F1
10/05/2015 13:45

Rosberg dispara na ponta, vence na Espanha e renasce na temporada 2015 da F1. Massa termina em sexto

Lewis Hamilton bem que tentou lutar pela liderança ao adotar uma tática de três paradas, mas não conseguiu tirar a vitória das mãos de Nico Rosberg, que triunfou pela primeira vez em 2015. Renascido na temporada, o alemão fechou um fim de semana de sonhos em Barcelona. Felipe Massa terminou a prova num discreto sexto lugar
Warm Up
FERNANDO SILVA, de Sumaré
Renascimento. Esta talvez seja a palavra que melhor traduz o atual momento de Nico Rosberg na F1. Depois de ter sido surrado por Lewis Hamilton nas primeiras quatro corridas do ano e ver seu potencial ser questionado mundo a fora, o alemão consolidou um fim de semana marcante com a vitória no GP da Espanha, quinta etapa da temporada 2015 da F1. Pole-position da corrida realizada neste domingo (10), em Barcelona, o piloto da Mercedes não deu chances a Lewis Hamilton, que tentou lutar pela vitória com uma estratégia diferente de três paradas, mas não foi o bastante para bater Nico, que se coloca novamente como um real postulante ao título pelo carro que possui.

Sem conseguir superar Rosberg, Hamilton teve de se contentar com o segundo lugar na prova. Foi uma corrida relativamente agitada para Lewis, que teve de lidar com um problema durante seu primeiro pit-stop e arriscou tudo ao andar 'com a faca entre os dentes' para recuperar terreno ao vir com estratégia distinta dos demais ponteiros. Mas foi justamente essa tática que o colocou à frente de Sebastian Vettel na fase final da prova. O alemão largou muito bem e aproveitou a melhor tração do lado limpo da pista e ultrapassou o britânico, mas não conseguiu resistir ao melhor desempenho da Mercedes. Ainda assim, Seb voltou ao pódio depois de uma jornada complicada no Bahrein, mas já começa a perder terreno para Hamilton e Rosberg na briga pela ponta do campeonato.

Felipe Massa largou em nono lugar, conseguiu recuperar boas posições, sobretudo com a queda de desempenho da Toro Rosso, e avançou para sexto. Mas o brasileiro acabou sendo discreto depois do bom início de corrida e não foi capaz de chegar perto de Valtteri Bottas e Kimi Räikkönen, que lutaram até o fim pelo quarto lugar, com o finlandês da Williams levando a melhor. Felipe Nasr não teve como brigar contra Carlos Sainz Jr. e Max Verstappen e acabou cruzando a linha de chegada em 12º.

“Foi um fim de semana perfeito. Ótimo vencer uma corrida como essa, estou muito feliz. Também agradeço à equipe, o carro esteve perfeito durante todo o fim de semana”, disse Rosberg. “Finalmente consegui uma grande largada. Estava demorando, mas hoje realmente deu certo, foi incrível. Perfeito durante todo o fim de semana, então excelente", completou.
Nico Rosberg foi o homem do domingo no GP da Espanha (Foto: AP)

Confira como foi o GP da Espanha de F1:

Com 25ºC de temperatura ambiente e 45º no asfalto e mais de 86 mil pessoas nas arquibancadas, começou a quinta etapa do Mundial de F1. Rosberg fez uma grande largada e manteve a liderança, diferente de Hamilton, que não tracionou bem e foi ultrapassado por Vettel, aproveitando o lado mais limpo da pista. Bottas manteve o quarto lugar, enquanto Räikkönen fez uma primeira volta bastante agressiva ao passar os jovens Sainz Jr. e Verstappen para subir ao quinto posto. Massa ganhou uma posição e avançou para oitavo, enquanto Nasr tirou proveito da má largada de Button e fechou o primeiro giro em 14º.

