Indy
27/06/2015 23:44

Em corrida espetacular, com recorde de trocas na liderança e acidente forte, Rahal vence 500 Milhas de Fontana‏

As 500 Milhas de Fontana foram emocionantes do início ao fim. Encerrada com um assustador acidente entre Ryan Hunter-Reay e Ryan Briscoe, o primeiro lugar foi de Graham Rahal, que encerrou um jejum de vitórias que perdurava desde 2008, quando triunfou em São Petersburgo
Warm Up
GABRIEL CURTY, de São Paulo

Quem deixou de lado a participação brasileira na Copa América para acompanhar as 500 Milhas de Fontana com certeza ficou satisfeito com a escolha. Foram 18 carros na mesma volta até o final e um novo recorde de trocas de liderança na história da categoria, 80. No fim, melhor para Graham Rahal, que encerrou um jejum de 124 corridas e venceu a prova que se encerrou em um forte acidente entre Ryan Hunter-Reay e Ryan Briscoe.

Rahal não vencia desde o GP de São Petersburgo de 2008. O americano, desta forma, se tornou o oitavo piloto a triunfar na atual temporada e fez da RLL a sétima equipe a subir ao lugar mais alto do pódio em uma etapa da Indy em 2015.
A vibração da RLL com a vitória de Rahal (Foto: Richard Dowdy/IndyCar)
Tony Kanaan cruzou a linha final na segunda colocação, enquanto Marco Andretti abocanhou a terceira posição com uma estratégia ousada ao parar com quatro voltas para o fim.

Juan Pablo Montoya foi um dos grandes vencedores do dia. Com Will Power e Helio Castroneves tendo abandonado, o colombiano se deu bem com o quarto lugar. Sage Karam fez ótima prova e foi o quinto.

Scott Dixon fechou na sexta posição, James Jakes, discretíssimo, apareceu para ser o sétimo, Charlie Kimball foi o oitavo, Simon Pagenaud ficou em nono e Jack Hawksworth fechou top-10 da eletrizante prova californiana.

Helio Castroneves era um dos grandes favoritos à vitória e liderava a prova quando foi fechado por Graham Rahal, se envolveu em um acidente com Ryan Briscoe e deixou a disputa.
Graham Rahal venceu as 500 Milhas de Fontana (Foto: Richard Dowdy/IndyCar)
Confira como foram as 500 Milhas de Fontana:

Antes mesmo da largada, Gabby Chaves já apresentava problemas com seu carro. O colombiano sequer deixou os boxes para as voltas de aquecimento dos pneus.
 
A bandeira verde saiu pontualmente às 17h36 (em Brasília). Quem fez uma largada fantástica foi Marco Andretti, que rapidamente superou Helio Castroneves e o líder Simon Pagenaud.
 
Na sequência, Castroneves passou o companheiro e também Andretti, puxando junto Tony Kanaan e Juan Pablo Montoya.
 
As primeiras voltas foram espetaculares no oval californiano. Andretti, Castroneves, Kanaan e Montoya deram quase duas voltas em meio a uma grande disputa. Enquanto isto, Pagenaud ficava bem para trás.
 
Não tardou até que Scott Dixon, Ed Carpenter e um improvável Ryan Briscoe começassem a figurar no top-5. Para se ter uma ideia do equilíbrio no início, apenas 8s4 separavam o líder da penúltima colocada Pippa Mann após 12 voltas e oito pilotos estavam no mesmo segundo.
 
Kanaan e Andretti brigavam pelo primeiro lugar na volta 15, mas Briscoe e Sage Karam escoltavam o duo. As Penske vinham logo atrás.
 
Com o ritmo de Briscoe caindo, Karam já aparecia como o grande nome da prova. O garoto se enfiou na briga entre Kanaan e Andretti e foi à ponta da prova pela primeira vez no 24º giro.

A janela nos boxes abriu na volta 33 e, rapidamente, os pilotos começaram a ir para os boxes. Stefano Coletti abriu os trabalhos, seguido por Carlos Muñoz. O primeiro dos líderes foi Kanaan, que parou na 34ª. Briscoe fez sua parada na 35 e, na 36, um grande pelotão foi aos boxes puxado por Andretti.
 
Cena mais do que comum, especialmente em 2015, a Dale Coyne já apresentava problemas logo na primeira parada. Era Tristan Vautier que já ficava de fora da disputa ao atropelar o seu mecânico. O homem, que estava posicionado na roda dianteira esquerda, foi retirado de maca.
 
