GT Brasil
16/12/2012 16:28

Cacá e Dahruj vencem em Interlagos, mas perdem título para Rosa e Faria em final polêmico

A polêmica marcou o fim da temporada 2012 do GT Brasil, em Interlagos. Cacá Bueno e Claudio Dahruj venceram a prova, mas quem ficou com o título foi Duda Rosa e Cléber Faria, da Mercedes. A dupla, no entanto, tirou uma vantagem de mais de 35s para a Ferrari de Claudio Ricci e Rafael Derani, obtendo o resultado que lhe deu o título. As equipes têm a parceria técnica da preparadora CRT. Sergio Laganá e Allam Hellmeister são campeões da GT4
Warm Up
FERNANDO SILVA, de Sumaré

Cacá Bueno e Claudio Dahruj venceram a etapa final do GT Brasil em Interlagos, neste domingo (16), em Interlagos. Contudo, o título da temporada 2012 ficou com Duda Rosa e Cléber Faria. Em corrida de fim polêmico, a dupla da Mercedes vinha em terceiro, mais de 35s atrás de Claudio Ricci e Rafael Derani, que pilotavam uma Ferrari da equipe coirmã CRT. Mas o duo conseguiu diminuir a diferença em apenas quatro voltas, conquistou a segunda posição e garantiu a taça mesmo com a vitória da dupla da BMW.

Na GT4, Leo Cordeiro puxou a dobradinha da BMW e venceu a prova deste domingo em Interlagos, seguido por Matheus Stumpf, que faz dupla com Patrick Gonçalves. Mas graças ao quarto lugar de Sergio Laganá e Allan Hellmeister, o duo da Aston Martin garantiu o título da categoria em 2012. Já a dupla da Aston Martin, formada por Carlos Kray e Andersom Toso, conquistou a taça da GT Premium.

Duda Rosa e Cléber Faria celebram o título do GT Brasil em Interlagos (Foto: Luca Bassani)

Confira como foi a corrida decisiva do GT Brasil em Interlagos:

Assim que as luzes vermelhas foram apagadas, Rafael Derani partiu para cima do pole Claudio Dahruj e assumiu a liderança antes do S do Senna. Marcelo Hahn, que venceu ao lado de Allam Khodair a corrida 1 em Interlagos, no sábado, também ultrapassou o parceiro de Cacá Bueno na BMW. Só que o piloto da Lamborghini ficou só alguns instantes em segundo, pois rodou e caiu para último. Líder do campeonato ao lado de Duda Rosa, Cléber Faria passou em quinto.

Mais atrás, Fábio Ebrahim foi tocado por Paulo Bonifácio, chegou a rodar e acabou sofrendo a colisão da BMW Z4 de Constantino Júnior. Parceiro de Valdeno Brito e campeão da Porsche Cup em 2011, o mineiro de patrocínio deixou a prova, assim como Hahn, que rodou na segunda volta e encerrou um fim de semana com sentimentos distintos: a vitória no sábado e o abandono precoce no domingo.

Largada foi o momento mais emocionante da prova deste domingo (Foto: Luca Bassani)

Por conta do incidente, Boni foi punido por conduta antidesportiva e teve de pagar com o cumprimento de um drive-through, perdendo assim a terceira colocação, que passou para as mãos de Faria, num resultado que lhe daria o título brasileiro de Gran Turismo.

Com o desenrolar da corrida, Derani foi abrindo vantagem confortável para Dahruj. Na competição do GT Premium, a liderança era de Raijan Mascarello, com Ferrari, seguido por Andersom Toso e Pierre Ventura. Já na GT 4, a liderança era de Vitor Genz, da BMW, fazendo dobradinha momentânea com Patrick Gonçalves após sete voltas completadas.

Contudo, a liderança de Raijan ruiu depois de um problema mecânico na sua Ferrari e encostou na área de escape de Interlagos. A falha no bólido amarelo de número 15 abreviou a luta do título da GT Premium, que ficou com Carlos Kray e Andersom Toso.

