F1
09/03/2017 13:55

Vettel mantém liderança em tarde de simulação de corrida no sétimo dia de testes em Barcelona. Massa é penúltimo

A poderosa combinação de pneus ultramacios e tanque vazio, tão utilizada de manhã, não foi muito popular durante a tarde. As equipes optaram por fazer simulação de corrida, andando com muito combustível. Assim, ninguém chegou nem perto de superar a marca matinal de Vettel, 1min19s024
Warm Up, de Barcelona
FERNANDO SILVA, de Sumaré
VITOR FAZIO, de Porto Alegre
 

Pouco aconteceu na tarde do sétimo dia de testes da F1 em Barcelona, nesta quinta-feira (9). Depois de uma manhã agitada, que contou com Sebastian Vettel anotando a melhor tempo de toda a pré-temporada com pneus ultramacios, a sessão vespertina voltou a ter como foco a simulação de corrida. A maioria da equipes optou por correr com tanque cheio e compostos mais duros, o que impossibilitou qualquer tentativa de assumir o topo da tabela. Assim, Vettel pôde encerrar o dia no alto da tabela.

“Eu estou feliz dentro do carro, mas ainda está muito cedo. É preciso olhar mais do que simplesmente os tempos de uma volta. Ainda temos muito para fazer, temos de completar mais voltas, ainda temos muito trabalho pela frente. Espero que consigamos mais voltas, que continuemos com essas boas sensações sobre o carro... E daí vamos ver. Espero que possamos levar o bom momento dos testes também para a temporada”, disse o alemão, em entrevista acompanhada pelo GRANDE PRÊMIO, entre as duas sessões de treinos desta quinta.

As demais posições de destaque também acabaram ficando com os mesmos donos da manhã. Como ninguém aplicou a combinação de ultramacios com tanque vazio, Lewis Hamilton e Esteban Ocon seguiram em segundo e terceiro.
 
O quarto lugar ficou com Daniil Kvyat, que acabou registrando o melhor tempo da tarde. Com supermacios, o piloto da Toro Rosso melhorou bastante e anotou 1min20s416. Kevin Magnussen também ganhou terreno: com ultramacios, o dinamarquês deixou a Haas no quinto lugar, 1min20s504.
Sebastian Vettel foi o mais rápido do dia em Barcelona (Foto: Reprodução)

Até em termos de incidentes o turno da tarde foi mais tranquilo. Depois de uma manhã muito afetada pelas quebras da McLaren, só duas bandeiras vermelhas foram acionadas: uma por conta de Kvyat, outra por conta da Renault de Jolyon Palmer.
 
Falando em McLaren, os britânicos tiveram uma tarde de pouca ação: o carro não chegou a quebrar na pista, mas só deu três voltas com Stoffel Vandoorne. Somando com a bagagem da manhã, foram 48 giros – a pior neste aspecto, com sobras. No outro extremo, a Ferrari teve um dia livre de problemas e acumulou mais de 140 voltas, melhor marca do dia. A Force India também trabalhou bem, chegando aos 130 com Ocon.
 
Agora resta apenas um dia de testes de pré-temporada, a atividade da sexta-feira (10). Depois, as equipes pensam apenas no GP da Austrália, marcado para 26 de março.


Saiba como foi a tarde do sétimo dia de testes de pré-temporada da F1

Pontualmente às 14h locais (10h pelo horário de Brasília), a bandeira verde autorizou a retomada do penúltimo dia de testes de pré-temporada da F1. Em relação à frenética manhã que marcou a quebra do recorde dos testes de inverno, por Sebastian Vettel, algumas mudanças entre os pilotos.

Felipe Massa assumiu o cockpit do Williams FW40 no lugar de Lance Stroll, que completou 85 voltas no primeiro período. Já Valtteri Bottas iniciou os trabalhos na Mercedes em substituição a Lewis Hamilton. Pascal Wehrlein guiou o Sauber C36 no lugar de Marcus Ericsson, dono de 88 voltas pela manhã, e a Renault tinha como plano inicial levar Nico Hülkenberg à pista, mas preferiu dar mais quilometragem a Jolyon Palmer em razão dos problemas enfrentados ao longo da semana..

Como de hábito nos testes deste ano, o começo da tarde foi bastante modorrento. O silêncio em Barcelona foi quebrado por Daniil Kvyat, o primeiro a deixar os boxes e, consequentemente, o primeiro a completar uma volta rápida no segundo período: 1min25s963 com o Toro Rosso STR12. Esteban Ocon, terceiro mais rápido pela manhã, também chegou a ir para a pista, mas completou breves voltas antes de retornar ao pit-lane. A meta da Force India era clara: dedicar a tarde para realizar simulações de corrida. Outras equipes tinham programação semelhante.
Daniel Ricciardo dedicou o período da tarde às simulações de corrida, como outros tantos pilotos (Foto: AFP)
Pouco tempo depois era a vez de Bottas e Massa ganharem a pista pela primeira vez nesta quinta-feira. Os dois estavam com pneus macios. O finlandês logo emendou uma série de voltas e começou marcando 1min23s617. Massa e Wehrlein também abriam seus respectivos stints no traçado catalão. O brasileiro cravou 1min25s341 em sua primeira volta rápida. Felipe completou 14 voltas antes de retornar aos boxes da Williams. 