Na última leva de pilotos a ir para os boxes estava o quarteto da Penske. Montoya quase tocou Power enquanto Pagenaud e Castroneves escorregaram, quase protagonizando um acidente bizarro.
 
Reposicionados após as paradas, Andretti vinha com Dixon na frente. Logo atrás aparecia Takuma Sato que, com bom ritmo, saltou para a dianteira. Montoya e Pagenaud também vinham bem e figuravam no top-5.
 
O equilíbrio era a grande marca da prova após o primeiro quinto de disputa. Dixon tomava a frente, 0s1 na frente de Sato, 0s4 de Andretti, 0s8 de Montoya e Carpenter e 1s de Pagenaud. Karam, Briscoe, Kanaan e Power também estavam no top-10 e vinham com menos de 2s de desvantagem para o ponteiro neozelandês.

Sato recuperava a ponta e trazia junto Dixon. Muito velozes, Carpenter e Castroneves apareciam logo atrás, com Kanaan fechando o grupo dos cinco primeiros enquanto Coletti abria a segunda janela no 64º giro.
 
Muñoz parou na 69ª e a movimentação nos boxes aumentou a partir da volta 70 com Sébastien Bourdais e Kanaan. Briscoe, novamente, veio a seguir.
 
No reposicionamento após a segunda rodada de paradas, Castroneves, Power, Kanaan e Sato apareciam destacados em relação ao resto.
 
O baiano tomou uma fechada brusca de Power e, assim, possibilitou a aproximação de Pagenaud e Montoya no grupo da frente. Graham Rahal, Dixon, Carpenter e Briscoe vinham logo atrás.
 
Vencido um terço da corrida, Castroneves puxava o grupo. Power, Sato, Pagenaud, Montoya, Kanaan, Carpenter, Dixon, Rahal e Briscoe completavam o top-10. Os onze primeiros eram separados por menos de 3s e 19 carros vinham na mesma volta. Coletti e Pippa tinham uma de atraso, Vautier, seis, e Chaves aparecia 15 voltas atrás.
 
Ainda completamente embolados em um pelotão de cerca de dez carros, Kanaan e Castroneves abriram a terceira rodada de paradas na volta 107.
 
Castroneves assumiu a ponta após a rodada de paradas. A briga atrás do paulista, contudo, estava frenética. Muñoz, Rahal e Sato passaram muito perto de protagonizar um acidente. Na sequência, Briscoe tomou a dianteira e quase também foi acertado por Sato.
 
A Honda seguia mostrando excelente rendimento. Prova disto era a linda briga entre Rahal e Briscoe pelo segundo lugar. Era aquele, talvez, o maior momento de respiro para o líder Castroneves.
 
Após metade da prova ser concluída, assim estava o top-10: Castroneves, Rahal, Briscoe, Montoya, Kanaan, Dixon, Carpenter, Pagenaud, Sato e Andretti. Power, Karam, Muñoz, Charlie Kimball e Ryan Hunter-Reay também vinham muito próximos, a menos de 4s5 do líder.

Depois de muito martelar, Rahal finalmente alcançou a liderança da prova na volta 128, mas seguia imerso à interessante disputa com Castroneves e Kanaan. 
 
A primeira amarela apareceu na volta 135. E foi logo com quem estava na liderança da corrida. Castroneves tomou uma fechada de Rahal, ficou desequilibrado e se envolveu em um toque com Briscoe. O australiano perdeu parte da asa traseira, mas o prejuízo do brasileiro foi muito maior. Fim de prova para Castroneves e situação complicadíssima no campeonato.
Helio Castroneves para no muro interno da pista após ser espremido por Ryan Briscoe (Foto: Reprodução TV)
Por muito pouco não sobrou para Montoya. O líder do campeonato teve de fazer ótima manobra para escapar da batida entre o companheiro e Briscoe.

Mesmo com várias voltas de atraso para os líderes, Castroneves ainda tentava retornar à pista. A Penske trabalhava duro em cima do carro do brasileiro durante a bandeira amarela.
 
Castroneves regressou na volta 151, na frente apenas de Chaves. No mesmo giro aconteceu a relargada.
 
Power saiu segurando os ataques incessantes de Rahal e ainda recebeu a pressão de Kanaan por fora e Montoya por dentro. 
 
