F1
14/10/2016 09:08

Renault confirma acordo com Hülkenberg e começa processo de reconstrução a partir da temporada 2017

A Renault não demorou depois da Force India abrir a porta e anunciou oficialmente o acerto com Nico Hülkenberg para assumir um dos carros do time francês na temporada 2017. Depois de muita discussão nos últimos meses, a Renault enfim dá um passo real na direção da resolução de sua novela
Warm Up
EVELYN GUIMARÃES, de Curitiba
GABRIEL CURTY, de São Paulo
PEDRO HENRIQUE MARUM, do Rio de Janeiro

Pouco tempo passou desde que ainda no começo da manhã desta sexta-feira (14) a Force India confirmou a saída de Nico Hülkenberg, abrindo a porta que vinha sendo forçada pela Renault. Sem ter o que esperar, a equipe da fábrica francesa quebrou o silêncio e deu sua primeira mostra de força desde o retorno à F1 enquanto equipe: confirmou a chegada de Hülkenberg para a temporada 2017.

Em sua quarta equipe na F1, o alemão exaltou a história da Renault e comemorou o fato de estar pela primeira vez em uma equipe de fábrica.

"Estou muito feliz por estar na Renault em 2017. A Renault sempre foi protagonista no esporte a motor, tem grandes histórias: foi na passagem pela Renault que Michael Schumacher não só transformou a Alemanha em uma nação de F1, como despertou minha paixão pelo automobilismo. Quero escrever novos capítulos aqui dentro, ajudar a desenvolver este carro. Eu sempre sonhei em guiar por uma equipe de fábrica. Com o novo regulamento, nosso time terá novas oportunidades. Nos próximos anos, a Renault vai ser uma grande desafiante na F1, não vejo a hora de fazer parte desta família", disse.

Presidente do esporte a motor da Renault, Jérôme Stoll destacou a mistura de talento e experiência que Hülkenberg oferece para a Renault no segundo ano do time desde o retorno à F1.
 
"2017 é o segundo ano da Renault desde o retorno e também o próximo passo na nossa jornada. Esta temporada foi para nos colocar dentro do esquema e pensar no futuro. Nosso próximo passo pedia um piloto experiente e faminto por pódios. Hülkenberg preenche de forma perfeita o que queríamos. Ele é muito talentoso, dedicado e motivado. Nico vai conseguir transformar nosso trabalho duro em resultados em 2017 e além. Estamos ansiosos para tê-lo no nosso novo carro", comentou.
 
Vencedor das 24 Horas de Le Mans de 2015 pela Porsche e considerado um dos melhores pilotos de sua geração, Hülkenberg demorou até ser cotado como peça-chave do mercado de pilotos para 2017. Nas últimas 24 horas estava evidente que o negócio se encontrava perto de ser finalizado.
 
Tanto foi que, pela manhã, Nico até brincou no Twitter colocando a imagem da capa da versão online do jornal alemão 'Bild' que cravava sua ida para a Renault com um comentário sobre o jogo entre Borussia Dortmund e Hertha Berlim pela Bundesliga, que estava em espaço bem menor entre os destaques.
 
Depois de seis anos como piloto titular na F1, quatro deles pela Force India, é enfim a hora que tanto se esperava na carreira de Hülkenberg: finalmente o alemão vai ter a oportunidade de guiar por uma equipe de fábrica com grande orçamento.
Nico Hülkenberg (Foto: Force India)

Interessada em pilotos mais experientes - especialmente devido à mudança drástica nos regulamentos para 2017 -, a Renault já vinha buscando novos nomes no grid da F1, também por ter iniciado a temporada com o jovem Kevin Magnussen e o novato Jolyon Palmer. Entende-se que a equipe sondou Felipe Massa, Stoffel Vandoorne e até mesmo Carlos Sainz Jr., além de Sergio Pérez, que por muito tempo foi colocado como peça chave do mercado de pilotos. Só que o mexicano acabou por renovar seu contrato com a Force India, o que o retirou da disputa. Valtteri Bottas foi o último a entrar na lista da montadora.
 
Aí Hülk entrou em cena na briga por uma vaga na escuderia. Mas, apesar de todo o esforço do time de Vijay Mallya, foi impossível mantê-lo na esquadra. Agora, o piloto se prepara para defender pela primeira vez na carreia uma equipe de fábrica na F1, que também planeja uma reconstrução a partir do próximo ano.

Uma carreira sólida

Nico Hülkenberg foi o campeão da temporada 2008 da F3 Europeia e, no ano seguinte, faturou o caneco da GP2. Em 2010, o alemão entrou na F1 e chocou todo mundo ao cravar a pole na pista molhada de Interlagos. Pontuando em sete das 19 corridas, Hülk terminou o ano em 14º.
 
Após um ano de piloto de testes da Force India, Hülkenberg virou titular da escuderia indiana em 2012, destacando-se com um quarto lugar na Bélgica e outros dois top-5, chegando em 11º no geral. Em 2013, pela Sauber, Hülk terminou em décimo, pontuando em mais da metade das provas.
Nico Hülkenberg chegou em quarto no GP da Bélgica de 2016 (Foto: Force India)
2014 marcou o retorno do alemão à Force India. O primeiro ano de retomada da parceria foi um sucesso para Hülk, que só foi ficar fora dos pontos em quatro corridas. Foi essa a temporada que o germânico fechou na melhor posição, um nono lugar. 
 
Em 2015, Hülk por muitas vezes foi batido pelo companheiro Sergio Pérez, algo que não era comum em sua carreira até aquele ponto. O alemão, mesmo assim, fechou mais um ano dentro do top-10. 
 
Na atual temporada, Hülk até teve grandes momentos como o segundo lugar no grid da Áustria e o quarto posto na Bélgica, mas, mais uma vez, está atrás do companheiro mexicano nos pontos.


Últimas Notícias
quarta-feira, 28 de junho de 2017
F1
F1
Stock Car
Rali
Superbike
Copa GP de Kart
F1
MotoGP
F1
F1
F1
F1
MotoGP
MotoGP
F1
Galerias de Imagens
Facebook