MotoGP
11/03/2017 18:27

Dovizioso elogia engenheiros da Ducati por nova carenagem, mas avisa: “Ainda não está decidido se vamos usar”

13º colocado no segundo dia de testes da MotoGP no Catar, Andrea Dovizioso elogiou os engenheiros da Ducati pelo trabalho feito com a nova carenagem. Italiano afirmou, no entanto, que a casa de Bolonha ainda não definiu se vai usar sua novidade aerodinâmica
Warm Up
Redação GP, de São Paulo
 
Líder do primeiro dia de testes da MotoGP no Catar, Andrea Dovizioso despencou na tabela neste sábado (11), mas nem assim perdeu a animação com o desempenho da Desmosedici. No segundo dia da última bateria de testes da pré-temporada 2017, o #4 completou um total de 42 voltas, a melhor delas em 1min55s583 e ficou com o 13º posto, 1s128 atrás de Maverick Viñales, o líder.
 
Mas se a performance não foi assim tão chamativa, o mesmo não se pode dizer das novidades técnicas da Ducati. Cumprindo a expectativa, a fábrica de Borgo Panigale apresentou em Losail sua alternativa para o fim das asas. Ao contrário das rivais, que lançaram soluções mais discretas, a Desmosedici ganhou uma enorme ‘asa disfarçada’, que mais parece um par de asas ou uma imitação de tubarão martelo.
Andrea Dovizioso provou as novas asas da Ducati (Foto: Ducati)

Após os testes, Andrea elogiou o trabalho dos engenheiros da Ducati, mas revelou que ainda não sabe se a peça será efetivamente utilizada. Neste ano, as equipes podem fazer uma única atualização de carenagem.
 
“A impressão é boa”, disse Dovizioso. “Acho que nossos engenheiros trabalharam muito bem, porque é muito difícil criar downforce com as novas regras”, observou.
 
“Estou realmente feliz com o resultado. Ainda não está decidido se vamos usar, mas foi bom sentir o efeito”, explicou.
 
Questionado sobre qual o efeito dessa ‘carenagem tubarão martelo’, Andrea respondeu: “Como das asas no ano passado, mais downforce e mais estabilidade. Você pode acelerar mais. Mas tem coisas positivas e negativas”.
 
Dovizioso não quis confirmar se seguirá utilizando a nova carenagem no último dia de testes da pré-temporada e responsabilizou a mudança no clima por sua queda na tabela.
 
“Eu estou bem feliz, não feliz como ontem”, falou. “Claro, o tempo de volta no final não mostrou a realidade”, continuou.
 
“Hoje nós encontramos condições completamente diferentes, nós encontramos uma aderência muito ruim e muito vento quando nós começamos. Foi muito difícil controlar a moto”, apontou. “Mas eu estou feliz por encontrar essas condições, porque podem ser as condições da corrida. Então é importante entender como melhorar nessas condições”, completou.

PADDOCK GP #68 ANALISA SEGUNDA SEMANA DE TESTES DA F1 EM BARCELONA



Últimas Notícias
terça-feira, 25 de julho de 2017
F1
Copa Grande Prêmio
F-E
F1
F1
F1
Warm Up
F1
segunda-feira, 24 de julho de 2017
Indy
F-E
Superbike
F-E
F1
F1
F1
Galerias de Imagens
Facebook