MotoGP
12/03/2017 18:17

Márquez fala em dia “em que tudo saiu ao contrário”, mas nega preocupação: “Em termos de ritmo, estamos bastante bem”

Décimo colocado no último dia de testes da pré-temporada 2017, Marc Márquez admitiu que o domingo (12) foi um dia onde tudo saiu ao contrário, mas negou que esteja preocupado, já que acredita ter um ritmo bastante bom
Warm Up
Redação GP, de São Paulo
 
Marc Márquez não teve um dia dos mais fáceis no Catar. Neste domingo (12), o espanhol sofreu três das cinco quedas que registrou na sessão de Losail e fechou o dia apenas em décimo, 0s855 atrás do líder Maverick Viñales.
 
No resultado combinado dos três dias de testes, a situação é ligeiramente melhor. O #93 registrou 1min54s990 como sua melhor marca e ficou a 0s660 de Viñales.
 
Depois de um 2016 onde Márquez mostrou uma nova versão, registrando muito menos quedas do que no ano anterior, o piloto foi questionado se ainda se lembrava de sofrer tantas quedas e respondeu: “Eu lembrava, no passado aqui também no teste, então não é nada novo”.
Marc Márquez se mostrou satisfeito com o ritmo de corrida da Honda (Foto: Honda)

Ao fim da derradeira bateria de testes da pré-temporada 2017, Márquez admitiu sua parte de responsabilidade pelo volume de tombos, mas afirmou que não sai descontente do Catar.
 
“Foi um dia em que saiu tudo ao contrário”, resumiu. “De manhã, eu são e tive uma [queda]. Fiquei sei freio, fui para a brita e caí, ainda que de forma leve. Mas de tarde, antes de fazer a simulação de corrida, tive outra queda. E, fazendo o long-run, tive de apertar fundo para ver onde estava o limite e até onde podíamos aguentar, e eu cometi um erro, foi, principalmente, minha culpa a última queda”, apontou.
 
“Neste circuito, o limite é muito crítico e as quedas são um pouco fruto das condições deste teste”, ponderou. “No final, não podemos estar contentes, porque não foi o melhor teste da pré-temporada, mas não estou de tudo descontente. Em termos de ritmo, nós estamos bastante bem”, observou.
 
O titular da Honda reconheceu a superioridade de Viñales neste último teste coletivo, mas frisou que está bastante satisfeito com seu ritmo de corrida.
 
“Tem um piloto que está na frente neste circuito, Maverick, mas nós não estamos mal, estamos lá para lutar. Em uma volta você me vê em décimo e pensa que não estarei, mas em termos de ritmo nós estamos bastante bem, de verdade”, considerou. “Este ano, estamos melhor do que no ano passado na pré-temporada. Aqui, em 2017, nós estávamos a sete décimos de Lorenzo, e agora estamos muito mais perto [de Viñales]”, indicou.
 
Por fim, Márquez repetiu que “um pódio aqui no GP seria um resultado muito bom”.
PADDOCK GP #68 ANALISA SEGUNDA SEMANA DE TESTES DA F1 EM BARCELONA


Últimas Notícias
quinta-feira, 30 de março de 2017
F1
quarta-feira, 29 de março de 2017
MotoGP
F1
F2
F1
F1
F1
F1
F1
F1
F1
Stock Car
Indy
F1
F1
Galerias de Imagens
Facebook