Mitsubishi
07/09/2016 10:41

No último dia do Rali dos Sertões em Goiás, Spinelli e Haddad enfrentam ‘especial limpa’ e chegam a Posse no top-3

Depois de dois dias bastante duros na 24ª edição do Rali dos Sertões, Guilherme Spinelli e Youssef Haddad finalmente tiveram um dia livre de problemas, o que não significa que a terceira especial, entre Cavalcante e Posse, em Goiás, tenha sido fácil. Muito pelo contrário: foram 643 km em outra jornada bastante longa
Warm Up
Redação GP, de Sumaré
A 24ª edição do Rali dos Sertões chegou, na última terça-feira (6), ao seu último destino no estado de Goiás. A cidade de Posse recebeu o fim da terceira etapa da prova, que teve largada na também goiana Cavalcante. Para Guilherme Spinelli e Youssef Haddad, a dupla da Mitsubishi Ralliart Brasil, foi um dia finalmente livre de problemas. Depois de ter de lidar com dois pneus furados no primeiro dia de competição e de enfrentar problemas nos fixadores das rodas no segundo, finalmente a dupla teve uma jornada animadora na luta por mais um título do maior rali cross-country do Brasil. De quebra, ‘Guiga’ e Youssef terminaram a prova no top-3, subindo para quinto lugar na classificação geral.
 
“Foi mais uma etapa positiva, e os acertos que vínhamos buscando deram certo”, comemorou o piloto carioca. “Mexemos na regulagem da suspensão minutos antes da largada e deu resultado. Modificamos mais um pouco no ponto de abastecimento e melhorou ainda mais. Viemos em um ritmo bom a especial inteira. Foi longa como a de ontem, mas não tão difícil, nem exigente”, avaliou Spinelli.
A terceira especial do Rali dos Sertões foi marcada também por muitas travessias de rio (Foto: Marcelo Machado/Mitsubishi)
A especial foi marcada por muitos trechos de estradas sinuosas, erosões e também depressões, compreendendo também alguns trechos de trial, com muitas subidas e descidas fortes, fruto de um roteiro que passou por uma região bastante montanhosa em Goiás.
 
Youssef destacou o bom desempenho do ASX Racing, que vem evoluindo bastante ao longo da prova. “O carro foi muito bem, as alterações diárias estão surtindo efeito, e isso dá confiança para os dias seguintes. A especial foi bem completa, muito característica do que é o Rali dos Sertões, passando por estradinha secundária. Víamos umas casinhas do meio do nada, em lugares em que nunca se imagina que more alguém”, contou o navegador, ressaltando uma das peculiaridades de uma prova como o Sertões.
 
Haddad revelou um desconforto vivido durante parte da prova, algo que acabou fazendo com que a dupla perdesse um pouco de tempo. “Amanheci um pouco mal e fomos obrigados a parar em função disso. Depois consegui voltar e, no abastecimento, pude me hidratar mais, melhorando na segunda parte. Uma pena perder um tempo importante em função disso”, lamentou.
 
A quarta etapa da prova vai marcar a volta do Rali dos Sertões para a Bahia. A caravana da prova deixa Posse rumo a Luís Eduardo Magalhães num percurso total de 560,15 km, sendo 361,94 km de especial. Uma etapa que promete ser bastante rápida, mas também exigente para a navegação. A geografia muda bastante em relação ao terreno predominante nesta fase goiana da disputa, com piso de piçarra, mas também trechos longos, sinuosos e com muita areia. Uma prévia para o grande desafio do Sertões: o temido Jalapão.
 
“Será um dia de alívio, apesar de ser longo. Promete ser um dia muito rápido para nos prepararmos para o Jalapão. O rali vem cumprindo o que prometeu e não me lembro do Sertões ter três dias seguidos nesse nível. Escolheram bem o percurso”, observou o experiente Haddad.
PADDOCK GP #45 COMENTA FIM DE SEMANA COM F1, INDY, MOTOGP E WEC



Últimas Notícias
sexta-feira, 22 de setembro de 2017
MotoGP
MotoGP
F1
F1
MotoGP
quinta-feira, 21 de setembro de 2017
Indy
MotoGP
Superbike
F1
MotoGP
F-E
MotoGP
MotoGP
Nascar
F1
Galerias de Imagens
Facebook