MotoGP
12/03/2017 17:00

Viñales segura Ducati no Catar e comanda último teste da MotoGP. Com três quedas, Márquez é 10º, à frente de Rossi

Maverick Viñales completou a pré-temporada 2017 da MotoGP com 100% de aproveitamento. Depois de liderar as baterias coletivas de Malásia e Austrália, o #25 repetiu a dose neste domingo (12), superou a dupla da Ducati e assegurou o melhor tempo no Catar. 0s071 mais lento, Andrea Dovizioso ficou em segundo, à frente de Dani Pedrosa, que bateu Jorge Lorenzo na hora final. Marc Márquez sofreu três quedas neste dia final em Losail e ficou em décimo, à frente de Valentino Rossi
Warm Up
JULIANA TESSER, de São Paulo
Quem pode parar Maverick Viñales? Nos testes da pré-temporada 2017, a resposta foi clara: ninguém.
 
Depois de ditar o ritmo nas baterias coletivas de Malásia e Austrália — e o exercício de Valência ainda no ano passado —, o #25 voltou a se impor neste domingo (12) e concluiu os testes coletivos do Catar no topo da tabela de tempos da MotoGP.
 
Ao longo das sete horas de sessão deste dia final, a dupla da Ducati chegou a se revezar na ponta ao longo de boa parte do teste, mas Viñales apareceu na 33ª de suas 60 voltas para cravar 1min54s300 e garantir a liderança.
Maverick Viñales foi imbatível na pré-temporada 2017 (Foto: Yamaha)
Andrea Dovizioso ainda conseguiu reduzir o atraso, mas acabou em segundo, a 0s071 do rival. Em um atípico agito na hora final, Dani Pedrosa saltou para a terceira colocação, superando Jorge Lorenzo por 0s050.
 

Voltando a se destacar, Álvaro Bautista tomou o quinto posto, à frente de Scott Redding, que foi o melhor representante da Pramac mesmo sendo o piloto montado no protótipo defasado.
 
Jonas Folger voltou a se destacar e arrematou o sétimo tempo, 0s014 mais veloz que Cal Crutchlow, o oitavo. Johann Zarco aparece logo atrás. 
 
Campeão vigente, Marc Márquez teve um dia daqueles. O #93 caiu três vezes ao longo do dia e acabou na nona colocação, 0s660 atrás de Viñales.
 
Valentino Rossi, por sua vez, não tem muito para celebrar. Depois de achar uma luz no fim do túnel no sábado, o italiano voltou a apresentar uma atuação discreta e fez apenas o décimo tempo, 0s855 atrás do novo companheiro de Yamaha.
 
Andrea Iannone também melhorou na hora final e ficou em 12º, como o melhor representante da Suzuki. Karel Abraham vem 0s049 atrás, seguido por Álex Rins.
 
Do lado da Aprilia, Aleix Espargaró foi o melhor, com o 14º tempo, enquanto Sam Lowes ficou em 19º. Na KTM, Bradley Smith bateu Pol Espargaró por 0s120 e ficou em 21º.

No que diz respeito ao resultado combinado dos três dias, a liderança ficou mesmo com Viñales, com Dovizioso, Pedrosa, Lorenzo e Bautista aparecendo na sequência. Com o tempo do sábado, Rossi ficou em sexto, à frente de Redding, Folger, Crutchlow e Zarco. Márquez foi apenas o 11º.
 
Saiba como foi o terceiro dia de testes da MotoGP em Losail:
 
Assim como aconteceu desde que o Mundial desembarcou em Losail, o início deste último dia de testes foi de pouca movimentação na pista, já que os pilotos sempre esperam o cair do sol para iniciar o teste nas mesmas condições que encontram no GP.
Andrea Dovizioso chegou perto, mas acabou em segundo (Foto: Ducati)
Neste dia final da pré-temporada 2017, as simulações de corrida estavam no cardápio da maioria dos pilotos. Mas com cerca de 1h30min de pista livre, ninguém tinha se arriscado a deixar os boxes.
 
