renault Sport)
No quesito segurança, a Renault projetou, além do cockpit fechado, duas barras de titânio, que seriam acionadas em um eventual acidente. O carro também é dotado de leds inclusive nas rodas. No fim das contas, são conceitos que se somam com o que a própria montadora pensa sobre o que deveria ser a F1 do futuro.
 
Na esteira do que pensa Ross Brawn, novo diretor esportivo da F1, a Renault sugere que os fãs tenham mais acesso à telemetria dos carros. A montadora também pega carona no sucesso do ‘Fanboost’ da F-E, como também vai fazer a Stock Car, e sugere a adoção de dispositivo semelhante na F1, onde os espectadores teriam a chance de ajudar seus pilotos preferidos no fim das corridas do Mundial.
O carro-conceito R.S. 2027 é dotado de cockpit fechado de cristal transparente (Foto: Renault Sport)
A Renault sugere também uma mudança no formato do fim de semana de corridas, com um GP sendo dividido em duas partes: uma corrida maior e principal, com 250 km de extensão, e outra mais curta, também definida pela montadora como ‘Sprint Final’ para completar a distância que hoje gira na casa dos 305 km.
 

Ainda sobre os finais de semana da F1, a Renault gostaria de ver implementada a ideia de uma corrida para pilotos novatos, que seria realizada às sextas-feiras de GP com os reservas e jovens oriundos dos programas de desenvolvimento das equipes.
 
No fim das contas, é na relação esporte-fã que a Renault aposta para que a F1 do futuro seja sustentável. “Um dos papeis que tem a Renault Sport Racing é antecipar o futuro da F1 para que ela chegue ao máximo de fãs em um entorno consistente e com os objetivos do Grupo Renault. Estamos desejando motivar debates inspiradores na comunidade das corridas, nos fãs e entusiastas com este protótipo que manifesta nossas ideias e desejos”, afirmou Cyril Abiteboul, diretor-executivo da equipe aurinegra na F1.

PADDOCK GP #74 DEBATE: QUAIS OS PILOTOS COM POTENCIAL DE FUTURO CAMPEÃO MUNDIAL DE F1?



Últimas Notícias
sexta-feira, 23 de junho de 2017
Indy
F2
Indy
Indy
Indy
F1
F1
Indy
MotoGP
F1
F1
F1
F1
Indy
F1
Galerias de Imagens
Facebook