Nascar
05/03/2017 20:34

Keselowski passa Larson nas últimas voltas e vence corrida 2500 da história da Nascar em Atlanta

Em corrida protagonizada por Kevin Harvick, quem teve a chance de brigar pela vitória foi a dupla Brad Keselowski e Kyle Larson. Nas últimas dez voltas, o #2 preparou uma ultrapassagem certeira e venceu a corrida 2500 da história da Nascar
Warm Up
VITOR FAZIO, de Porto Alegre
Brad Keselowski teve um dia de altos e baixos em Atlanta. O #2 foi prejudicado pela equipe nos boxes, perdeu terreno e soube se recuperar. No final, quando mais precisava, estava lá na frente para brigar de igual para igual com Kyle Larson. Na última relargada deste domingo (5), em Atlanta, Keselowski finalmente deixou todos seus problemas para trás e garantiu sua primeira vitória em 2017.
 
Keselowski fechou a relargada em segundo, mas soube manter a calma para ultrapassar Larson de forma certeira. A recompensa não é pequena: Brad entra para a história como o vencedor da 2500ª corrida da história da Nascar.
Brad Keselowski (Foto: Reprodução/Twitter)
Larson terminou em segundo, apenas 0s5 atrás de Keselowski. Matt Kenseth, que pagou um drive-through por excesso de velocidade, fez uma bela prova e foi o terceiro. Kasey Kahne e Chase Elliott fecharam o top-5.
 
Kevin Harvick, por sua vez, teve uma corrida decepcionante. O #4 dominou amplamente, deixando claro para todos que era o piloto a ser batido. Sempre que era ameaçado, tirava de letra e abria vantagem. No último pit-stop, pisou na bola: Harvick excedeu o limite de velocidade nos boxes, pagou um drive-through e terminou apenas em nono.

Mais decepcionante do que Harvick, só a Joe Gibbs. Salvo Kenseth, a equipe teve um dia para esquecer: Kyle Busch e Daniel Suárez viraram retardatários e não conseguiram se recuperar, enquanto Denny Hamlin enfrentou problemas mecânicos. A equipe que mais venceu em 2016 começa 2017 com pulgas atrás da orelha.

A próxima etapa da Nascar será em Las Vegas, já no próximo final de semana.

Saiba como foi a etapa de Atlanta da Nascar
 
Primeiro segmento
 
A corrida começou exatamente às 16h48 (de Brasília). Kevin Harvick manteve a liderança com certa facilidade, enquanto Kyle Busch ultrapassava Ryan Newman. Brad Keselowski e Ricky Stenhouse Jr. completavam o top-5.
 
Ainda na primeira volta, um pequeno incidente dentro do top-10: Jamie McMurray tocou a traseira de Joey Logano, que quase rodou. A dupla escapou ilesa por muito pouco.
 
Kyle Busch, apesar de ter saltado para segundo, não tinha ritmo para acompanhar Harvick. O #18 foi ultrapassado por Newman e Stenhouse, duas surpresas, com facilidade. Ricky, aliás, fazia um excelente trabalho: aproveitando um raro bom momento da Roush-Fenway, o #17 subiu para o segundo lugar.
 
Mais algumas voltas e Kyle Busch nem figurava mais no top-10. Depois de 30 voltas, o #18 já estava em 15º, claramente sofrendo com o carro.
A largada em Atlanta (Foto: Nascar Media)

Não demorou muito e o primeiro ciclo de pits em bandeira verde se iniciou – bem mais cedo do que de costume, consequência do alto desgaste de pneus de Atlanta. Nos boxes, dois caras tiveram problemas sérios: Dale Earnhardt Jr. e Matt Kenseth excederam o limite de velocidade dos boxes e receberam um drive-through.
 
As primeiras posições estavam mudadas ao fim do ciclo. Harvick seguia líder, mas agora com Keselowski e Elliott em segundo e terceiro. Logano e Kurt Busch fechavam o top-5. Stenhouse, que demorou para parar, caiu para sexto. Newman, que demorou mais ainda, despencou para 17º.
 
A longa sequência sem bandeiras amarelas, combinada com o ritmo forte de Harvick, significava que muitos pilotos estavam virando retardatários. Na volta 50, gente como Daniel Suárez, Kyle Busch, Ryan Blaney e Kasey Kahne já estava um giro atrás – mesmo destino que Kenseth e Dale Jr. já tinham enfrentado. Apenas 17 pilotos restavam na mesma volta do líder.
 
Falando em líder, Harvick não estava sendo ameaçado de forma alguma. Keselowski, ainda em segundo, perdeu 5s para o #4 em apenas 25 voltas. Não por acaso, Kevin venceu o primeiro segmento com um pé nas costas.
Kevin Harvick venceu o primeiro segmento com facilidade (Foto: Reprodução/Twitter)

Segundo segmento
 
Com a bandeira amarela que acompanha o final do primeiro segmento, todos foram aos boxes. Harvick saiu de lá em primeiro, mas agora com Elliott em segundo. Keselowski, Logano e Truex também largariam no top-5.
 