Bottas continuava sua simulação de corrida e marcava um tempo bem razoável: 1min22s038. Wehrlein, Palmer e Magnussen também continuavam com seus respectivos stints em Barcelona, enquanto Ricciardo e Vettel faziam um rápido pit-stop antes do retorno à pista. O piloto da Red Bull abria um novo trecho com pneus médios. Vettel, por sua vez, já tinha 74 voltas completadas.

A Williams claramente dava sequência ao seu trabalho de entender o ritmo do carro com o tanque cheio e em configuração de corrida, por isso os tempos de Massa eram mais altos que os dos outros pilotos.  O brasileiro já completava 23 voltas, enquanto Vettel igualava as 85 de Lance Stroll com um stint muito equilibrado e constante com os pneus macios, sempre andando na casa de 1min23s. Magnussen, com outra programação de treino, usava pneus ultramacios e subia para quinto com 1min20s760.

A primeira bandeira vermelha da tarde foi causada por Daniill Kvyat, que enfrentou uma pane no seu STR12, aparentemente no câmbio, e ficou parado na saída da curva 5 do circuito catalão. 15 minutos depois, o treino foi retomado quando restavam pouco mais de duas horas para o fim das atividades de pista na Catalunha. Uma série de pilotos deixou os boxes. Vettel, usando pneus médios, partia em busca da contagem centenária de voltas para coroar um dia muito positivo para a Ferrari na pré-temporada.
Estaban Ocon ultrapassou a marca de 100 voltas completadas nesta quinta-feira (Foto: Sahara Force India)

Bottas também continuava na pista, mas ainda com um programa que buscava priorizar simulações de corrida. Por isso seus tempos de volta eram mais altos, com o finlandês virando em 1min21s8 na sua volta mais rápida na tarde até então. Ocon também buscava a maior quilometragem possível e era o segundo a suplantar a marca centenária de voltas nesta quinta-feira. Vandoorne, depois de uma manhã toda complicada, também deixava os boxes para suas primeiras voltas no período da tarde.

Foi aí que outra bandeira vermelha se fez necessária. E não foi por causa da McLaren de Vandoorne: a Renault de Palmer estacionou na curva 10 com problemas mecânicos. Foram 13 minutos de paralisação antes do regresso da bandeira verde. Dada a importância da simulação de corrida, Williams, Mercedes e Sauber mandaram Massa, Bottas e Wehrlein para a pista de imediato.

Foi nesta etapa da simulação de corrida que Massa deixou a ingrata (e insignificante) última posição na tabela de tempos. Com 1min24s443, o brasileiro superou o companheiro Stroll e ficou em 12º. Mas muito mais importante do que isso era ver a Williams tendo outro dia tranquilo, sem qualquer contratempo. Depois de uma primeira semana muito afetada pelas desventuras de Lance, a equipe tinha uma segunda semana de trabalho pesado e promissor.

O trabalho bem feito também era percebido nas outras equipes. Red Bull, Force India e Sauber com Ricciardo, Ocon e Ericsson quebraram a barreira de 100 voltas com facilidade. O trio não apresentou qualquer problema mecânico a mantinha um nível de confiabilidade que apenas Mercedes e Ferrari conseguiam alcançar frequentemente.

F1 2017, Testes coletivos, Barcelona, dia 7:

1 5 SEBASTIAN VETTEL ALE FERRARI 1:19.024   156
2 44 LEWIS HAMILTON ING MERCEDES 1:19.352 +0.328 52
3 31 ESTABAN OCON FRA FORCE INDIA MERCEDES 1:20.161 +1.137 137
4 26 DANIIL KVYAT RUS TORO ROSSO RENAULT 1:20.416 +1.392 94
5 20 KEVIN MAGNUSSEN DIN HAAS FERRARI 1:20.504 +1.480 119
6 3 DANIEL RICCIARDO AUS RED BULL TAG HEUER 1:20.824 +1.800 128
7 2 STOFFEL VANDOORNE BEL McLAREN HONDA 1:21.348 +2.324 48
8 77 VALTTERI BOTTAS FIN MERCEDES 1:21.819 +2.795 95
9 94 PASCAL WEHRLEIN ALE SAUBER FERRARI 1:22.347 +3.323 44
10 30 JOLYON PALMER ING RENAULT 1:22.418 +3.394 53
11 9 MARCUS ERICSSON SUE SAUBER FERRARI 1:23.330 +4.306 88
12 19 FELIPE MASSA BRA WILLIAMS MERCEDES 1:24.443 +5.419 80
13 18 LANCE STROLL CAN WILLIAMS MERCEDES 1:24.863 +5.839 85

Os pneus são...
ultramacios | supermacios | macios | médios | duros
PADDOCK GP #68 ANALISA SEGUNDA SEMANA DE TESTES DA F1 EM BARCELONA


Últimas Notícias
sábado, 22 de abril de 2017
Indy
MotoGP
MotoGP
Indy
MotoGP
MotoGP
Brasileiro de Marcas
Indy
MotoGP
Stock Car
MotoGP
Indy
MotoGP
MotoGP
Stock Car
Galerias de Imagens
Facebook