F2
27/05/2016 10:40

Markelov leva sorte e surpreende com estratégia perfeita para bater Nato e vencer corrida 1 da GP2 em Mônaco

A corrida 1 da GP2 em Mônaco teve um desfecho inacreditável. Ninguém poderia imaginar que um piloto largando de 15º poderia fechar a disputa no topo do pódio. Mas foi o que Artem Markelov fez, de forma surpreendente. Com estratégia vencedora e muita sorte para fazer seu pit-stop obrigatório no momento certo, no fim da corrida, o russo venceu em Mônaco nesta manhã
Warm Up
FERNANDO SILVA, de Sumaré
A corrida que abriu a rodada dupla da GP2 em Mônaco, na manhã desta sexta-feira (27), começou monótona e sonolenta, mas teve um desfecho empolgante e até inacreditável. No início, a prova foi completamente dominada por Norman Nato, que superou Sergey Sirotkin na largada, e parecia não ter adversários para chegar ao topo do pódio improvisado em Monte Carlo. Mas Artem Markelov, que largou apenas em 15º, retardou ao máximo sua parada obrigatória para troca de pneus e assumiu a liderança provisória da disputa. Mas o que era provisório ficou definitvo depois que o russo entrou nos boxes nas últimas voltas, mantendo a vantagem depois de ver o último safety-car virtual ser acionado pela direção de prova. Foi o 'pulo do gato' dado pela Russian Time para vencer em Mônaco.

A jornada foi tão perfeita para Markelov que, além de vencer em Mônaco, o piloto assumiu a liderança do campeonato, com 47 pontos conquistados. Norman Nato terminou em segundo, mas com um sentimento de frustração por ter perdido uma vitória que lhe parecia certa. O terceiro posto ficou com Oliver Rowland, piloto do programa de jovens talentos da Renault.
Artem Markelov comemora vitória improvável em Mônaco nesta sexta-feira (Foto: Reprodução)
Saiba como foi a corrida 1 de Mônaco da GP2

A primeira corrida do fim de semana em Monte Carlo começou com uma largada surpreendentemente tranquila na GP2, com todos os pilotos escapando ilesos na passagem pela Sainte-Dévote. Nato deu o bote em Sirotkin, tracionou melhor, fez a ultrapassagem sobre o russo e assumiu a liderança, com Jordan King vindo em terceiro lugar. Aí, desde o primeiro giro, a caçada era contra o francês a Racing Engineering.

Nas voltas seguintes, a corrida seguiu seu curso sem muitas emoções. Nato, após uma sequência de bons tempos, abriu vantagem na liderança, sendo seguido por Sirotkin, com King em terceiro. Mitch Evans e Oliver Rowland fechavam o rol dos cinco primeiros após 12 voltas de uma prova bastante monótona no Principado.

Em prova de recuperação depois de ter largado dos boxes, Pierre Gasly acabou se envolvendo em um incidente com Jimmy Eriksson, acertando a traseira do carro do sueco, no S da Piscina, fazendo com que a direção de prova acionasse pela primeira vez o safety-car virtual para remover a asa dianteira da Prema/Red Bull do francês.

A corrida foi retomada pouco depois, mas, na volta 24, Sirotkin, na saída da Piscina, bateu seu carro no guard-rail enquanto perseguia o líder Nato e teve de abandonar a prova, forçando novamente o acionamento do safety-car virtual. Assim, o francês parecia ter caminho praticamente livre para vencer em Mônaco, para desespero dos mecânicos da ART Grand Prix. Mas Nato não contava com a astúcia de outro russo mais adiante.
Um dos momentos decisivos da corrida: a batida de Sirotkin em Mônaco (Foto: Reprodução)
Sem a pressão de Sirotkin, Nato tinha boa vantagem sobre seu companheiro de equipe, Jordan King, depois que a pista foi liberada. Mas o safety-car voltou a ser acionado depois que Nabil Jeffri, piloto da Arden, bateu seu carro na saída da curva Rascasse. A corrida não tinha lá muitas emoções, mas era bem acidentada no início da sua segunda metade.