Fechado por Rahal, Kanaan por muito pouco não colocou Carpenter no muro de Fontana. Enquanto Briscoe pagava drive-through pelo acidente com Castroneves e o brasileiro novamente recolhia o carro, o pole Pagenaud reassumia a dianteira pela primeira vez na prova.
 
Relargada espetacular foi a de Muñoz. O colombiano deixou o 16º lugar, escalou todo o pelotão e já aparecia na primeira colocação quando o final de semana da CFH acabou em um toque.
 
Prejudicado pela mudança de linha de Montoya, Carpenter foi saindo para o lado de fora, não viu a chegada de Josef Newgarden e se chocou com o próprio companheiro de equipe. Fim de prova para ambos.
 
Era hora, então, de surgirem as estratégias. Power, Hunter-Reay, James Jakes, Dixon, Kimball e Hawksworth foram aos boxes com apenas 25 voltas de pneus.

Inclusive este foi o terceiro abandono de Carpenter em apenas três provas disputadas. Um banho de água fria para o time após a dobradinha de Newgarden e Luca Filippi em Toronto. Logo na entrevista pós-corrida, Carpenter se desculpou com Newgarden, ainda que tenha culpado a agressividade de alguns pilotos.
 
Muñoz, Andretti, Kanaan, Pagenaud, Rahal, Sato, Karam, Montoya, Bourdais e Power eram os dez primeiros com a bandeira amarela na volta 165.
 
A relargada veio logo na sequência e Muñoz segurou as investidas de Andretti. Rahal seguia para lá de ousado e quase tocou Kanaan. De pneus novos, Power rapidamente assumiu a dianteira, mas era simplesmente impossível descolar do pelotão.
 
Muñoz, Sato, Kanaan e Power assustaram dividindo a mesma curva. Montoya era outro bastante agressivo e escoltava o grupo da frente.
 
Quietinho esperando os desdobramentos de uma acirrada disputa entre Rahal, Power e Kanaan, Andretti aproveitou um “quase toque” para investir no lado de fora da pista e voltar à liderança. Muñoz foi o primeiro dos líderes a ir para os boxes, já na volta 187.
 
No meio da rodada de paradas, bandeira amarela causada por Rahal, que deixou detritos na pista. Novamente, hora das estratégias aparecerem, agora já focadas no final da corrida.
 
Sato acertou um pedaço deixado pelo carro de Karam na pista e comprometeu completamente sua prova. A Foyt não conseguiu evitar que o japonês perdesse uma volta.
 
A relargada veio com 51 voltas para o fim. Andretti não conseguiu segurar as investidas de Power e de um surpreendente Hunter-Reay. Outro que estava quietinho, Dixon já usava a linha de dentro para ser o novo líder.

Com 45 voltas restantes e ótima briga especialmente entre Andretti, Penske, Ganassi e, novamente, Briscoe, 16 carros vinham na mesma volta. A corrida prometia emoções ainda mais fortes para os giros finais.
 
Para se ter uma ideia de quão imprevisível era a prova, Rahal e Karam já voltavam para a disputa. Andretti, Power, Kanaan, Briscoe e Montoya contavam com a sorte ao andarem os cinco lado a lado. Grande prova em Fontana, de longe a melhor do ano!
 
16 carros ainda tinham chances reais de vitória com uma parada ainda restando para os pilotos. Do líder Power para Bourdais – 15º colocado – eram apenas 4s. 
 
No momento em que Andretti passava Power e estabelecia a 74ª troca de liderança – recorde histórico da categoria – Dixon acertava Muñoz e causava nova paralisação.
 
Como resultado, trabalho extra para a Andretti no carro do colombiano e todo mundo novamente nos boxes. Power aproveitava, assim, para recuperar a dianteira.
 
Com 25 voltas para o fim, assim estava o grupo dos dez primeiros colocados: Power, Andretti, Rahal, Kanaan, Pagenaud, Briscoe, Montoya, Karam, Hunter-Reay e Dixon.

A relargada aconteceu com 23 voltas para o final. Power manteve a dianteira com ataques de Pagenaud, Andretti e Montoya por baixo e Rahal, Kanaan e Hunter-Reay por cima.
 
Enquanto Briscoe e Rahal quase se encontravam perto da grama, Montoya discretamente ia armando o bote para superar Power. Karam era outro que não poderia ser descartado, tentando pelo lado de fora.

