MotoGP
30/08/2015 13:13

Impecável na chuva, Rossi vence pela primeira vez em Silverstone. Petrucci brilha e vai ao pódio e Lorenzo é 4º

Valentino Rossi aproveitou a chuva para dominar o GP da Grã-Bretanha e conquistar seu primeiro triunfo em Silverstone. Incrível neste domingo, Danilo Petrucci ficou em segundo, com Andrea Dovizioso fechando o pódio. Jorge Lorenzo ficou apenas em 4º
Warm Up
JULIANA TESSER, de São Paulo
A cobertura completa do GP da Grã-Bretanha no GRANDE PRÊMIO

Valentino Rossi teve a corrida de que precisava em Silverstone. Depois de sofrer ao longo dos treinos, o italiano foi abençoado pela chuva já na manhã deste domingo (30), quando apareceu mais forte no warm-up. Pouco antes da largada, o temporal voltou a cair, dando ao italiano a chance de aproveitar todo o bom desempenho de sua YZR-M1 para vencer pela primeira vez no traçado de Northamptonshire.
 
Largando em quarto, Rossi não demorou a tomar a ponta, mas precisou se defender da pressão de Marc Márquez durante boa parte da disputa. Porém, no 12º giro, o #93 caiu sozinho, dando grande folga ao italiano.
Valentino Rossi recuperou a liderança do Mundial (Foto: Yamaha)
A classificação do Mundial de MotoGP após o GP da Grã-Bretanha

Em um domingo esplendoroso, Danilo Petrucci surgiu como único desafiante. O piloto da Pramac primeiro se livrou de Andrea Dovizioso e, depois, vendo uma chance de vencer, passou a aumentar o ritmo para tentar chegar em Valentino.
 
Ciente da tentativa de Petrucci, Rossi voltou a apertar o passo, controlando bem sua vantagem, uma vez que o resultado lhe devolveria a liderança do Mundial.
 
Jorge Lorenzo, por sua vez, apagou com a chuva e chegou a cair para o sexto posto. Após o tombo de Márquez, o #99 tirou Dani Pedrosa do quarto posto e de lá não mais saiu.
 
Scott Redding, agora confirmado na Pramac para o ano que vem, também teve uma bela atuação e fechou em sexto, seu melhor resultado no ano.

Bradley Smith travou um belo duelo com Pol Espargaró e ficou em sétimo, com o companheiro de Tech3 sucumbindo às condições e indo para casa mais cedo.
 
Andrea Iannone terminou com o oitavo posto, seguido por Aleix Espargaró e Álvaro Bautista, que colocou a Aprilia no top-10 pela segunda vez no ano.

Na chegada aos boxes, Lorenzo mostrou que o visor de seu capacete estava embaçado. É a segunda vez que isso acontece com o espanhol e também o segundo problema com o casco da HJC neste ano.
 
Após comemorar efusivamente seu triunfo, Rossi foi celebrar com Petrucci. Um pódio completamente italiano pela segunda vez no ano.

Com o resultado, Rossi, que agora é membro do Clube dos Pilotos Britânicos (BRDC, a sigla em inglês) — único piloto a conseguir tal honra apenas por seus feitos no motociclismo —, retomou a liderança do Mundial com 236 pontos, 12 de vantagem para Lorenzo. Terceiro, Márquez agora tem 159 pontos, nove a mais que Iannone. Dovizioso completa o top-5.
 
Saiba como foi o GP da Grã-Bretanha de MotoGP:
 
Depois de movimentar o warm-up, a chuva deu uma trégua e, com a corrida Moto2, o asfalto acabou secando bastante. Ainda assim, a previsão do tempo seguia indicando a possibilidade de chuva para as 13h (9h de Brasília), justamente o horário da largada da MotoGP.
 
Quando os pilotos partiram para o grid, os termômetros marcavam 17°C, com a pista chegando aos 19°C. Os ventos sopravam a uma velocidade de 8 km/h.
 
Pela sexta vez em 2015 — e pela terceira vez seguida na Grã-Bretanha —, Marc Márquez tinha a pole, à frente de Jorge Lorenzo, que venceu em Silverstone em três das últimas cinco corridas. Dani Pedrosa completa a primeira fila.
 