A ultrapassagem que Elliott deu em Keselowski nos boxes foi revertida na relargada. Com certa facilidade, o #2 voltou ao segundo lugar. Logo atrás, mais ultrapassagens: Newman e Larson, juntos, ultrapassaram Logano e Truex para levar as últimas duas vagas do top-5.
 
Assim como no primeiro segmento, os pits em bandeira verde começaram cedo. O primeiro nos boxes foi Keselowski, após meras 20 voltas em bandeira verde. Cinco giros depois foi a vez do companheiro Logano. Tirando proveito de pneus mais novos, a dupla poderia muito bem ameaçaram Harvick.
 
Deu certo, pelo menos para Keselowski: quando o ciclo de pits se encerrou, o #2 virou líder com folga, quase 10s de vantagem para Harvick. Elliott, Newman e Truex completavam o top-5. Enquanto isso, Johnson recebia um drive-through por excesso de velocidade nos boxes e virava retardatário.
 
Mais atrás, quem fazia uma bela corrida era Erik Jones. O novato do carro #77, que começou o segmento em 14º, se recuperava com certa facilidade. Faltando 18 voltas para o final do segmento, Jones já estava em oitavo.
 
Enquanto isso, Keselowski dava sequência a sua estratégia adversa. Depois de perder a liderança para Harvick – previsível, considerando que Kevin tinha pneus novos –, Brad foi aos boxes pela segunda vez no segmento e voltou na rabeira da volta do líder, em 13º.
 
Agora com pneus melhores, o #2 tinha tudo para ganhar terreno. Mas claramente não suficiente para voltar a desafiar Harvick, que tinha 6s de vantagem para Elliott com 3 voltas para o fim do segmento.
 
Logo atrás, um pouco de emoção. Newman, em terceiro, fazia de tudo para segurar Truex e Larson. Era importante para ganhar pontos de bonificação, e o #31 se defendia bem.
Kevin Harvick foi dominante em Atlanta, mas vacilou no fim (Foto: Nascar Media)
Com pouco tempo restando, nenhuma das primeiras posições se alterou. Harvick venceu o segundo segmento e levou mais 10 pontos de bonificação. Elliott, Newman, Truex, Larson fecharam o top-5. Austin Dillon, Keselowski, Jones, Bowyer e Bayne também ganharam pontos extras.
 
Enquanto uns brilhavam, outros recolhiam para a garagem: Hamlin, com problemas mecânicos crônicos, recolheu para a garagem. A Joe Gibbs tentaria reparos, mas o dia do #11 já estava na lata de lixo.

Terceiro segmento
 
Assim como da outra vez, a bandeira amarela permitiu um importante ciclo de pits. Destaque para Keselowski, que saltou de sétimo para quarto nos pit-lane.
 
Na relargada ninguém chegou perto de fazer algo contra Harvick. Elliott, Newman e Keselowski o acompanhavam, nesta ordem. A ação de verdade estava atrás: largando fora do top-10, McMurray fazia um excelente trabalho e subia para quinto. 
 
Acontece que o ímpeto de McMurray não durou muito tempo. Mais alguns giros e Jamie perdeu não só contato com Keselowski como também o quinto lugar para o companheiro Larson.
 
O líder era o mesmo de sempre, mas o terceiro segmento parecia ter outra dinâmica. Elliott era capaz de acompanhar Harvick, sustentando a diferença de 1s que existia entre os dois. Promissor para aqueles que queriam briga pela liderança.
 
Depois de apenas dez voltas em bandeira verde, outro ciclo de pits começou. E, muito mais do que novidades nas estratégias, tivemos punições: Elliott, Truex e Johnson excederam o limite de velocidade e receberam um drive-through. Assim, o top-5 mudou radicalmente: Harvick, Larson, Bowyer, Keselowski e Newman.
 
Faltando 85 voltas para o fim, a primeira bandeira amarela do dia, excluindo as programadas. A Nascar encontrou detritos na reta oposta, o que juntaria o pelotão novamente. Truex, uma volta atrás por conta do drive-through, levou o Lucky Dog.
 
Todos foram aos boxes – não era o último pit do dia, mas era um momento fundamental. Harvick e Larson seguiam em primeiro e segundo, enquanto Keselowski subia para terceiro. O #2 poderia ser uma verdadeira ameaça na relargada.
Kyle Larson não conseguiu se sustentar em primeiro (Foto: Nascar Media)
Qualquer chance que Keselowski tinha foi afetada por uma relargada aguerrida de Larson. O #42 segurou o #2, permitindo que Harvick abrisse alguma vantagem.
 
Três voltas depois, faltando 75 para o fim, Keselowski deixou Larson para trás em definitivo. Agora o piloto da Penske tinha chances – pequenas – de fazer algo contra Harvick.
 
