MotoGP
14/03/2017 16:14

Márquez põe Viñales, Rossi e Pedrosa na briga pelo título e vê evolução da Honda: “Chegamos melhor do que no ano passado”

Campeão vigente, Marc Márquez afirmou que chega para a temporada 2017 da MotoGP em uma condição melhor do que a que tinha no ano passado. Espanhol apontou Maverick Viñales, Valentino Rossi e Dani Pedrosa como rivais pelo título
Warm Up
Redação GP, de São Paulo
 
Campeão vigente, Marc Márquez acredita que chega para a temporada 2017 da MotoGP em uma condição melhor do que estava no início do ano passado. Mesmo tendo conquistado o título de forma antecipada, o #93 sofreu com a performance da RC213V.
 
Às vésperas do início da temporada 2017, Márquez reconheceu que a melhor condição inicial não garante um resultado diferente.
Marc Márquez evitou indicar qual versão vai apresentar em 2017 (Foto: Honda)
“Esta temporada nós chegamos melhor do que na passada, mas isso não quer dizer que o resultado vai ser melhor”, disse Márquez. “O que é verdade é que nos preparamos muito bem. Estou 100% fisicamente e mentalmente também estou muito motivado, como sempre, para tentar lutar mais um ano pelo título”, seguiu.
 

Após completar a última bateria de testes da pré-temporada com o 11º tempo, Marc fez um balanço dos exercícios e reconheceu que quer sempre mais.
 
“Do lado técnico, eu sempre quero mais, nunca é tudo perfeito e sempre queremos estar melhor. Vendo como estávamos na pré-temporada, acho que chegamos um nível ótimo para brigar pelo pódio desde as primeiras corridas”, avaliou.
 
Questionado sobre as diferenças entre a moto que provou em Valência no ano passado e aquela com que vai iniciar o Mundial, Márquez respondeu: “Mudou bastante e em aspectos distintos”. 
 
“Nós trabalhamos muito na eletrônica, porque a configuração do motor este ano é diferente e tivemos de mudar muitas coisas. Também trabalhamos muito para ter uma base sólida para todos os circuitos, que em um fim de semana de corrida não temos muito tempo para fazer testes”, indicou.
 
O tricampeão da MotoGP, no entanto, evitou se colocar no papel de candidato à vitória na primeira corrida do ano. 
 
“Logo veremos. Ainda nos resta todo o fim de semana de corrida para acabar de preparar as coisas, mas é certo que começamos em um dos circuitos que nos custa mais e que talvez seja melhor favorável às características da nossa moto”, comentou. “No entanto, não podemos descartar nada e vamos começar com motivação máxima e ambição para ver se poderemos lutar pela vitória deste o início”, assegurou.
 
Indagado sobre o que espera da temporada 2017, Márquez avaliou que é difícil ter tantos vencedores diferentes como no ano passado.
 
“Não creio que teremos nove vencedores diferentes, mas certamente terão vários pilotos com chance de vitória. Talvez não um número tão elevado quanto nove, mas tem quatro ou cinco que estão ali”, considerou. “Também depende das condições meteorológicas, porque no ano passado ajudou muito que choveu em várias corridas. Em algumas condições, outros pilotos puderam arriscar mais. Este ano, tudo está mais estabilizado: a eletrônica, os pneus...”, continuou.
 
Ainda, Márquez apontou seus principais rivais pelo título e não mudou aquilo  que vinha dizendo desde os primeiros testes.
 
“Mas ou menos como em todos os anos. Rossi, Viñales, Pedrosa, que fez uma pré-temporada muito consistente. Falta ver Lorenzo, porque ele pode fazer boas corridas e a incógnita é se ele poderá estar todos os domingos brigando pelo pódio, o que indicará se ele pode aspirar o campeonato”, falou. 
 
A caminho da quinta temporada na classe rainha do Mundial de Motovelocidade, Márquez rejeitou o rótulo de veterano, já que considera que outros pilotos ainda têm muito mais experiência.
 
“Cinco temporadas na MotoGP passam muito rápido. Tudo passa muito rápido, mas não me considero veterano, porque tem pilotos que têm o dobro ou o triplo da minha experiência, como é o caso de Valentino”, exemplificou. “Claro que tenho um ano mais de experiência, e vamos tentar utilizá-la bem. No fim, cada ano é diferente, você vai se deparando com situações novas e você tem de se adaptar da melhor forma possível”, sublinhou.
 
Depois de apresentar uma nova versão na temporada 2016, Márquez evitou sinalizar qual modelo vai aparecer neste ano.
 
“Como eu sempre digo, depende de cada situação. Se estou preparado, darei 100%. Se não, vamos tentar gerir da melhor forma possível. Uma das lições que aprendi em 2015 e que usei em 2016 é a da regularidade, embora tenham momentos na temporada em que você tem de assumir um pouco mais de risco”, concluiu.

PADDOCK GP #68 ANALISA SEGUNDA SEMANA DE TESTES DA F1 EM BARCELONA



Últimas Notícias
segunda-feira, 21 de agosto de 2017
F1
domingo, 20 de agosto de 2017
Indy
F-Inter
Indy
Rali
Indy
DTM
F1
Nascar
F3
DTM
F3
Indy
Rali
Superbike
Galerias de Imagens
Facebook