Motociclismo
24/01/2016 16:38

Por corridas de moto, Monza cogita reformular Curva Grande e alterar primeira chicane em 2017, diz jornal

O tradicional circuito de Monza deve passar por modificações significativas em seu traçado para 2017, visando especialmente as corridas de moto. Ainda não está claro que as alterações serão também para a F1, que atualmente negocia a renovação de contrato com o autódromo italiano
Warm Up
Redação GP, de Curitiba
Ainda que o futuro no calendário da F1 permaneça incerto, o autódromo de Monza, na Itália, já estuda uma significativa reestruturação de seu tradicional traçado. De acordo com o jornal 'La Gazzetta dello Sport', a histórica pista pode alterar a Curva Grande, por meio da construção de um novo trecho, que incluiria ainda uma nova chicane. As mudanças estão previstas para 2017. E visam, especialmente, atender as exigências para corridas de moto. 
 
As alterações na Curva Grande também devem afetar a primeira chicane depois da reta de largada, que deixaria de existir no novo projeto. Com um raio curto, o trecho naquele ponto levaria a uma seção atualmente em desuso e que foi originalmente construída em 1938 e utilizada até 1954 — trata-se do trecho Pirelli, também usado para testes. Haveria, então, uma nova chicane direita-esquerda que se juntaria de volta ao circuito já existente antes da Variante della Roggia. 
O bolo da primeira curva de Monza (Foto: AP)
Também de acordo com o projeto, a chicane ainda terá uma elevação de 2,5 metros para torná-la mais desafiadora para os pilotos. Ainda segundo o jornal italiano, o desenho já foi testado no simulador por Sebastian Vettel, da Ferrari. O alemão relatou que, em corrida, o segmento se tornaria bastante complicado para os competidores.
 
Não está claro, porém, se as mudanças vão significar o desmantelamento permanente da Curva Grande ou se a nova seção será usada apenas para corridas de moto, deixando a F1 com o traçado tradicional. Entende-se que Charlie Whiting, diretor de provas do Mundial, já aprovou o uso do circuito alternativo para testes da categoria LMP1 do endurance. 
 
A matéria da 'Gazzetta' fala que a necessidade da modificação está sendo considerada como parte de uma oferta de Monza para ter novamente o GP da Itália de motociclismo, parte do campeonato da MotoGP. O evento foi realizado em Monza por 23 anos entre 1949 e 1971, mas depois disso o circuito compartilhou a sede da etapa com Ímola, Mugello e Misano.
 
A última vez que uma prova do Mundial foi disputada em Monza aconteceu em 1987. Já o Mundial de Superbike vai novamente correr na veloz pista italiana nesta temporada, depois de uma ausência de dois anos. Porém, o circuito se tornou menos atraente para provas de motos desde 2000, quando foi removida a chicane de Rettifilio.
 
A reformulação da pista deve custar em torno de € 4 milhões (R$ 17 mi) em um momento em que Monza está negociando também a renovação de seu contrato com a F1. O atual acordo se encerra neste ano. Aos 94 anos, o circuito da Lombardia só não sediou o GP da Itália em 1980. 
VEJA NA ÍNTEGRA A EDIÇÃO #13 DO PADDOCK GP



Últimas Notícias
quinta-feira, 19 de janeiro de 2017
Outras
MotoGP
MotoGP
F1
Indy
MotoGP
MotoGP
F1
F1
Rali
F1
MotoGP
F1
MotoGP
F1
Galerias de Imagens
Facebook