Líder com sobras no segundo dia, a Yamaha tinha um plano especial para Viñales e Rossi: voltar a testar a carenagem com asas ‘escondidas’ provada inicialmente em Sepang. Chefe do time de Iwata, Massimo Meregali confirmou que a peça vai ser homologada junto com a que foi usada no ano passado — sem as asas, como determina o regulamento.
 

Antes mesmo do pôr-do-sol, Loris Baz deixou os boxes e foi o primeiro a entrar na pista para este dia final de testes coletivos antes da largada do Mundial. Na sequência, Márquez se juntou ao francês e logo saltou para o topo da tabela 3s à frente do rival da Avintia. Os dois, no entanto, voltaram aos boxes apenas duas voltas.
 
Jack Miller e Sam Lowes não esperaram muito mais para se juntar à ação. Márquez seguia na liderança, agora 0s045 à frente do australiano da Marc VDS. Lowes, Kallio e Baz completam a lista de cinco pilotos que tinham deixado os boxes.
 
Na sequência, foi a vez de Lorenzo entrar na pista. Com 1min55s331, o espanhol saltou para o topo da tabela, 0s674 à frente de Danilo Petrucci, que agora vinha em segundo.
 
Aos poucos, a pista de Losail foi ganhando vida, com mais e mais pilotos se juntando à ação. Lorenzo seguia no topo da tabela, agora 0s490 à frente de Márquez. Bautista aparecia em terceiro, seguido por Aleix, Petrucci, Crutchlow, Pedrosa, Miller, Rins e Zarco.
 
Mais rápido no segundo dia em Losail, Viñales foi para a pista e pulou para o terceiro posto, 0s478 atrás do líder Lorenzo.
 
Destaque do sábado, Folger também começou sua escalada. Em sua sétima volta, o estreante cravou 1min55s202 e saltou para a quarta colocação, 0s595 mais lento que Lorenzo. Dovizioso vinha em quinto, à frente de Aleix, Pedrosa, Iannone, Bautista e Petrucci.
 
Mais tarde, Dovizioso anotou 1min54s935 e saltou para a segunda colocação, 0s328 atrás de Lorenzo, que seguia no topo. Márquez era o terceiro, com Viñales e Folger fechando o top-5. Rossi vinha apenas em 15º.
Marc Márquez teve um dia daqueles em Losail (Foto: Divulgação/MotoGP)
Passadas as primeiras quatro horas de pista livre, Lorenzo seguia no topo da tabela, 0s252 à frente de Dovizioso. Márquez era o terceiro, seguido por Viñales, Folger, Bautista, Crutchlow, Aleix, Pedrosa e Iannone. Rossi era 15º, 1s569 atrás do líder.
 

Na sequência, já mais próximo do horário habitual da corrida, Zarco deixou os boxes da Tech3 para um long-run. O francês apresentava aí a primeira simulação de corrida da noite no Catar.
 
Pouco mais de meia hora mais tarde, Viñales cravou 1min54s330 e assumiu a ponta, já superando a marca feita no sábado, que era a melhor do teste até então. 0s189 mais lento, Lorenzo caiu para segundo, à frente de Pedrosa, Dovizioso e Márquez.
 
Dovizioso pressionou um pouco e reduziu para 0s071 a vantagem de Viñales. Lorenzo também se colocou mais próximo, 0s189 mais lento que o piloto da Yamaha.
 
Na contramão, Rossi seguia bem apagado, apenas em 17º, o que era estranho considerando a animação dele após a evolução de sábado. Ainda assim, era difícil saber o que o italiano estava fazendo. Pneus usados, talvez?

Com duas horas para o fim, Rossi avançou, saltando para o sétimo posto, 0s855 mais lento que Viñales. Folger vinha 0s017 atrás do #46, seguido por Crutchlow e Aleix.
 