Massa arriscou tudo para não perder contato com Räikkönen e seguir evoluindo na corrida. Com um ritmo bem melhor que os carros da Toro Rosso, Felipe acelerou forte para ultrapassar Sainz Jr. e, depois, Verstappen, para ganhar a sexta colocação. Os taurinos, aliás, não estavam nem de longe com o mesmo rendimento dos treinos e da classificação em Barcelona, tanto que Maldonado e Grosjean já lutavam com os novatos e avançavam na prova. O venezuelano, aliás, também era outro que tinha um ótimo começo de corrida em Montmeló.
Rosberg partiu bem rumo à vitória na Espanha (Foto: AP)
Lá na frente, Rosberg imprimia ótimo ritmo de corrida, que o tornava capaz de abrir grande vantagem sobre Vettel. O tetracampeão passava a ser pressionado por Hamilton na luta pelo segundo lugar. O britânico, no entanto, tinha de prestar atenção também ao consumo dos seus pneus médios, que começavam a ficar bem gastos com 12 voltas percorridas. Lewis buscava reduzir ao máximo a diferença para acionar a asa móvel na grande reta e, depois, tentar buscar Nico na ponta.

Mas a Mercedes optou por uma tática diferente ao chamar Hamilton para fazer sua parada na 14ª volta. Durante o pit-stop, um pequeno problema no encaixe da troca do pneu traseiro esquerdo acabou fazendo o bicampeão perder tempo. Seria mesmo difícil a vida de Lewis neste domingo em Barcelona. Na volta seguinte, foi a vez de Vettel fazer sua troca de pneus. O melhor trabalho da Ferrari foi correspondido na pista, com Seb regressando à frente de Hamilton. Rosberg pararia uma volta depois. Mas neste caso, a Mercedes conseguiu fazer um trabalho perfeito.

Räikkönen, que já havia passado Bottas, ainda não tinha feito sua parada e ocupava a liderança provisória da corrida. Mais atrás, Maldonado, que fazia grande corrida, lidava com um problema no suporte da sua asa traseira, que o levava a perder performance em relação aos adversários. Mesmo durante o pit-stop, a Lotus optou por não trocar o aerofólio, mandando Pastor 'Mad Max' de volta à pista em Barcelona, em 18º.

Kimi fez sua parada, mas diferente de Rosberg, Vettel e Hamilton, optou por calçar seu carro com pneus duros, o que poderia ajudar significativamente na fase final da corrida. Räikkönen voltou em quinto, atrás de Bottas. Na liderança, Nico permanecia com certa tranquilidade ao liderar com 6s de frente para Vettel, que voltava a lidar com a forte pressão de Hamilton, partindo a todo custo em busca da segunda posição mesmo com seu W06 Hybrid apresentando perda de equilíbrio em alguns trechos da pista.
Maldonado perde suporte direito da asa traseira. E assim mesmo segue (Foto: Reprodução TV)
A Lotus não estava mesmo com sorte em Barcelona. Além dos problemas com a asa traseira de Maldonado, a equipe aurinegra também tinha de enfrentar uma falha no câmbio do E23 de Romain Grosjean, que perdeu a quarta marcha quando ocupava o oitavo lugar. Ainda assim, o franco-suíço seguia com seu ritmo de prova. Já a McLaren fazia sua corrida para chegar aos pontos pela primeira vez no ano. Na 24ª volta, Alonso ocupava o 14º lugar, calçando seu MP4-30 com pneus duros depois de um longo stint de 22 voltas. Button, por sua vez, vinha em 17º.

Se a corrida estava até um pouco sonolenta e com poucas disputas por posição, Maldonado dava seu show particular em Barcelona. Sem ter nada a perder, Pastor permanecia na pista mesmo com o problema na asa e, em 18º, lutava para se aproximar de Button e vinha com a faca nos dentes para tentar ultrapassar o britânico. O venezuelano acabou conseguindo ativar o DRS e fazer a ultrapassagem na reta dos boxes na abertura da volta 27 e seguiu em frente com sua jornada no circuito catalão.

Na volta 27, Alonso encerrou sua participação no GP da Espanha. A McLaren #14 apresentou problemas nos freios traseiros, e o espanhol teve de recolher rumo aos boxes. Na sua parada, o asturiano teve habilidade para não atropelar os mecânicos do time e acabou batendo apenas no macaco que estava posicionado para levantar seu carro. "Fiquei preocupado pelo mecânico. Ele foi rápido e reagiu, felizmente não tivemos lesões ou outros problemas. O freio falhou uma volta antes, pediram para parar e olhar se havia algo preso nos freios. Mas então me disseram para desligar o carro porque tínhamos de abandonar", declarou o bicampeão minutos depois. Foi o primeiro abandono da prova.

