MotoGP
07/10/2016 10:56

Após realizar sonho de guiar carro de F1, Lorenzo exalta aderência e vê velocidade de curva muito superior à MotoGP

Jorge Lorenzo classificou como a realização de um sonho o teste que realizou com o carro da Mercedes em Silverstone. Espanhol destacou a aderência do W04 e avaliou que a velocidade de curva de um F1 é muito superior à de uma MotoGP
Warm Up
Redação GP, de São Paulo
Jorge Lorenzo classificou como “realização de um sonho” a experiência de guiar um carro de F1. O tricampeão da MotoGP assumiu o comando do W05, carro com que a Mercedes conquistou o título da F1 na temporada 2014, na quinta-feira (6), em Silverstone.
 
O teste foi organizado pela Monster Energy, uma patrocinadora comum da Yamaha e Mercedes.
 
“Antes de mais nada, quero agradecer a Monster Energy por me dar esta oportunidade. Foi uma ótima experiência, um sonho que se tornou realidade”, disse Lorenzo. “Os últimos dias foram muito especiais para mim. TIve a oportunidade de trabalhar ao lado de alguns dos melhores engenheiros deste esporte, guiei um carro de F2, tive sessões de teste no simulador e, no fim, tive a chance de guiar o de verdade”, contou.
Jorge Lorenzo destacou a velocidade de curva de um F1 (Foto: Mercedes)
“Tive a experiência de guiar um carro de F1. Foi um ia incrível”, resumiu. 
 

O #99 destacou a grande aderência do bólido e exaltou a velocidade superior nas curvas em comparação com sua YZR-M1.
 
“Estou muito satisfeito com os tempos de volta na minha última saída. Pelo que os engenheiros disseram, meus tempos foram realmente competitivos”, declarou. “O carro é muito suave. Eu esperava que fosse um carro mais complicado e difícil, mas, no fim, tudo foi muito bom: o volante, o motor, tudo”, elogiou.
 
“Foi bem fácil de guiar e o carro é muito, muito rápido nas curvas e a aderência do carro é surreal. Na primeira volta, você sente a potência, mas quando você se acostuma, é similar à uma moto da MotoGP, mas, nas curvas, você está em um mundo diferente, cerca de 40 km/h mais rápido no meio das curvas”, relatou. “Além disso, também me surpreendeu o quão rápido você pode frear e a aderência que o carro pode suportar com aceleração máxima nas curvas é insana”, frisou.
 
Engenheiro de pista da Mercedes, Richard Lane destacou o entusiasmo de Lorenzo e avaliou que é fácil entender a razão de o espanhol ter conquistado três títulos na classe rainha do Mundial de Motovelocidade.
 
“Foi ótimo trabalhar com Jorge. Desde o momento em que chegou, ele ficou completamente entusiasmado”, comentou Lane. “Entre cada saída, ele ficou debruçado sobre os dados e procurando por áreas onde pudesse melhorar. Você pode ver o motivo de ele ser multicampeão mundial em duas rodas”, continuou.
 
“O interesse dele nos detalhes de sua performance foi impressionante. Ele levava em conta o feedback e melhorava a cada saída”, elogiou. “Foi uma grande experiência para nós trabalhar com Jorge e nós desejamos a ele todo o melhor no restante da temporada da MotoGP”, concluiu.
 
De acordo com o diário espanhol ‘As’, Lorenzo completou um total de 64 voltas e foi 1s mais rápido do que o tempo registrado por Nico Rosberg em fevereiro passado. O tempo do germânico, entretanto, foi feito com um carro diferente, o modelo deste ano da Mercedes.

Últimas Notícias
domingo, 26 de março de 2017
MotoGP
MotoGP
MotoGP
MotoGP
MotoGP
Outras
MotoGP
MotoGP
F1
F1
F1
F1
F1
F1
F1
Galerias de Imagens
Facebook