F1
26/05/2015 08:30

Se quiser ser grande, Williams não pode se dar ao luxo de ter “fim de semana de folga” em Mônaco, diz Smedley

O engenheiro-chefe da Williams, Rob Smedley, falou que a Williams não pode aceitar ter um “fim de semana de folga” toda vez que for a Mônaco para o GP de F1. O inglês disse que a equipe tem de marcar entre 18 e 22 pontos por fim de semana
Warm Up
RENAN DO COUTO, de São Paulo
A Williams não pode aceitar mais resultados como o do GP de Mônaco, declarou o engenheiro-chefe Rob Smedley. No último fim de semana, Felipe Massa e Valtteri Bottas sequer foram capazes de andar no top-10, o que deixou o dirigente “incrivelmente desapontado”.
 
Esta foi a primeira vez que a Williams ficou fora da zona de pontuação desde que passou por uma profunda reformulação para o início da temporada 2014. A sequência durou 24 GPs e foi a maior da escuderia em sua história no Mundial de F1.
 
Segundo Smedley, é preciso tomar cuidado para garantir que tal fiasco não se repita em Mônaco em 2016, e para que o time possa cumprir sempre o que é capaz: marcar entre 18 e 22 pontos por fim de semana.
Rob Smedley disse que a Williams não pode ter outro fim de semana como este (Foto: Beto Issa)
“A abordagem correta é sair daqui e entender o porquê de termos nos colocado nesta situação. A Williams tem a aspiração de se tornar uma equipe de ponta outra vez. Eu disse isso antes e vou continuar repetindo, e se você quer ter um time vencedor, não pode ter medo de lugar algum. Não pode vir para Mônaco e dizer ‘temos um fim de semana de folga’”, afirmou.
 
“Até agora, o carro tem sido bom o bastante para marcar entre 18 e 22 pontos a cada corrida, e atingimos essa meta na maioria das oportunidades. Então não dá para vir para uma corrida e pensar que você vai ter um fim de semana de folga. Se o carro é bom para isso em todas as outras pistas, tem que ser bom aqui também”, reforçou.
 
Diante disso, o dirigente pediu uma investigação completa do que ocorreu no Principado. “Temos que olhar para todos os aspectos da performance. O que é errado é apontar para uma área e tirar conclusões precipitadas antes de termos analisado tudo. É levar em conta a performance do carro, a aerodinâmica, a mecânica, o acerto, como operamos os pneus, tudo. Temos que garantir que vamos fazer com a devida diligência em todas as áreas e então tenhamos respostas e um plano de ação para o próximo ano”, completou.
 
O finlandês Valtteri Bottas, eliminado no Q1 e apenas 14º na corrida, corroborou. “Nós precisamos ter certeza de que aprendemos porque, se quisermos ser uma equipe campeã, não podemos ter uma corrida em que não conseguimos nada”, disse.
 
A próxima etapa do campeonato será no dia 7 de junho em Montreal, no Canadá.
 
Últimas Notícias
domingo, 30 de abril de 2017
F1
F1
F1
F1
F1
F1
F1
F1
F1
F1
Indy
Indy
Indy
sábado, 29 de abril de 2017
Indy
Rali
Galerias de Imagens
Facebook