Indy
13/04/2017 08:00

Montoya diz que Alonso terá choque com velocidade em Indy, alerta para tráfego, mas prevê: “Ele vai se dar bem”

Vencedor das 500 Milhas de Indianápolis em 2000 e 2015, Juan Pablo Montoya foi contemporâneo de Fernando Alonso nos tempos em que esteve na F1. O colombiano acredita que o bicampeão vai ser bem-sucedido em Indy, mas alertou para o desempenho no tráfego. E previu que o espanhol vai ter um grande choque com a velocidade no oval americano. Dario Franchitti, três vezes vencedor da Indy 500, lembrou: “Indianápolis é diferente da F1”
Warm Up
Redação GP, de Sumaré
 

Juan Pablo Montoya foi um dos grandes adversários de Fernando Alonso no ciclo mais vitorioso do espanhol na F1, na década de 2000. Depois de Michael Schumacher, o colombiano, que correu por Williams e McLaren entre 2001 e 2006, travou grandes disputas com o bicampeão do mundo, que se notabilizou por ter estilo parecido ao seu. Desde então, os dois jamais chegaram a correr juntos em um evento de grande porte. Mas Montoya e Alonso vão se reencontrar em maio em Indianápolis. O espanhol vai fazer sua estreia na icônica prova com um carro da McLaren em parceria com a equipe Andretti e a Honda.
 
Na esteira do anúncio que surpreendeu o mundo do esporte, Montoya falou ao site norte-americano ‘Motorsport.com’ sobre suas expectativas a respeito de Alonso. O colombiano vai competir no carro #22 da Penske na pista onde já venceu duas vezes em duas fases bem distintas da Indy: em 2000, quando disputou sua primeira corrida na IRL, enquanto corria a temporada completa da CART, pela qual foi campeão em 1999 com a Ganassi; e em 2015, pela Penske, já com o chassi Dallara DW12 que Fernando vai guiar neste mês de maio.
 
Montoya acredita que Alonso vai ter um grande choque com a velocidade e com a sensação de perigo de Indianápolis, que é muito diferente da F1 como um todo justamente porque as corridas do Mundial hoje em dia são realizadas em circuitos com áreas de escape muito amplas. Mas o colombiano acredita que Alonso tem tudo para se dar bem, sobretudo se entender bem como correr e lidar com o tráfego, grande desafio em Indianápolis durante a corrida.
Montoya acredita que Alonso vai se dar bem em Indianápolis (Foto: Beto Issa)

“Fernando é um demônio nas corridas. Eu sou muito ligado a ele e à forma como ele correu quando competimos juntos. Ele só precisa aprender como correr em um oval e, em particular, a técnica de seguir outros carros. Quando ele conseguir colocar isso, acho que ele vai fazer um bom trabalho. Ele vai ter uma boa impressão”, disse o piloto.
 
“Mas o principal em Indianápolis é equilibrar o que se precisa do carro quando você se coloca contra outro no tráfego ou às vezes em um grande pelotão. É interessante. Você tem de querer sair um pouquinho de frente, o que vai ser a principal diferença para ele, porque na F1 você sempre quer esse equilíbrio perfeito, quer sentir o carro livre nas curvas de alta. No oval você não quer isso, quer um pouco o carro saindo de frente. Mas ele vai se dar bem. Ele é um piloto muito bom e muito experiente”, destacou.
 
Montoya lembrou a sua transição no seu retorno à Indy para voltar a correr em Indianápolis em 2015, mas ressaltou que seu caso é diferente em relação a Alonso por já ter uma experiência prévia nos ovais.
 
“Lembro que para mim foi diferente porque ainda tinha uma experiência nos ovais, não só na Nascar, mas também com os carros da Indy. Fiquei muito tempo [fora], mas ainda sabia o que fazer. Acho que vai ser bom que Fernando possa testar primeiro no circuito só para se acostumar ao carro. Tudo o que ele tem de se acostumar é à técnica de um oval. É um grande passo”, comentou.
 
Montoya acredita que Alonso vai se impressionar com as altas velocidades de Indianápolis, muito mais do que o espanhol já experimentou em toda sua carreira antes no automobilismo.
 
“As minhas primeiras corridas em ovais na CART foram muito difíceis, não tinha certeza do que precisava fazer fora do carro. O primeiro superspeedway que testei foi em Michigan, e fui rápido, mas depois de aprender a fazê-lo, não foi um grande problema. É só ir lá, fazer o seu e não pensar muito nisso. Mas até que você o faça, oh, meu Deus, é devastador com os nervos! Ultimamente, a F1 tem feito corridas em pistas com grandes áreas de escape, de modo que a impressão de perigo não está lá, então talvez seja um grande choque para Fernando, mas, se a equipe fizer tudo bem, acho que ele vai estar bem”, finalizou.
 
 
Franchitti festeja Alonso em Indy, mas pede prudência
 
Dario Franchitti ostenta nada menos que três anéis de vencedor das 500 Milhas de Indianápolis. O escocês já bebeu o leite da vitória em 2007, com a Andretti, 2010 e 2012 com a Ganassi. Agora, é mais um piloto a festejar a vinda de Alonso, mas, por outro lado, ressalta: Indianápolis é muito diferente da F1 em si. Por isso, pede prudência ao espanhol sobre suas expectativas.
 
“O fato de Fernando Alonso estar presente nas 500 Milhas de Indianápolis neste ano é muito bom para a Indy. Ele deve ser prudente com as expectativas porque correr em um circuito como Indianápolis é muito diferente do que ele faz na F1. O muro está esperando e não dá uma segunda chance”, disse.
Dario Franchitti também comemorou a ida de Alonso a Indianápolis, mas pediu prudência sobre as expectativas (Foto: IndyCar/LAT USA)
“Se ele cometer um erro, então danifica o carro e está fora. A experiência no oval é muito importante porque as condições variam muito e é preciso se adaptar. O vento muda, a temperatura pode aumentar ou mesmo a umidade, de modo que é preciso reagir rápido com o ajuste”, ressaltou o ex-piloto, que disputou as 500 Milhas de Indianápolis em dez oportunidades.
 
PADDOCK GP #73 DEBATE: VERSTAPPEN É O PILOTO MAIS IMPRESSIONANTE DA F1?



Últimas Notícias
terça-feira, 17 de outubro de 2017
F1
F1
F1
F1
F1
F1
Warm Up
Copa Grande Prêmio
F1
F1
segunda-feira, 16 de outubro de 2017
MotoGP
Seletiva BR
Copa Grande Prêmio
F1
F1
Galerias de Imagens
Facebook