GT Brasil
16/12/2012 16:28

Cacá e Dahruj vencem em Interlagos, mas perdem título para Rosa e Faria em final polêmico

A polêmica marcou o fim da temporada 2012 do GT Brasil, em Interlagos. Cacá Bueno e Claudio Dahruj venceram a prova, mas quem ficou com o título foi Duda Rosa e Cléber Faria, da Mercedes. A dupla, no entanto, tirou uma vantagem de mais de 35s para a Ferrari de Claudio Ricci e Rafael Derani, obtendo o resultado que lhe deu o título. As equipes têm a parceria técnica da preparadora CRT. Sergio Laganá e Allam Hellmeister são campeões da GT4
Warm Up
FERNANDO SILVA, de Sumaré

Cacá Bueno e Claudio Dahruj venceram a etapa final do GT Brasil em Interlagos, neste domingo (16), em Interlagos. Contudo, o título da temporada 2012 ficou com Duda Rosa e Cléber Faria. Em corrida de fim polêmico, a dupla da Mercedes vinha em terceiro, mais de 35s atrás de Claudio Ricci e Rafael Derani, que pilotavam uma Ferrari da equipe coirmã CRT. Mas o duo conseguiu diminuir a diferença em apenas quatro voltas, conquistou a segunda posição e garantiu a taça mesmo com a vitória da dupla da BMW.

Na GT4, Leo Cordeiro puxou a dobradinha da BMW e venceu a prova deste domingo em Interlagos, seguido por Matheus Stumpf, que faz dupla com Patrick Gonçalves. Mas graças ao quarto lugar de Sergio Laganá e Allan Hellmeister, o duo da Aston Martin garantiu o título da categoria em 2012. Já a dupla da Aston Martin, formada por Carlos Kray e Andersom Toso, conquistou a taça da GT Premium.

Duda Rosa e Cléber Faria celebram o título do GT Brasil em Interlagos (Foto: Luca Bassani)

Confira como foi a corrida decisiva do GT Brasil em Interlagos:

Assim que as luzes vermelhas foram apagadas, Rafael Derani partiu para cima do pole Claudio Dahruj e assumiu a liderança antes do S do Senna. Marcelo Hahn, que venceu ao lado de Allam Khodair a corrida 1 em Interlagos, no sábado, também ultrapassou o parceiro de Cacá Bueno na BMW. Só que o piloto da Lamborghini ficou só alguns instantes em segundo, pois rodou e caiu para último. Líder do campeonato ao lado de Duda Rosa, Cléber Faria passou em quinto.

Mais atrás, Fábio Ebrahim foi tocado por Paulo Bonifácio, chegou a rodar e acabou sofrendo a colisão da BMW Z4 de Constantino Júnior. Parceiro de Valdeno Brito e campeão da Porsche Cup em 2011, o mineiro de patrocínio deixou a prova, assim como Hahn, que rodou na segunda volta e encerrou um fim de semana com sentimentos distintos: a vitória no sábado e o abandono precoce no domingo.

Largada foi o momento mais emocionante da prova deste domingo (Foto: Luca Bassani)

Por conta do incidente, Boni foi punido por conduta antidesportiva e teve de pagar com o cumprimento de um drive-through, perdendo assim a terceira colocação, que passou para as mãos de Faria, num resultado que lhe daria o título brasileiro de Gran Turismo.

Com o desenrolar da corrida, Derani foi abrindo vantagem confortável para Dahruj. Na competição do GT Premium, a liderança era de Raijan Mascarello, com Ferrari, seguido por Andersom Toso e Pierre Ventura. Já na GT 4, a liderança era de Vitor Genz, da BMW, fazendo dobradinha momentânea com Patrick Gonçalves após sete voltas completadas.

Contudo, a liderança de Raijan ruiu depois de um problema mecânico na sua Ferrari e encostou na área de escape de Interlagos. A falha no bólido amarelo de número 15 abreviou a luta do título da GT Premium, que ficou com Carlos Kray e Andersom Toso.

