Mitsubishi
10/10/2016 05:34

Desfecho de rodada dupla desafiadora em Indaiatuba esquenta briga pelo título na Mitsubishi Cup

Com trajeto inédito em meio à plantação de cana-de-açúcar, os pilotos e navegadores encararam uma nova batalha no interior de São Paulo. O formato de rodada dupla, colocado em prática para ajudar também na logística das equipes, foi elogiado pelos competidores da Mitsubishi Cup
Warm Up
Redação GP, de Sumaré
O domingo (9) fechou uma peculiar rodada dupla válida pela penúltima etapa da Mitsubishi Cup. Os pilotos e navegadores já estavam aquecidos para a sexta etapa do principal rali cross-country de velocidade monomarca do Brasil, já que, depois de disputar três provas de 30 km cada no último sábado, as duplas acordaram cedo para percorrer ou roteiro diferente, de 51 km, por duas vezes.
 
E o percurso do domingo foi bastante elogiado pelos competidores. “Hoje foi uma das provas mais técnicas da temporada, não dava tempo de olhar para fora. Foi olho na planilha e no odômetro o tempo todo, se vacilasse passava a referência”, comentou Rodrigo Mello, navegador que venceu o dia na categoria ASX R.
 
Diante de um percurso inédito, totalmente visual e em meio a cana-de-açúcar recém-plantada, os competidores encararam uma etapa teve como destaque trechos de piso mais desafiador, com pedras e cascalho, além das estradas de terra batida que levantaram bastante poeira. 
 
“Tinha muita referência, saídas, idas e voltas, um trecho bem quebrado de cross-country. Foi uma prova que mesclou trechos rápidos e travados, bem boa de correr”, ressaltou o experiente Eduardo Bampi, navegador do ASX RS número 19.
A etapa de Indaiatuba rendeu belas fotos diante do céu azul (Foto: Cadu Rolim/Mitsubishi)
O formato de etapa dupla — um fim de semana completo, com provas tanto sábado quanto no domingo — foi pensado para facilitar a logística para as equipes e duplas, e esquenta a disputa pelo campeonato. "É interessante, força a mudar a estratégia e exige do piloto e do navegador", explicou Bampi. O domingo reservou uma surpresa: nenhuma dobradinha. As cinco categorias tiveram campeões diferentes de sábado, o que mexeu, mais uma vez, com a classificação geral.
 
Thiago Wilson Rizzo da Silva e Carlos Eduardo Piacentini voltaram a subir no pódio da categoria L200 Triton ER. “Hoje a gente tinha que ganhar para não perder a chance do campeonato. Agora, vamos decidir na última etapa. E garanto: vai terminar na última volta, nos últimos segundos. É legal, a adrenalina vai a mil", comemorou o piloto. "Foi cansativo, mas é muito bom. Como passamos pelos trechos mais de uma vez, o terreno ia mudando. Precisamos adequar", disse Cadu.
 
Markus Johannes De Wit e Rodrigo Mello venceram a categoria ASX R. "Foi um fim de semana de altos e baixos. Começamos embaixo, depois viemos recuperando. O resultado foi bom!", declarou o navegador, Rodrigo. 
 
"Nossa expectativa para hoje estava baixa, porque ontem corremos legal, mas não o suficiente. E está muito quente, acho que foi a mais difícil do campeonato", lembrou o piloto. "Ontem estávamos embolados, hoje estamos na liderança. Não pode vacilar. Na última etapa, será tudo ou nada - não dá para arriscar." Rodrigo emendou: "Ficou muito interessante para a última prova, todos estão de olho no campeonato. Acho que é a categoria mais disputada."
O percurso envolveu até trechos de asfato no domingo em Indaiatuba (Foto: Cadu Rolim/Mitsubishi)
Entre os ASX RS, Fabio Ruediger e Eduardo Bampi subiram ao lugar mais alto do pódio. "Acho interessante porque muda a estratégia, não podemos andar tão extremo", afirmou Bampi. "Foi uma vitória importante. Damos um pulo na classificação do campeonato e nos aproximamos dos líderes. Ninguém vai dormir tranquilo!" O piloto ressaltou o calor da etapa. "Foi difícil, faltando 10 km para acabar eu estava no meu limite. Mas a gente tira forças não sei de onde... E na Mit Cup não tem muita estratégia, é acelerar no limite, não dá nem tempo de pensar direito."
 
Na categoria TR4 ER, Flavio Donizeti Pereira de Oliveira e Fernando Marcel Toshio Abe levaram a melhor. "Foi muito gratificante. Ontem, fomos desclassificados por um problema no carro. Mas hoje conseguimos chegar, apesar de um pneu estourado, e alcançamos a vitória. A emoção e a adrenalina foram demais", recordou o piloto. "Todos da categoria andam praticamente iguais, está disputadíssima." O navegador conta que trabalhou bastante. "Foi divertido. Saio com a alma lavada e vamos pra última com confiança total."
 
Já na categoria Pajero TR4 ER Master, vitória de Marcos Claudemir Chueda e Luiz Afonso Torres Poli. "Muito difícil, técnica e cansativa. A pista era bem diferente, cheia de informação, que dificultou a navegação", declarou Marcos. "A concorrência é boa, gera um desafio a mais e nos esforçamos mais para fazer acontecer e melhorar", conta o navegador. "Estávamos em busca dessa vitória desde o começo do ano. Agora, vamos pra última de olho em mais uma vitória. Podem acontecer inúmeras coisas...", encerrou.
 
A grande final da Mitsubishi Cup está marcada para o dia 19 de novembro em Mogi Guaçu (SP), uma das casas da Mitsubishi Motors, uma vez que é na cidade interiorana paulista que está localizado o Autódromo Velo Città.
Últimas Notícias
segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017
F1
F1
F1
F1
F1
F1
F1
F1
F1
F1
F1
F1
domingo, 26 de fevereiro de 2017
Nascar
F1
F1
Galerias de Imagens
Facebook