MotoGP
07/10/2016 10:56

Após realizar sonho de guiar carro de F1, Lorenzo exalta aderência e vê velocidade de curva muito superior à MotoGP

Jorge Lorenzo classificou como a realização de um sonho o teste que realizou com o carro da Mercedes em Silverstone. Espanhol destacou a aderência do W04 e avaliou que a velocidade de curva de um F1 é muito superior à de uma MotoGP
Warm Up
Redação GP, de São Paulo
Jorge Lorenzo classificou como “realização de um sonho” a experiência de guiar um carro de F1. O tricampeão da MotoGP assumiu o comando do W05, carro com que a Mercedes conquistou o título da F1 na temporada 2014, na quinta-feira (6), em Silverstone.
 
O teste foi organizado pela Monster Energy, uma patrocinadora comum da Yamaha e Mercedes.
 
“Antes de mais nada, quero agradecer a Monster Energy por me dar esta oportunidade. Foi uma ótima experiência, um sonho que se tornou realidade”, disse Lorenzo. “Os últimos dias foram muito especiais para mim. TIve a oportunidade de trabalhar ao lado de alguns dos melhores engenheiros deste esporte, guiei um carro de F2, tive sessões de teste no simulador e, no fim, tive a chance de guiar o de verdade”, contou.
Jorge Lorenzo destacou a velocidade de curva de um F1 (Foto: Mercedes)
“Tive a experiência de guiar um carro de F1. Foi um ia incrível”, resumiu. 
 

O #99 destacou a grande aderência do bólido e exaltou a velocidade superior nas curvas em comparação com sua YZR-M1.
 
“Estou muito satisfeito com os tempos de volta na minha última saída. Pelo que os engenheiros disseram, meus tempos foram realmente competitivos”, declarou. “O carro é muito suave. Eu esperava que fosse um carro mais complicado e difícil, mas, no fim, tudo foi muito bom: o volante, o motor, tudo”, elogiou.
 
“Foi bem fácil de guiar e o carro é muito, muito rápido nas curvas e a aderência do carro é surreal. Na primeira volta, você sente a potência, mas quando você se acostuma, é similar à uma moto da MotoGP, mas, nas curvas, você está em um mundo diferente, cerca de 40 km/h mais rápido no meio das curvas”, relatou. “Além disso, também me surpreendeu o quão rápido você pode frear e a aderência que o carro pode suportar com aceleração máxima nas curvas é insana”, frisou.
 
Engenheiro de pista da Mercedes, Richard Lane destacou o entusiasmo de Lorenzo e avaliou que é fácil entender a razão de o espanhol ter conquistado três títulos na classe rainha do Mundial de Motovelocidade.
 
“Foi ótimo trabalhar com Jorge. Desde o momento em que chegou, ele ficou completamente entusiasmado”, comentou Lane. “Entre cada saída, ele ficou debruçado sobre os dados e procurando por áreas onde pudesse melhorar. Você pode ver o motivo de ele ser multicampeão mundial em duas rodas”, continuou.
 
“O interesse dele nos detalhes de sua performance foi impressionante. Ele levava em conta o feedback e melhorava a cada saída”, elogiou. “Foi uma grande experiência para nós trabalhar com Jorge e nós desejamos a ele todo o melhor no restante da temporada da MotoGP”, concluiu.
 
De acordo com o diário espanhol ‘As’, Lorenzo completou um total de 64 voltas e foi 1s mais rápido do que o tempo registrado por Nico Rosberg em fevereiro passado. O tempo do germânico, entretanto, foi feito com um carro diferente, o modelo deste ano da Mercedes.


Últimas Notícias
quinta-feira, 14 de dezembro de 2017
F1
F1
MotoGP
MotoGP
quarta-feira, 13 de dezembro de 2017
F1
Endurance
F1
F1
F-E
Indy
Superbike
Kart
F1
Outras
World Series
Galerias de Imagens
Facebook