Mercedes-Benz Challenge
06/11/2016 23:07

Punições geram reviravolta e decretam vitória de Ribeiro no Mercedes-Benz Challenge em Goiânia

Betão Fonseca cruzou a linha de chegada na frente em Goiânia na classe CLA AMG Cup do Mercedes-Benz Challenge. Contudo, horas depois, os comissários desportivos determinaram a desclassificação do piloto em razão do toque que culminou no acidente de Arnaldo Diniz Filho. José Vitte, que herdaria a vitória, também foi punido por ultrapassar em bandeira amarela. Assim, o triunfo no domingo acabou ficando com o terceiro colocado, Luiz Carlos Ribeiro
Warm Up
FERNANDO SILVA, de Sumaré
A movimentada sétima e penúltima etapa da temporada 2016 do Mercedes-Benz Challenge se estendeu para horas depois da bandeirada final no último domingo (6), em Goiânia. Betão Fonseca havia conquistado sua primeira vitória na classe CLA AMG Cup. Contudo, o piloto da Center Bus/Sambaíba Racing foi investigado pelos comissários de prova em razão de um toque que culminou com a forte batida do líder do campeonato, Arnaldo Diniz Filho, no muro de proteção localizado na reta dos boxes. Assim, Fonseca, de vencedor, acabou sendo desclassificado da etapa.
 
Em teoria, José Vitte, segundo colocado, seria declarado o vencedor da prova, o que aconteceria também pela primeira vez, no caso de Vitte, na classificação geral. Contudo, o piloto de Santa Gertrudes, companheiro de equipe de Diniz na WRC/Comark Racing, também acabou sendo punido pela direção de prova por ter feito uma ultrapassagem sob bandeira amarela. Assim, o vencedor da etapa de Goiânia foi quem cruzou a linha de chegada em terceiro: Luiz Carlos Ribeiro. De quebra, o gaúcho subiu para a vice-liderança do campeonato. Vitte, mesmo com a punição, foi o segundo colocado, enquanto o goiano Renato Braga garantiu o terceiro lugar.
 
"Foi uma corrida bem difícil, porque a chuva caiu de forma intermitente. Com pneus slick estávamos entre os mais rápidos da prova, mas quando trocamos para os pneus de chuva passei a ter mais dificuldades. Larguei em 13º por circunstâncias do treino classificatório, mas meu carro esteve competitivo durante todo o fim de semana. E, pensando no campeonato, melhor seria impossível", disse Ribeiro.
Luiz Ribeiro herdou a vitória na CLA AMG Cup após as punições a Fonseca e Vitte (Foto: Fabio Davini)
Vitte, tema de matéria especial do GRANDE PREMIUM sobre seu amor pelo esporte a motor e superação depois do acidente sofrido há pouco mais de dois anos, no Velopark, falou sobre o sentimento de subir ao pódio em Goiânia, uma pista que lhe é especial.
 
"Foi uma etapa incrível", comemorou. "Larguei mais atrás e tive que fazer uma prova de recuperação. Mas meu carro estava fantástico, em especial na chuva. Essa pista me traz bons fluidos porque marcou minha volta às pistas depois de um longo período afastado, e neste fim de semana volto mais uma vez à categoria com um pódio", acrescentou.
 
Por sua vez, Braga festejou o pódio, que veio diante de condições muito adversas. "Antes da corrida eu dizia que queria muito chegar ao pódio e somar pontos que me permitissem terminar a temporada entre os cinco primeiros. Na classificação não conseguimos encaixar uma volta, as coisas não evoluíram bem, e a tarefa parecia impossível já que partimos em 16º em um grid supercompetitivo como este", lembrou Braga. "A pontuação que recebi nesta etapa me deixou perto do objetivo maior, que é uma colocação positiva no campeonato", acrescentou o goiano.
José Vitte chegou ao pódio no domingo em Goiânia (Foto: Fabio Davini)
Na C 250 Cup, as posições foram mantidas e não houve nenhuma punição aos primeiros colocados. Peter Michel Gottschalk, o Peter ‘Tubarão’, venceu depois de superar o carro guiado por Marcos Paioli e seu pai, Peter Gottschalk, que estiveram na ponta em boa parte da corrida. A boa surpresa do fim de semana, uma vez mais, foi a performance de Fábio Escorpioni. Com um carro bem acertado para a corrida, o piloto largou dos boxes, mas conseguiu se superar. Mesmo com a pista bastante escorregadia, Escorpioni faturou mais um pódio e subiu para segundo lugar no campeonato.
 
