F1
07/07/2016 20:40

Rosberg aceita condições da Mercedes, mas segue negando culpa pelo toque com Hamilton: “Tenho opinião diferente”

Nico Rosberg seguiu negando culpa pelo incidente com Lewis Hamilton na volta final do GP da Áustria, na semana passada, mas aceitou as condições da Mercedes para que ambos continuem lutando livremente pelo título deste ano na F1
Warm Up
Redação GP, de Curitiba

Nico Rosberg disse que aceitou as regras impostas pela Mercedes depois do incidente que protagonizou com o companheiro Lewis Hamilton na volta final do GP da Áustria, disputado na semana passada. Após a nova polêmica envolvendo a dupla, a Mercedes chamou ambos para uma conversa nesta quinta-feira (7), véspera dos treinos para a etapa da Inglaterra, e deixou claro que não vai mais tolerar outro toque entre os dois. Ainda assim, manteve a política de igualdade de condições e vai permitir que os dois lutem livremente pelo título da temporada deste ano.
 
"Com certeza, este é um assunto bem sério e que precisa ser discutido", afirmou o piloto alemão, líder do campeonato com 11 pontos de vantagem para colega inglês. "Nós somos companheiros de equip, no fim das contas, e devemos evitar qualquer toque ou colisões, porque isso acaba custando pontos importantes para a equipe de certa forma", completou Rosberg.
 
"Definitivamente, precisávamos discutir o que aconteceu, e foi isso que fizemos, mas foi de maneira construtiva. Chegamos a um acordo e agora temos de seguir em frente", acrescentou o dono do carro #6.
Nico Rosberg é o líder do campeonato desde a primeira prova de 2016 (Foto: Getty Images)

Rosberg reiterou que agora só pensa em olhar para o futuro e seguir tentando conquistar o título. "Isso agora faz parte do passado. Estou totalmente focado no que vem pela frente e neste fim de semana", falou o filho de Keke, que se recusou ainda a assumir a culpa pelo incidente no Red Bull Ring, apesar dos comissários de prova terem colocado a responsabilidade pelo toque em sua conta.
 
"Não é preto e branco, definitivamente", explicou. "Eu respeito a decisão dos comissários de prova e respeito porque chegaram a essa conclusão como um grupo. Mas isso não significa que eu tenha de acordar com eles. A minha opinião é diferente", contou Nico.
 
Por consequência, o alemão também disse que não se desculpou com Hamilton ou à equipe pelo incidente. "Não é uma questão de pedir desculpa. Estamos seguindo adiante e, como disse, o que passou, passou. Nós tivemos nossas discussões, já passamos por isso antes e, juntos, fomos em frente. E é isso que vai acontecer agora."
 
"A grande coisa é que estamos livres para correr, que é o que queríamos. Então, isso ainda permanece inalterado. E é o que importa, certo?", emendou.
 
Por fim, Nico ressaltou que as negociações para a renovação de seu contrato seguem o curso normal. "O que aconteceu foi algo de momento e não vai ter qualquer impacto sobre o que vamos fazer a longo prazo", finalizou.
PADDOCK GP #36 ANALISA FIM DE SEMANA DE POLÊMICAS NA F1 E NA F-E



Últimas Notícias
segunda-feira, 26 de junho de 2017
F1
F1
F1
Superbike
MotoGP
Nascar
F1
Nascar
MotoGP
MotoGP
F1
F1
MotoGP
F1
MotoGP
Galerias de Imagens
Facebook