Indy
19/05/2017 07:30

De Ferran se descreve como “o par extra de olhos” de Alonso em Indy e é só elogios: “É um dos melhores pilotos que já vi”

‘Professor’ de Fernando Alonso em Indianápolis, Gil de Ferran se impressionou e disse que o espanhol é um dos melhores pilotos que já viu. O brasileiro vem ajudando na adaptação do bicampeão à Indy e se vê como o 'par extra de olhos' de Alonso
Warm Up
Redação GP, de Curitiba
 

Exercendo um papel de mentor de Fernando Alonso em Indianápolis, Gil de Ferran uma vez mais se mostrou impressionado e disse que o espanhol é "um dos melhores pilotos" que já viu. O vencedor da Indy 500 de 2003 acredita que o bicampeão está tão bem preparado quanto qualquer outro do novato poderia estar e se revelou confiante em uma estreia forte de Alonso na famosa prova no superoval. 
 
Alonso decidiu trocar o GP de Mônaco de F1 para correr pela primeira vez as 500 Milhas de Indianápolis. E nesta semana, o asturiano vem andando forte e crescendo gradativamente durante os treinos livres. Nesta quinta-feira, o piloto de 35 anos foi o quatro mais rápido andando acima de 225 mph (algo acima dos 360 km/h).
 
"Observando Fernando fica claro para mim que ele é um dos melhores pilotos que já vi", afirmou o brasileiro ao site norte-americano 'Motorsport.com'. "Ele é muito bom em se posicionar na primeira volta, por exemplo, e é por isso que você muitas vezes o vê em muitos lugares na primeira volta, porque a primeira volta não é para assumir riscos, é sobre ver o que está acontecendo à sua frente, para tentar encontrar um caminho correto e aproveitar as oportunidades", completou.
Marco Andretti, Gil de Ferran e Fernando Alonso (Foto: Reprodução/Twitter)

"Não quero aumentar ou diminuir expectativas, basta dizer que é um piloto muito bom e tão bom quanto qualquer um que conheço e está em uma boa posição para enfrentar esse desafio, considerando que chegou aqui ontem", acrescentou Gil.
 
De Ferran se descreve como o 'par extra de olhos' de Alonso nesta semana de treinos em Indy e acha que a experiência que teve na F1 também é importante para auxiliar o espanhol. Gil deu seus primeiros passos na carreira na Europa antes de ingressar na Indy em 1995. Além disso, o ex-piloto também foi diretor-esportivo do projeto da Honda entre 2005 e 2007.
 
"Corri muito na Europa e acho que isso é muito útil", continuou. "Eu entendo algumas tecnologias e processos, mesmo afastado da F1 há uns dez anos. Não estou no polo norte em isolamento completo, eu sigo o progresso bem de perto. Quer dizer, entendo ao que ele está exposto e, em grande medida, as diferentes do que vem enfrentando aqui."
 
Por fim, Gil insistiu que a experiência que Alonso vive agora é muito diferente da sua, quando chegou à Indy. "Eu era mais jovem e muito menos experiente. Ele chega aqui como bicampeão da F1 e alguém que esteve por lá por toda a carreira. Por isso, não há muitos paralelos", concluiu.
 
MENINO THOMAS MOSTRA LADO HUMANO DA F1 E AQUECE ATÉ CORAÇÃO DO ‘HOMEM DE GELO’ RÄIKKÖNEN


Últimas Notícias
sexta-feira, 19 de maio de 2017
Indy
MotoGP
Superbike
MotoGP
MotoGP
Indy
quinta-feira, 18 de maio de 2017
Indy
Indy
Indy
Indy
F1
MotoGP
Indy
F1
Indy
Galerias de Imagens
Facebook