A partir da 12ª volta, com 20 minutos de corrida, o box foi aberto para a troca de pilotos. Derani entregou a Ferrari de número 3 para Cláudio Ricci com boa vantagem na liderança. Mas o gaúcho passou a ter um rival casca grossa na segunda posição: Cacá Bueno, que assumiu a condução da BMW de número 0, 6s atrás da Ferrari. Duda Rosa, que substituiu Cléber Faria, seguia em terceiro.

Cacá estava disposto a acelerar o máximo para vencer e conquistar o título do GT Brasil. Para isso, o carioca fazia volta mais rápida em cima de volta mais rápida. Não demorou, claro, para Bueno chegar em Ricci e fazer a ultrapassagem. Experiente, Cacá esperou o momento certo para assumir a ponta, o que aconteceu no fim da reta oposta, na volta 19, após emparelhar com Ricci, que vendeu caro a liderança da corrida.

O resultado dava o título do Brasileiro de Gran Turismo para Cacá e Dahruj. A corrida estava mesmo boa para a BMW, que também estava muito perto do título da GT4 com Leo Cordeiro e Vitor Genz. Mas ainda faltava muita corrida pela frente, exatamente 11min20s. E Allan Hellmeister e Sergio Laganá ainda tinham grandes chances de garantir a taça.

Em teoria, o título parecia quase garantido para Cacá e Dahruj na GT3. Só que a Ferrari de Ricci enfrentava problemas nos freios, e os tempos de volta já eram bem altos. Com isso, Duda Rosa se aproximou bastante da Ferrari. Com o segundo lugar, Rosa e Cléber Faria, e não Cacá e Dahruj, levariam o título do GT Brasil. Faltavam três voltas para o fim de um campeonato com desfecho tão dramático quanto o da F1 em 25 de novembro.

Ocorre que a equipe de Ricci e Derani, a CRT, tem parceria técnica com o time de Rosa e Faria. Problemas à parte, a vantagem, que era de 32s, caiu para menos de 2s.

Na última volta, Duda Rosa passou apenas 1s3 atrás de Ricci. A ultrapassagem parecia ser inevitável, e assim aconteceu no Laranjinha. Rosa conquistou o segundo lugar, mantendo a colocação até o fim. Cacá Bueno cruzou a linha de chegada na frente, mas o resultado não foi suficiente para o título, que ficou com a dupla da Mercedes. Ricci terminou a corrida se arrastando na pista, mas conseguiu manter o terceiro lugar, terminando apenas 0s469 à frente de Wagner Ebrahim.

Cacá Bueno e Cláudio Dahruj mal comemoraram a vitória em Interlagos (Foto: Fernanda Freixosa)

Na GT4, Leo Cordeiro puxou a dobradinha da BMW e venceu a prova deste domingo em Interlagos, seguido por Matheus Stumpf, que faz dupla com Patrick Gonçalves. Mas graças ao quarto lugar de Sergio Laganá e Allan Hellmeister, o duo da Aston Martin garantiu o título da categoria em 2012.

Enquanto Rosa e Faria comemoravam o título, Cacá Bueno reagiu indignado. Na coletiva de imprensa logo após a corrida, Bueno disse que “sente vergonha por ter feito parte desta corrida. Nunca vi equipes diferentes e marcas diferentes fazerem isso”. Ricci, por sua vez, não quis se pronunciar: “Não tenho nada a declarar.”

Classificação

Duda Rosa e Cleber Faria triunfaram com 205 pontos, já considerando os dois descartes obrigatórios — um para cada metade da temporada. Apenas um a mais que Cacá e Dahruj. Sergio Jimenez e Paulo Bonifácio fecharam com 182, enquanto Cláudio Ricci e Rafael Derani terminaram 2012 com 174. Allam Khodair e Marcelo Hahn completaram o top-5 do GT Brasil com 172. O bicampeão, Valdeno Brito, finalizou o ano apenas em oitavo e fechou 2012 com 125 pontos ao lado do parceiro de BMW, Constantino Junior.

GT Brasil, Interlagos, corrida 2, final:

Últimas Notícias
domingo, 26 de fevereiro de 2017
F1
Superbike
MotoGP
sábado, 25 de fevereiro de 2017
F1
F1
F1
F1
F1
F1
MotoGP
F1
Nascar
F1
F1
Superbike
Galerias de Imagens
Facebook