Alguns minutos depois, a corrida foi retomada normalmente, na volta 27, com Nato na frente, seguido por Jordan King e Oliver Rowland em um bom terceiro lugar. Nesta altura da prova, boa parte dos pilotos entrou nos boxes para cumprir o pit-stop obrigatório.

Aí, a Racing Engineering perdeu a dobradinha depois de Jordan King ter batido no guard-rail. O britânico conseguiu voltar para os boxes para fazer o reparo e tentar seguir em frente na prova. Assim, Rowland assumiu o segundo lugar, só atrás de um dominante Nato antes de fazer seu pit-stop obrigatório, ccolocando pneus supermacios para a fase final da disputa.

Nato entrou nos boxes para fazer sua parada obrigatória na volta 32, também colocando pneus supermacios para fazer a última parte da prova, restando dez voltas para o fim da corrida. Provisoriamente, Artem Markelov assumiu a ponta, mas o russo ainda não tinha feito sua parada. Nato vinha em segundo, com Rowland em terceiro, seguido por Alex Lynn e Mitch Evans.

Markelov buscava seguir pelo maior tempo possível na pista e forçava o ritmo para tentar ganhar boas posições após sua parada. Lá atrás, durante uma disputa de pista, a direção de prova voltou a acionar o safety-car virtual após um detrito do carro de Antonio Giovinazzi ficar espalhado na curva do Cassino. A prova voltou ao normal em segundos, mas o VSC vigorou novamente depois que Luca Ghiotto ficou parado com sua Trident na saída da curva Loews na volta 36.

Tão logo a pista foi liberada, Markelov entrou nos boxes para fazer sua parada obrigatória. Deu certo demais! O russo voltou à pista à frente de Nato, que forçou uma ultrapassagem nas curvas seguintes da volta 37. Além de Nato, Rowland também estava perto e tentava acompanhar de camarote a disputa pela liderança da corrida. Restava apenas uma volta para o fim do embate.

Após 38 voltas, Markelov conquistava uma vitória improvável depois de ter largado apenas em 15º. Triunfo da estratégia da equipe Russian Time e também da sorte do piloto russo, que aproveitou o momento certo para fazer sua parada e vencer em Monte Carlo. Nato fechou mesmo em segundo, com um enorme sentimento de frustração, enquanto Oliver Rowland completou o pódio.

GP2, Mônaco, corrida 1, final:

1 ARTEM MARKELOV RUS RUSSIAN TIME 1:01:27.183 40 voltas
2 NORMAN NATO FRA RACING ENGINEERING +1.541  
3 OLIVER ROWLAND ING MP +3.187  
4 ALEX LYNN ING DAMS +8.239  
5 MITCH EVANS NZL PERTAMINA CAMPOS +11.723  
6 RAFFAELE MARCIELLO ITA RUSSIAN TIME +15.025  
7 ANTONIO GIOVINAZZI ITA PREMA +20.037  
8 MARVIN KIRCHHÖFER ALE CARLIN +21.153  
9 NOBUHARU MATSUSHITA JAP ART +21.582  
10 DANIËL DE JONG HOL MP +22.343  
11 ARTHUR PIC FRA RAPAX +23.333  
12 SERGIO CANAMASAS ESP CARLIN +30.192  
13 SEAN GELAEL INA PERTAMINA CAMPOS +31.295  
14 GUSTAV MALJA SUE RAPAX +34.900  
15 PIERRE GASLY FRA PREMA +49.748  
16 PHILO PAZ ARMAND INA TRIDENT +1 volta  
17 LUCA GHIOTTO ITA TRIDENT +5 voltas NC
18 JIMMY ERIKSSON SUE ARDEN +8 voltas NC
19 JORDAN KING ING RACING ENGINEERING +13 voltas NC
20 NABIL JEFFRI MAL ARDEN +27 voltas NC
21 SERGEY SIROTKIN RUS ART +28 voltas NC
22 NICHOLAS LATIFI CAN DAMS +29 voltas NC
 
PADDOCK GP #30 DEBATE INDY, F-E E MOTOGP


Últimas Notícias
quarta-feira, 26 de abril de 2017
Stock Car
MotoGP
Indy
Indy
Indy
F1
Indy
Indy
F1
F1
F1
F1
F1
Indy
MotoGP
Galerias de Imagens
Facebook