Com quase metade da corrida já cumprida, Rosberg passeava em Barcelona e aumentava sua vantagem para Vettel, que era de 9s3 na abertura da volta 32. Os tempos de volta do alemão eram muito superiores ao do piloto da Ferrari e também ao de Hamilton, que também estava mais lento em relação a Sebastian. Até por isso, a Mercedes o chamou para fazer sua segunda parada na volta 33, equipando seu #44 com pneus duros. Caso quisesse fechar sua prova sem outra parada, seu stint seria muito longo, outras 33 voltas pela frente.

Lewis voltou logo atrás de Räikkönen, em quinto lugar. Mas como tinha pneus mais novos em relação ao finlandês, Hamilton não tomou conhecimento do piloto da Ferrari e conseguiu fazer a ultrapassagem para tentar reagir na corrida. Rosberg seguia fácil na frente, com Vettel em segundo e Bottas em terceiro. Pouco mais atrás, Massa fazia uma corrida discreta e ocupava o sexto lugar, enquanto Nasr era o 12º colocado, que viria a ser 11º depois da parada de Verstappen na volta 39. Mas o jovem brasileiro era pressionado pelo seu companheiro de equipe, Ericsson.

Hamilton seguia abrindo caminho e voltou ao top-3 depois de ultrapassar Bottas sem perder tempo. O alvo do britânico voltava a ser Vettel, que tinha 10s de frente para Lewis. Aí a Ferrari chamou Sebastian na volta 41 para seu segundo pit-stop e, após 2s2 de parada, o tetracampeão voltou à pista com sua SF15-T calçada com pneus duros para ir até o fim.

Em seguida, foi a vez Grosjean fazer sua parada. O franco-suíço, que vinha no top-10, teve dificuldades para parar o carro e acabou batendo mais forte no macaco, que acabou acertando as partes íntimas do mecânico, fazendo-o cair no pit-lane. Mas depois do momento de tensão, o box entrou em clima de zoeira com as brincadeiras dos seus colegas de time.
Mecânico da Lotus se alivia com saco de gelo para aliviar dor nas partes íntimas (Foto: Lotus)
Rosberg só fez seu segundo pit-stop na 46ª volta e, com pneus duros, partiu rumo ao seu último stint em Barcelona. Nico voltou em segundo, à frente de Vettel e atrás de Hamilton, que teria ainda mais 20 voltas pela frente caso quisesse seguir sem parar. Mas estava cada vez mais evidente a tática da Mercedes de três paradas para Lewis. Tudo para tentar ganhar o segundo lugar de Sebastian e diminuir o estrago de uma vitória de Rosberg na sua luta pelo tricampeonato mundial de F1.

No giro seguinte, foi a vez de Maldonado encerrar sua participação no GP da Espanha. Três anos depois de vencer em Barcelona, o venezuelano não conseguiu levar até ao fim da prova sua Lotus 'Mad Max', prejudicado pelo problema na asa traseira que comprometeu o desempenho do E23, que parecia muito promissor. Maré de azar para Pastor, que segue sem pontuar em 2015.

Hamilton conseguiu fazer valer a estratégia e foi capaz de ultrapassar Vettel. Depois de fazer seu terceiro pit-stop na volta 51, Lewis, com pneus médios, conseguiu voltar à frente do alemão da Ferrari. Restando 13 voltas, a vantagem de Rosberg para seu companheiro de equipe era de pouco mais de 20s. Ainda havia, de fato, uma chance para Hamilton tomar a vitória em Montmeló, mas o cenário não era dos mais favoráveis, já que o ritmo de Nico era muito bom e extremamente consistente.

"Estou grato por ter conseguido dar este segundo lugar à equipe. É [ainda estou liderando], mas ainda tem um longo caminho pela frente. Este foi um fim de semana difícil para mim. Pensando em Mônaco, vai ser uma corrida bem difícil, mas já estou ansioso por ela”, declarou.

Já Vettel acreditava que poderia ter sido segundo. "Estava me segurando bem. Fiz uma boa largada, passei Lewis. Depois fizemos a coisa certa cobrindo eles na primeira parada. Infelizmente eles mudaram para três e aí não conseguimos acompanhar. Terceiro era o melhor que tínhamos para hoje e estou muito feliz. O carro é ótimo."