Depois de treinos livres difíceis, Rossi conseguiu evoluir o acerto da YZR-M1 e garantiu o quarto posto, seu melhor grid em Silverstone, umas das três únicas pistas do calendário — junto com Austin e Aragão — onde ele nunca venceu.
 
Para a prova deste fim de semana, a Bridgestone separou os pneus slicks dianteiros extramacios, macios e médios, e traseiros macios, médios e duros. Os pneus de chuva disponíveis eram os compostos macios e duros.
Danilo Petrucci foi ao pódio pela primeira vez na MotoGP (Foto: Divulgação/MotoGP)
Antes do pilotos partirem para a formação do grid, Brad Pitt ia passando pelos boxes para cumprimentá-los. O ator é produtor e narrador de ‘Hitting the Apex’, o mais novo filme de Mark Neale sobre a MotoGP.

Pouco antes da largada, algumas gotas de chuva já tinham voltado a cair, mas nada que fosse molhar muito o asfalto — ao menos por enquanto. Assim, a direção de prova declarou que seria uma corrida em piso seco.
 
Tão logo foi declarada uma corrida em piso seco, a chuva começou a apertar em Silverstone. Desta forma, a direção de prova poderia mudar e declarar que seria uma corrida em piso molhado.
 
Quando os pilotos partiram para a volta de aquecimento dos pneus, os titulares de Honda e Yamaha e seus satélites tinham pneus slicks dianteiros macios e traseiros médios.
 
Durante a volta, os pilotos foram bastante cuidados, avaliando minuciosamente as condições do asfalto. As motos configuradas para as condições de chuva já estavam prontinhas nos boxes, esperando por qualquer um que fizesse uma aposta na piora das condições climáticas.
 
Smith, Márquez e Rossi foram os primeiros a correr para os boxes ao fim do giro, seguidos por todos os outros pilotos do grid.
 
Na saída do pit-lane, uma bagunça se formou, já que a direção de prova abortou a largada. Como o pit-lane é um tanto estreito, é perigoso que tantos pilotos larguem por lá.
 
Assim, todos voltaram para os boxes e a direção de prova anunciou que a largada seria dada às 13h25 locais (9h25 de Brasília).
 
Às 9h10, o pit-lane foi aberto mais uma vez, com os pilotos retornando para a formação do grid. Agora com a decisão de que seria uma corrida em pista molhada.
 
Assim, os pilotos ficam livres para trocar de moto durante a prova se sentirem que a pista exige tal modificação. E também para escolherem os pneus mais adequados — os macios eram os mais populares.
Largada precisou ser abortada por conta da mudança no clima (Foto: Repsol)
Alguns minutos mais tarde, a chuva aumentou de vez, o que era bom, já que significava uma condição mais estável para as 20 voltas previstas.

No momento em que as luzes se apagaram, os 73 mil espectadores viram Lorenzo saltar para a ponta, à frente de Márquez, Pol e Rossi. Pedrosa caiu para a quinta colocação.
 
Ainda na primeira curva de Silverstone, Yonny Hernández caiu e abandonou a disputa.
 
Pol logo passou Márquez e se instalou em segundo. Pedrosa passou Smith e subiu para quinto, atrás de Rossi.
 
Valentino logo partiu para cima de Márquez, que conseguiu se defender de Pol e logo retomou o segundo posto. Enquanto isso, Lorenzo tentava escapar na ponta, mas o pelotão ia tentando chegar.
 
Ainda no primeiro giro, Rossi passou Márquez mais uma vez e voltou a tentar a aproximação com Lorenzo.
 
Mais atrás, Jack Miller foi para cima de Cal Crutchlow, mas levou com a porta na cara e logo depois foi superado por Smith, mas deu o troco.
 
Valentino logo passou a pressionar Lorenzo, que defendeu a ponta. Márquez vinha colocado no italiano e já um pouco afastado de Pol.
 
Rossi pressionou e passou, com Márquez saltando para segundo. Pol era o quarto, seguido Crutchlow, Miller e Pedrosa.
 
Cal ultrapassou Pol e logo foi seguido por Miller. Na sequência, o piloto da LCR deixou Lorenzo para trás e assumiu o terceiro posto, mas caiu pouco depois, ao ser levado por Miller, que tentava passar por dentro na curva 8.
 
Enquanto isso, Rossi tentava escapar na ponta e já tinha 0s348 de margem para Márquez. Terceiro, Lorenzo tinha 1s911 de atraso para o segundo colocado.
 