Na sequência, Zarco saltou para o quinto posto, mas caiu uma posição logo depois, com Bautista aparecendo para pegar o quarto posto. Mais atrás, Rins vinha em 10º, liderando a Suzuki.
 
Folger não deixou por menos, cravou 1min54s807 e assumiu a quinta colocação, 0s477 mais lento que Viñales, que seguia firme no topo da tabela.
 
Com pouco mais de 1h15min para o fim da sessão, era a vez de Lorenzo ir para a pista para testar a exótica carenagem da Ducati.
 
Márquez, por sua vez, vinha em uma sessão de tropeços. O espanhol caiu pouco antes de abrir a hora final da sessão, o terceiro tombo do dia — o quinto da bateria.

Quem também foi ao chão nessa reta final do exercício foi Sam Lowes. Ambas as motos voltaram de carona para os boxes.

Assim como aconteceu nos outros dois dias, a sessão esvaziou na hora final, uma vez que a queda da temperatura altera significativamente as condições da pista, mas um ou outro piloto ainda saiu para uma tentativa final.

Redding, por exemplo, conseguiu melhorar e saltou para o quinto posto, 0s420 atrás de Viñales.

MotoGP, Catar, Losail, Teste coletivo, Dia 3:

1 25 MAVERICK VIÑALES ESP YAMAHA 1:54.330   33 60
2 4 ANDREA DOVIZIOSO ITA DUCATI 1:54.401 +0.071 27 43
3 26 DANI PEDROSA ESP HONDA 1:54.469 +0.139 46 50
4 99 JORGE LORENZO ESP DUCATI 1:54.519 +0.189 29 53
5 19 ÁLVARO BAUTISTA ESP ASPAR DUCATI 1:54.714 +0.384 46 65
6 45 SCOTT REDDING ING PRAMAC DUCATI 1:54.750 +0.420 58 62
7 94 JONAS FOLGER ALE TECH3 YAMAHA 1:54.807 +0.477 45 53
8 35 CAL CRUTCHLOW ING LCR HONDA 1:54.821 +0.491 64 70
9 5 JOHANN ZARCO FRA TECH3 YAMAHA 1:54.900 +0.570 46 52
10 93 MARC MÁRQUEZ ESP HONDA 1:54.990 +0.660 12 47
11 46 VALENTINO ROSSI ITA YAMAHA 1:55.185 +0.855 40 54
12 29 ANDREA IANNONE ITA SUZUKI 1:55.284 +0.954 52 54
13 17 KAREL ABRAHAM RTC ASPAR DUCATI 1:55.333 +1.003 39 39
14 42 ÁLEX RINS ESP SUZUKI 1:55.362 +1.032 43 64
15 41 ALEIX ESPARGARÓ ESP APRILIA 1:55.451 +1.121 24 33
16 43 JACK MILLER AUS MARC VDS HONDA 1:55.455 +1.125 62 69
17 76 LORIS BAZ ESP AVINTIA DUCATI 1:55.539 +1.209 30 36
18 9 DANILO PETRUCCI ITA DUCATI 1:55.556 +1.226 27 44
19 22 SAM LOWES ING APRILIA 1:56.167 +1.837 35 36
20 53 TITO RABAT ESP MARC VDS HONDA 1:56.294 +1.964 48 52
21 38 BRADLEY SMITH ING KTM 1:56.351 +2.021 42 56
22 44 POL ESPARGARÓ ESP KTM 1:56.471 +2.141 21 51
23 36 MIKA KALLIO FIN KTM 1:56.891 +2.561 40 45
 

 


PADDOCK GP #68 ANALISA SEGUNDA SEMANA DE TESTES DA F1 EM BARCELONA



Últimas Notícias
segunda-feira, 20 de novembro de 2017
Endurance
F-E
F1
MotoGP
Nascar
MotoGP
F3
F1
F1
Stock Car
domingo, 19 de novembro de 2017
Stock Car
Stock Car
Stock Car
Brasileiro de Marcas
Stock Car
Galerias de Imagens
Facebook