Lewis não queria dar chances a Rosberg, definitivamente. Por isso, ensaiou um ataque final contra seu companheiro de equipe e perguntou à Mercedes se não seria possível alcançar Nico. Ao ouvir seu engenheiro falar "provavelmente, não", o britânico questionou novamente. "Mas é impossível?". Mas a vantagem do alemão era grande, e nada indicava uma chance real de ultrapassagem. 

Na parte final da corrida, a grande briga era pelo quarto lugar, entre dois finlandeses. Bottas, com pneus gastos, tentava segurar a posição, mas tinha de brigar contra o ímpeto de Räikkönen, que tinha rendimento muito melhor com pneus médios mais novos em relação ao piloto da Williams. Mais atrás, Massa vinha 'na miúda' e não incomodava, tampouco era incomodado. O brasileiro seguia em sexto, enquanto Nasr fazia o que lhe era possível e estava em 12º lugar com o Sauber C34.

Depois de 66 voltas, Rosberg consolidou seu renascimento na temporada e confirmou a vitória em Barcelona, com Hamilton em segundo e Vettel em terceiro. Bottas venceu o duelo nórdico com Räikkönen e cruzou em quarto lugar, batendo o veterano da Ferrari. Massa, que chegou em sexto, acabou sendo superado pelo seu parceiro de Williams na classificação do campeonato.

Agora a F1 se prepara para disputar o mais histórico dos seus GPs. Em duas semanas, a categoria correrá nas ruas de Monte Carlo. Antes, porém, equipes e pilotos terão dois dias de testes (terça e quarta-feira) nesta semana, em Barcelona.

F1, GP da Espanha, Barcelona, final:

1 6 NICO ROSBERG ALE MERCEDES 1:41:12.555 66 voltas
2 44 LEWIS HAMILTON ING MERCEDES +17.551  
3 5 SEBASTIAN VETTEL ALE FERRARI +45.342  
4 77 VALTTERI BOTTAS FIN WILLIAMS MERCEDES +59.217  
5 7 KIMI RÄIKKÖNEN FIN FERRARI +1:00.002  
6 19 FELIPE MASSA BRA WILLIAMS MERCEDES +1:32.314  
7 3 DANIEL RICCIARDO AUS RED BULL RENAULT +1 volta  
8 8 ROMAIN GROSJEAN FRA LOTUS MERCEDES +1 volta  
9 55 CARLOS SAINZ JR ESP TORO ROSSO RENAULT +1 volta  
10 26 DANIIL KVYAT RUS RED BULL RENAULT +1 volta  
11 33 MAX VERSTAPPEN HOL TORO ROSSO RENAULT +1 volta  
12 12 FELIPE NASR BRA SAUBER FERRARI +1 volta  
13 11 SERGIO PÉREZ MEX FORCE INDIA MERCEDES +1 volta  
14 9 MARCUS ERICSSON SUE SAUBER FERRARI +1 volta  
15 27 NICO HÜLKENBERG ALE FORCE INDIA MERCEDES +1 volta  
16 22 JENSON BUTTON ING McLAREN HONDA +1 volta  
17 28 WILL STEVENS ING MANOR MARUSSIA FERRARI +3 voltas  
18 98 ROBERTO MERHI ESP MANOR MARUSSIA FERRARI +4 voltas  
19 13 PASTOR MALDONADO VEN LOTUS MERCEDES +21 voltas NC
20 14 FERNANDO ALONSO ESP McLAREN HONDA +40 voltas NC
               
MELHOR VOLTA LEWIS HAMILTON ING MERCEDES 1:28.270 volta 54
               
RECORDE RUBENS BARRICHELLO BRA BRAWN MERCEDES 1:19.954 09/05/2009  
MELHOR VOLTA KIMI RÄIKKONEN FIN FERRARI 1:21.670 27/04/2008  

Últimas Notícias
domingo, 26 de março de 2017
MotoGP
MotoGP
MotoGP
MotoGP
MotoGP
Outras
MotoGP
MotoGP
F1
F1
F1
F1
F1
F1
F1
Galerias de Imagens
Facebook