De olho na liderança do Mundial, Rossi ia virando as melhores marcas da prova, mas Márquez tentava acompanhar. 
 
Pouco depois, no terceiro giro, foi Pol Espargaró quem errou e despencou para a nona colocação após escapar da pista.
 
Depois do tombo, Cal foi aos boxes da LCR e voltou para a pista com a moto reserva. 
Jorge Lorenzo agora tem 12 pontos de atraso para Rossi (Foto: Yamaha)
Na ponta, Márquez seguia acompanhando Rossi, que se mantinha seguro na ponta. Lorenzo, por sua vez, se afastava mais e mais, e já era pressionado por Pedrosa. Petrucci era o quinto, à frente de Dovizioso, Smith, Aleix e Pol Espargaró e Iannone.
 
Na abertura do quinto giro, Rossi levou a diferença em relação à Márquez para 0s465, enquanto Lorenzo tentava apertar o passo para se aproximar. O #99 tinha 3s379 de atraso para Márquez e Pedrosa vinha 0s296 atrás.
 
A direção de prova, aliás, anunciou que vai rever o incidente entre Crutchlow e Miller após a corrida. O australiano está sendo observado de perto, já que fez umas bobagens mais cedo na temporada.
 
Vendo Rossi se afastar, Márquez voltou a aumentar o ritmo, mas a diferença no tempo de volta era pouca — 2min17s811 para o espanhol e 2min17s871 para o italiano.
 
Pouco depois, Petrucci passou Pedrosa e se encarregou do ataque a Lorenzo, que estava 0s554 à frente. Na sequência, foi Dovizioso quem passou o piloto da Honda.
 
O piloto da Pramac logo chegou no espanhol da Yamaha, que continuava se afastando dos ponteiro. Era bem a corrida que Rossi precisava para recuperar a liderança do Mundial.
 
Danilo fez uma primeira tentativa, mas Lorenzo defendeu. Por dentro, Petrucci tentou de novo e levou, com Dovizioso aproveitando para se colocar à frente do espanhol. Uma belíssima atuação do piloto da Pramac.
 
Pouco depois, Pedrosa passou Lorenzo, que caiu para sexto, 4s673 à frente de Smith. Na ponta, Rossi conseguiu abrir 0s601 de vantagem para Márquez.
 
Mesmo com a pista molhada, Rossi seguia em um ritmo forte, registrando uma melhor volta após a outra. Marc ia tentando reagir e, na nona volta, levou a diferença para 0s442.
 
Empurrado para fora da pista por Hernández na primeira curva, Maverick Viñales vinha em 16º, atrás de Stefan Bradl.
 
Com a parada da chuva, as condições do asfalto iam mudando, mas nada muito alarmante, ao menos por enquanto.
 
Com 11 voltas para o fim, Pol Espargaró passou Smith e assumiu o sétimo posto, 5s184 atrás de Lorenzo, que já tinha 0s8 de atraso para Pedrosa.
Valentino Rossi, Danilo Petrucci e Andrea Dovizioso formaram pódio em Silverstone (Foto: Divulgação/MotoGP)
Na ponta, Márquez reduziu a diferença em relação a Rossi para 0s2, mas o italiano seguia em um bom ritmo.
 
Na metade da prova, Rossi reduziu o ritmo, facilitando a aproximação de Márquez. No muro, a Yamaha avisou o italiano pela primeira vez que Lorenzo estava apenas em sexto. Um alerta do tipo: não precisa se arriscar muito.
 
No 11º giro, Dovizioso tinha chegado em Petrucci, que vinha defendendo bem sua posição no pódio. O #04, no entanto, passou na entrada da curva 15, assumindo a última posição do pódio.
 
Na volta seguinte, Márquez caiu quando rodava em segundo, mas não se feriu. Petrucci passou Dovizioso e saltou para segundo, à frente de Dovizioso.
 
Foi o respiro de que Rossi precisava. O italiano ganhou 5s187 de margem para Petrucci, que seguia pressionado por Dovizioso.
 
Depois de passar Petrucci, Dovizioso passou a reduzir a vantagem de Rossi. Lorenzo, por sua vez, passou Pedrosa, e tinha 0s661 de atraso para Andrea. Pol era o sexto, seguido por Smith, Redding, Iannone e Aleix.
 