A partir da 12ª volta, com 20 minutos de corrida, o box foi aberto para a troca de pilotos. Derani entregou a Ferrari de número 3 para Cláudio Ricci com boa vantagem na liderança. Mas o gaúcho passou a ter um rival casca grossa na segunda posição: Cacá Bueno, que assumiu a condução da BMW de número 0, 6s atrás da Ferrari. Duda Rosa, que substituiu Cléber Faria, seguia em terceiro.

Cacá estava disposto a acelerar o máximo para vencer e conquistar o título do GT Brasil. Para isso, o carioca fazia volta mais rápida em cima de volta mais rápida. Não demorou, claro, para Bueno chegar em Ricci e fazer a ultrapassagem. Experiente, Cacá esperou o momento certo para assumir a ponta, o que aconteceu no fim da reta oposta, na volta 19, após emparelhar com Ricci, que vendeu caro a liderança da corrida.

O resultado dava o título do Brasileiro de Gran Turismo para Cacá e Dahruj. A corrida estava mesmo boa para a BMW, que também estava muito perto do título da GT4 com Leo Cordeiro e Vitor Genz. Mas ainda faltava muita corrida pela frente, exatamente 11min20s. E Allan Hellmeister e Sergio Laganá ainda tinham grandes chances de garantir a taça.

Em teoria, o título parecia quase garantido para Cacá e Dahruj na GT3. Só que a Ferrari de Ricci enfrentava problemas nos freios, e os tempos de volta já eram bem altos. Com isso, Duda Rosa se aproximou bastante da Ferrari. Com o segundo lugar, Rosa e Cléber Faria, e não Cacá e Dahruj, levariam o título do GT Brasil. Faltavam três voltas para o fim de um campeonato com desfecho tão dramático quanto o da F1 em 25 de novembro.

Ocorre que a equipe de Ricci e Derani, a CRT, tem parceria técnica com o time de Rosa e Faria. Problemas à parte, a vantagem, que era de 32s, caiu para menos de 2s.

Na última volta, Duda Rosa passou apenas 1s3 atrás de Ricci. A ultrapassagem parecia ser inevitável, e assim aconteceu no Laranjinha. Rosa conquistou o segundo lugar, mantendo a colocação até o fim. Cacá Bueno cruzou a linha de chegada na frente, mas o resultado não foi suficiente para o título, que ficou com a dupla da Mercedes. Ricci terminou a corrida se arrastando na pista, mas conseguiu manter o terceiro lugar, terminando apenas 0s469 à frente de Wagner Ebrahim.

Cacá Bueno e Cláudio Dahruj mal comemoraram a vitória em Interlagos (Foto: Fernanda Freixosa)

Na GT4, Leo Cordeiro puxou a dobradinha da BMW e venceu a prova deste domingo em Interlagos, seguido por Matheus Stumpf, que faz dupla com Patrick Gonçalves. Mas graças ao quarto lugar de Sergio Laganá e Allan Hellmeister, o duo da Aston Martin garantiu o título da categoria em 2012.

Enquanto Rosa e Faria comemoravam o título, Cacá Bueno reagiu indignado. Na coletiva de imprensa logo após a corrida, Bueno disse que “sente vergonha por ter feito parte desta corrida. Nunca vi equipes diferentes e marcas diferentes fazerem isso”. Ricci, por sua vez, não quis se pronunciar: “Não tenho nada a declarar.”

Classificação

Duda Rosa e Cleber Faria triunfaram com 205 pontos, já considerando os dois descartes obrigatórios — um para cada metade da temporada. Apenas um a mais que Cacá e Dahruj. Sergio Jimenez e Paulo Bonifácio fecharam com 182, enquanto Cláudio Ricci e Rafael Derani terminaram 2012 com 174. Allam Khodair e Marcelo Hahn completaram o top-5 do GT Brasil com 172. O bicampeão, Valdeno Brito, finalizou o ano apenas em oitavo e fechou 2012 com 125 pontos ao lado do parceiro de BMW, Constantino Junior.

GT Brasil, Interlagos, corrida 2, final:


Últimas Notícias
sexta-feira, 23 de junho de 2017
Indy
Indy
F1
F1
Indy
MotoGP
F1
F1
F1
F1
Indy
F1
Endurance
F1
F1
Galerias de Imagens
Facebook