Briscoe, Montoya, Rahal e Kanaan começavam a se destacar no pelotão, mas, com 14 voltas ainda a serem realizadas, tudo estava aberto. Dixon, então, tentou por fora, enquanto Sato saía novamente do nada para buscar a liderança com manobras arrojadíssimas.
 
Mas estava claro que aquela acirradíssima disputa ainda traria consequências. Na volta 241, Sato vinha desequilibrado, tocou com Dixon e acertou Power. Pior para o japonês e o australiano que foram diretamente para o muro.

Querendo evitar o final da prova em bandeira amarela, a direção deu bandeira vermelha com cinco giros para o fim. Rahal era o ponteiro, seguido por Briscoe, Kanaan, Dixon e Montoya.

Os pilotos voltavam para a pista novamente sob bandeira amarela quando Andretti, Muñoz, Pagenaud, Hunter-Reay e Hawksworth resolveram tentar o pulo do gato com outra parada.

A relargada veio e Rahal tratou de usar todas as armas para deter os ataques de Kanaan. Montoya também tentou por dentro, mas em vão. Foi aí que surgiu Andretti, com pneus novos, pronto para tomar a dianteira. Rahal, entretanto, fechou o compatriota e ainda tirou Kanaan do caminho.

Buscando espaço no top-5, Briscoe e Hunter-Reay protagonizaram o acidente que deu fim à emocionante prova. Hunter-Reay foi espremido por Montoya e acertou Briscoe, fazendo o australiano decolar. Por sorte, o piloto da SPM não desceu com a cabeça diretamente no chão.

O acidente deu a vitória a Rahal, que estava alguns metros na frente de Kanaan. Sobrando com os novos pneus, Andretti ainda teve forças para buscar o terceiro lugar. Cada vez mais líder do campeonato, Montoya cruzou em quarto, enquanto Karam fez sua melhor prova na categoria e foi quinto.

Indy, 500 Milhas de Fontana, classificação final:

1 15 GRAHAM RAHAL EUA RLL HONDA 250 voltas  
2 10 TONY KANAAN BRA GANASSI CHEVROLET +0.316  
3 27 MARCO ANDRETTI EUA ANDRETTI HONDA +1.249  
4 2 JUAN PABLO MONTOYA COL PENSKE CHEVROLET +2.118  
5 8 SAGE KARAM EUA GANASSI CHEVROLET +2.954  
6 9 SCOTT DIXON NZL GANASSI CHEVROLET +3.609  
7 7 JAMES JAKES ING SCHMIDT PETERSON HONDA +4.985  
8 83 CHARLIE KIMBALL EUA GANASSI CHEVROLET +5.360  
9 22 SIMON PAGENAUD FRA PENSKE CHEVROLET +7.405  
10 41 JACK HAWKSWORTH ING FOYT HONDA +9.513  
11 4 STEFANO COLETTI MCO KV CHEVROLET +10.921  
12 26 CARLOS MUÑOZ COL ANDRETTI HONDA +11.691  
13 18 PIPPA MANN ING DALE COYNE HONDA +24.345  
14 11 SÉBASTIEN BOURDAIS FRA KV CHEVROLET +25.151  
15 5 RYAN BRISCOE AUS SCHMIDT PETERSON HONDA +1 volta NC
16 28 RYAN HUNTER-REAY EUA ANDRETTI HONDA +1 volta NC
17 19 TRISTAN VAUTIER FRA DALE COYNE HONDA +4 voltas  
18 14 TAKUMA SATO JAP FOYT HONDA +9 voltas NC
19 1 WILL POWER AUS PENSKE CHEVROLET +9 voltas NC
20 98 GABBY CHAVES COL BRYAN HERTA HONDA +13 voltas  
21 67 JOSEF NEWGARDEN EUA CFH CHEVROLET +89 voltas NC
22 20 ED CARPENTER EUA CFH CHEVROLET +93 voltas NC
23 3 HELIO CASTRONEVES BRA PENSKE CHEVROLET +114 voltas NC


Últimas Notícias
sábado, 24 de junho de 2017
MotoGP
MotoGP
F1
Stock Car
MotoGP
F1
F1
MotoGP
MotoGP
F2
F1
MotoGP
MotoGP
MotoGP
sexta-feira, 23 de junho de 2017
Indy
Galerias de Imagens
Facebook