O piloto da Pramac seguiu insistindo e passou Dovizioso por dentro na Village, retomando o segundo posto. Na sequência, Dovizioso errou, permitindo que Danilo se afastasse. O #9 usa a mesma moto que foi de Crutchlow no ano passado, ou seja, uma versão bem antiga da Desmosedici.
 
Na 14ª volta, foi Pol Espargaró quem caiu e se despediu da disputa. O tombo foi na curva 3.
 
No pódio pela primeira vez, Petrucci apertou o passo e começou a diminuir o atraso em relação a Rossi, que era de 2s375 na 15ª volta. Restavam cinco.
 
Vendo uma chance de vitória, Danilo acelerou e foi derrubando a margem de Rossi, com Dovizioso vindo 0s316 atrás. Com quatro voltas para o fim, Rossi tinha 1s698 de vantagem.
 
Ciente da aproximação do #9, Rossi aumentou um pouquinho o ritmo, voltando a ampliar a diferença. O #46 levou a margem para 2s915 na última volta e seguiu cuidadoso até a bandeirada.

MotoGP, GP da Grã-Bretanha, Silverstone, final:
 
1
46
VALENTINO ROSSI
ITA
YAMAHA
46:15.617
20 voltas
2
9
DANILO PETRUCCI
ITA
PRAMAC DUCATI
+3.010
 
3
4
ANDREA DOVIZIOSO
ITA
DUCATI
+4.117
 
4
99
JORGE LORENZO
ESP
YAMAHA
+5.726
 
5
26
DANI PEDROSA
ESP
HONDA
+11.132
 
6
45
SCOTT REDDING
ING
MARC VDS HONDA
+25.467
 
7
38
BRADLEY SMITH
ING
TECH3 YAMAHA
+26.717
 
8
29
ANDREA IANNONE
ITA
 DUCATI
+29.393
 
9
41
ALEIX ESPARGARÓ
ESP
SUZUKI
+38.815
 
10
19
ÁLVARO BAUTISTA
ESP
APRILIA GRESINI
+41.712
 
11
25
MAVERICK VIÑALES
ESP
SUZUKI
+44.776
 
12
69
NICKY HAYDEN
EUA
ASPAR HONDA
+52.489
 
13
8
HECTOR BARBERÁ
ESP
AVINTIA DUCATI
+1:11.211
 
14
63
MIKE DI MEGLIO
FRA
AVINTIA DUCATI
+1:15.292
 
15
15
ALEX DE ANGELIS
RSM
IODA ART
+1:17.863
 
16
76
LORIS BAZ
FRA
FORWARD YAMAHA
+1:19.310
 
17
50
EUGENE LAVERTY
IRN
ASPAR HONDA
+1:19.735
 
18
71
CLAUDIO CORTI
ITA
FORWARD YAMAHA
+1:58.086
 
19
17
KAREL ABRAHAM
TCH
AB HONDA
+1 volta
 
 
44
POL ESPARGARÓ
ESP
TECH3 YAMAHA
NC
 
 
93
MARC MÁRQUEZ
ESP
HONDA
NC
 
 
6
STEFAN BRADL
ALE
APRILIA GRESINI
NC
 
 
35
CAL CRUTCHLOW
ING
LCR HONDA
NC
 
 
43
JACK MILLER
AUS
LCR HONDA
NC
 
 
68
YONNY HERNÁNDEZ
COL
PRAMAC DUCATI
NC
 
 
 
 
 
 
 
 
POLE
MARC MÁRQUEZ
ESP
HONDA
2:00.234
176.6  km/h
VOLTA MAIS RÁPIDA
VALENTINO ROSSI
ITA
YAMAHA
2:16.486
155.6 km/h
RECORDE
DANI PEDROSA
ESP
HONDA
2:01.941
174.1 km/h
MELHOR VOLTA
MARC MÁRQUEZ
ESP
HONDA
2:00.234
176.6 km/h
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Condições do tempo
 
PISTA MOLHADA
 
ar: 16ºC | pista: 318ºC
 

Últimas Notícias
quinta-feira, 23 de novembro de 2017
F1
Indy
MotoGP
F1
F1
F1
F1
F1
F1
F1
F1
F1
F1
F1
F1
Galerias de Imagens
Facebook