"Esta foi uma vitória importante para campeonato. Estávamos preocupados porque não sabíamos se a chuva começaria antes da prova ou nas primeiras voltas. E acabou acontecendo de largarmos com um tipo de pneu e enfrentarmos a situação mais difícil possível, que é chuva com pneus slick. Mas deu tudo certo e conseguimos mais uma vitória importante", comentou ‘Tubarão’.
 
O experiente Paioli, piloto e chefe de equipe, definiu a dureza que foi a etapa de Goiânia. Foi a corrida mais difícil do ano. Os pneus slicks, nesta situação de pista molhada, dificulta muito a pilotagem porque, além de tudo, não conseguimos atingir a temperatura ideal da borracha. Cada curva, cada freada, era uma reação", declarou. Seu companheiro de equipe, Peter Gottschalk, pai do vencedor e líder do campeonato, assumiu o #111 para a segunda parte da prova, após o pit-stop e a troca dos slicks para os pneus de chuva.
Peter Michel Gottschalk venceu de novo na C 250 Cup e está perto do bi (Foto: Fabio Davini)
"Tive um pouco menos de dificuldade porque entrei na pista depois do pit stop, mas mesmo assim a prova foi dura. Felizmente conquistamos o nosso objetivo", acrescentou.
 
Escorpioni quase não largou. O piloto enfrentou muitas dificuldades, sobretudo no sábado, quando enfrentou problemas, sua equipe trabalhou duro, mas não conseguiu colocar o carro na pista para a classificação. Mas nada como um dia após o outro e, no domingo, veio a glória coroada com o banho de champanhe. 
 
“Era um final de semana em que tudo parecia perdido, pois tive que sair dos boxes, ou seja, nem mesmo em último no grid estive... Só tenho que agradecer a toda a equipe, especialmente por que foi minha primeira corrida nessas condições. Eu nunca tinha andado na chuva, então foi um resultado surpreendente e perfeito", comemorou.
 
Os resultados do domingo em Goiânia deixam a briga pelo título da CLA AMG Cup ainda bastante aberto. Matematicamente, os dez primeiros colocados ainda sustentam chances de título, já que a etapa final, em Interlagos, vai distribuir 40 pontos, o dobro dos habituais 20. Arnaldo Diniz segue líder com 86, enquanto Luiz Ribeiro reduziu bem a diferença e agora soma 79. Fernando Fortes tem 70, com Renato Braga em quarto, com 60, e Roger Sandoval fechando o top-5 com 56. Entre os pilotos que ainda têm chances estão Marcelo Hahn com 54, mesmo número de pontos de Cristian Mohr, Pierre Ventura, com 52, Adriano Rabelo, com 50, e Betão Fonseca, que perdeu os 20 pontos pela vitória e segue com 47.
Fabio Escorpioni quase não largou, mas correu e terminou em terceiro na C 250 Cup (Foto: Fabio Davini)
Na C 250 Cup, o cenário é muito mais favorável ao bicampeonato de Peter Michel Gottschalk, que agora soma 113 pontos. Marcos Paioli e Peter Gottschalk estão 25 pontos atrás, com os mesmos 88 de Fabio Escorpioni. Claudio Simão não pontuou e caiu de segundo para quarto lugar no campeonato, com 78, enquanto Flávio Andrade, piloto da Hot Car, ainda tem chances matemáticas de título, com 71 pontos.
 
A etapa derradeira da temporada 2016 do Mercedes-Benz Challenge será disputada em 11 de dezembro no Autódromo Internacional de Interlagos, em São Paulo.
 


Últimas Notícias
sábado, 19 de agosto de 2017
Indy
Superbike
F1
DTM
F3
F1
sexta-feira, 18 de agosto de 2017
Rali
F3
F1
Copa Grande Prêmio
F1
F1
F1
F1
F1
Galerias de Imagens
Facebook