F2
03/09/2016 15:11

Giovinazzi larga do pit-lane, dá sorte com safety-car, faz corrida épica e leva torcida ao delírio com vitória em Monza na GP2

Antonio Giovinazzi coroou uma corrida espetacular no fim da tarde deste sábado (3) e garantiu uma vitória épica depois de largar do pit-lane. O italiano, é verdade, levou sorte com o incidente entre Arthur Pic e Sergio Canamasas, que culminou com a capotagem do espanhol, e fez seu pit-stop obrigatório durante o safety-car. Nas voltas finais, passou Gustav Malja e Raffaele Marciello para subir ao topo do pódio. Pierre Gasly, pole-position, foi só o quarto
Warm Up
FERNANDO SILVA, de Sumaré

Que grande corrida a GP2 entregou ao seu público nesta tarde de sábado (3) em Monza. Em princípio, Pierre Gasly, pole-position, despontava como franco favorito à vitória na primeira prova do fim de semana da etapa da Itália. Até que um incidente envolvendo Arthur Pic e Sergio Canamasas, culminando com a capotagem do espanhol, mudou toda a dinâmica da disputa. 
 
Gasly, que havia feito seu pit-stop obrigatório antes da batida, viu pilotos como Raffaele Marciello, Gustav Malja e Antonio Giovinazzi tirarem proveito realizarem suas paradas durante a bandeira amarela. Na volta da prova, Giovinazzi, que vinha em terceiro, ultrapassou os adversários e faturou uma vitória histórica, para delírio do púbico, depois de ter largado do pit-lane em função de uma punição no treino classificatório, quando não teve os tempos computados. O piloto da Prema, que faz sua primeira temporada na GP2, recebeu o troféu de vencedor das mãos do polêmico Flavio Briatore.
 
Pierre Gasly, no fim das contas, terminou apenas em quarto lugar, sendo o piloto que mais foi prejudicado pelo acidente. O francês fez sua parada antes da intervenção do safety-car e levou azar na comparação com Giovinazzi, principalmente, que teve a chance de comemorar uma grande vitória diante dos fanáticos italianos em Monza.
Antonio Giovinazzi brilhou nesta tarde de sábado em Monza (Foto: GP2)
Saiba como foi a corrida 1 da GP2 em Monza
 
Gasly conseguiu escapar bem e manteve a ponta na largada da prova, ainda que tenha sido tocado de leve pelo carro de Artem Markelov, que se segurou e continuou na pista, em terceiro lugar, atrás também de Arthur Pic. Mas, no fim das contas, foi um começo de prova com pouquíssimos incidentes de pista. 
 
A lição de casa de Gasly era vencer a prova e abrir o máximo de vantagem na liderança e para Antonio Giovinazzi, que largou do pit-lane depois de ter sido punido na última sexta-feira. O protegido da Red Bull fazia seu papel e tentava abrir vantagem para Pic e Markelov, enquanto o italiano tentava se recuperar na disputa e figurava em 18º.
 
Mas Gasly, por algum motivo, não conseguia ter o melhor rendimento e passava a ser pressionado por Pic, que tinha a seu favor a asa móvel para tentar passar o francês na reta dos boxes. Entretanto, o piloto da Prema teria uma folga pouco depois.
 
Aos poucos, o carro #21 de Gasly voltava a ter boa performance, fazendo com que o piloto abrisse uma vantagem razoável para Pic, que tinha de lutar com Markelov pelo segundo lugar. Mas os dois pilotos retardaram a frenagem na abertura da sétima volta e quase bateram. O russo levou a pior e caiu para sexto, enquanto Pic se manteve em segundo depois de passar por dentro da chicane, o que foi colocado sob investigação dos comissários. 
 

Minutos depois, o piloto acabou sendo punido em 5s no seu tempo de prova, deixando a vida de Gasly ainda mais fácil.
 
Em seguida, começava a maratona dos pit-stops obrigatórios nos boxes de Monza. A maior parte dos pilotos largou com os pneus macios e iniciava a troca para os médios. Gasly fez sua parada na volta 13 e voltou à pista em sétimo lugar. Aí Marciello assumiu a liderança em meio à janela de pit-stops, seguido por Nobuharu Matsushita e Gustav Malja.
 
Na volta 16, Pic e Sergio Canamasas se tocaram na segunda ‘perna’ da Curva di Lesmo. O francês vinha por fora e acabou levando uma ‘fechada’ do espanhol, que capotou. No fim das contas, os dois pilotos ficaram na caixa de brita e abandonaram. Por sorte, nenhum deles sofreu maiores lesões.

 
A entrada do safety-car acabou beneficiando de forma incrível os pilotos que ainda não tinham feito o pit-stop obrigatório e, na prática, mudou toda a dinâmica da prova desde então. Marciello, Malja e Giovinazzi aproveitaram o carro de segurança e fizeram a parada, voltando em primeiro, segundo e terceiro, respectivamente. Gasly figurava apenas em quarto lugar na prova.
 
A relargada aconteceu na volta 24, com Marciello tentando acelerar para abrir vantagem para Malja e Giovinazzi, com Gasly vindo um pouco mais atrás, em quarto, não antes de ter sido atrapalhado por Sam Gelael, que não passou o safety-car durante o processo de realinhamento, ainda durante bandeira amarela. 
 
Com ritmo fortíssimo de corrida, Giovinazzi se aproximou de Malja e conquistou a segunda posição depois de colar no sueco na curva Parabolica. Em seguida, o piloto da Prema lutou com o compatriota Marciello pela liderança da prova em Monza. Restava apenas uma volta, e o fim da corrida era dramático e perfeito para a torcida italiana.
 
Na abertura da 29ª e última volta, Giovinazzi chegou em Marciello e passou na freada da chicane. Daí, o italiano rumou para uma vitória épica depois de largar do pit-lane e cruzou a linha de chegada na ponta, seguido por Marciello e Malja fechando o pódio. Gasly, ainda líder do campeonato, faturou apenas o quarto lugar. 
 
PADDOCK GP #44 DEBATE VITÓRIAS DE ROSBERG EM SPA E DE RAHAL NO TEXAS



Últimas Notícias
quinta-feira, 21 de setembro de 2017
MotoGP
Nascar
F1
MotoGP
F-E
F1
F1
MotoGP
Indy
MotoGP
F1
F1
F1
F1
MotoGP
Galerias de Imagens
Facebook