Faltavam 60 voltas para o fim, outra bandeira amarela: o motor de Gray Gaulding tinha explodido, soltando óleo na entrada dos boxes. Todos foram aos boxes, o que trouxe uma mudança importante: a equipe de Keselowski acertou em cheio, roubando a liderança das mãos de Harvick. Pelo menos era o que parecia: pouco depois, a Penske descobriu que não apertou todas as porcas do carro, forçando o #2 a parar novamente e cair para o último lugar na volta do líder.

A relargada foi intensa. Dillon, segundo colocado, largou muito mal e comprometeu toda a fileira externa de carros. Isso permitiu que Larson retomasse o segundo lugar, ainda atrás de Harvick. Elliott, Newman e Kurt Busch fechavam o top-5 com 52 voltas para o fim. Todos se tocaram de leve, mas ninguém foi para o muro.
 
Outra bandeira amarela foi necessária com 46 voltas para o fim. Bowyer sofreu um furo de pneu e bateu com certa força no muro. Todos foram aos boxes para aquela que poderia ser a última parada do dia.
Chase Elliott voltou a flertar com a vitória (Foto: Reprodução/Twitter)
Harvick manteve a liderança nos boxes, mas agora com Elliott em segundo. Enquanto isso, Newman recebia um drive-through por conta de infrações da equipe.

Estando em segundo, Elliott era o adversário da vez contra Harvick. E o #24 fez um bom trabalho: largando por fora, Chase conseguiu seguir perto de Kevin. Mas não por muito tempo: faltando 33 voltas para o fim, o #4 já tinha 1s2 de vantagem. E esse número só crescia. Keselowski, Larson e Kurt Busch completavam o top-5.
 
Quando a corrida realmente parecia na mão de Harvick, mais uma bandeira amarela foi acionada. Austion Dillon teve problemas mecânicos, ficou parado na pista e trouxe uma amarela com 15 voltas para o fim. Todos voltaram aos boxes, de onde Harvick saiu ainda em primeiro. Mas...
 
Harvick cometeu uma infração. Assim como vários outros ao longo da prova, o #4 excedeu o limite de velocidade e precisou pagar um drive-through. A liderança caiu no colo de Larson, e a relargada seria dada com apenas 10 voltas para o fim. Kenseth, em uma excelente prova de recuperação, partiria do segundo posto.
 
Kenseth poderia ser uma ameaça à liderança de Larson, mas esse papel coube a outro piloto. Keselowski veio do terceiro lugar e, com frieza, arquitetou uma ultrapassagem certeira sobre o #42. Depois de tomar a liderança, com cinco voltas para o fim, Brad manteve a distância necessária para vencer a segunda em 2017.

Nascar 2017, Atlanta, corrida, final:

1 2 BRAD KESELOWSKI EUA PENSKE FORD 325 voltas  
2 42 KYLE LARSON EUA GANASSI CHEVROLET +0.565  
3 20 MATT KENSETH EUA JOE GIBBS TOYOTA +1.465  
4 5 KASEY KAHNE EUA HENDRICK CHEVROLET +1.939  
5 24 CHASE ELLIOTT EUA HENDRICK CHEVROLET +2.223  
6 22 JOEY LOGANO EUA PENSKE FORD +2.400  
7 41 KURT BUSCH EUA STEWART-HAAS FORD +3.819  
8 78 MARTIN TRUEX JR. EUA FURNITURE ROW TOYOTA +4.142  
9 4 KEVIN HARVICK EUA STEWART-HAAS FORD +4.900  
10 1 JAMIE McMURRAY EUA GANASSI CHEVROLET +6.397  
11 14 CLINT BOWYER EUA STEWART-HAAS FORD +7.611  
12 6 TREVOR BAYNE EUA ROUSH FENWAY FORD +8.426  
13 17 RICKY STENHOUSE JR. EUA ROUSH FENWAY FORD +8.929  
14 77 ERIK JONES EUA FURNITURE ROW TOYOTA +9.211  
15 13 TY DILLON EUA GERMAIN CHEVROLET +23.765  
16 18 KYLE BUSCH EUA JOE GIBBS TOYOTA +24.109  
17 10 DANICA PATRICK EUA STEWART-HAAS FORD +24.459  
18 21 RYAN BLANEY EUA WOOD BROTHERS FORD +1 volta  
19 48 JIMMIE JOHNSON EUA HENDRICK CHEVROLET +1 volta  
20 72 COLE WHITT EUA TRISTAR FORD +1 volta  
21 19 DANIEL SUÁREZ MEX JOE GIBBS TOYOTA +2 voltas  
22 34 LANDON CASSILL EUA FRONT ROW FORD +2 voltas  
23 38 DAVID RAGAN EUA FRONT ROW FORD +2 voltas  
24 37 CHRIS BUESCHER EUA JTG DAUGHERTY CHEVROLET +2 voltas  
25 27 PAUL MENARD EUA RICHARD CHILDRESS CHEVROLET +3 voltas  
26 47 AJ ALLMENDINGER EUA JTG DAUGHERTY CHEVROLET +3 voltas  
27 43 ARIC ALMIROLA EUA RICHARD PETTY FORD +4 voltas  
28 32 MATT DIBENEDETTO EUA GO F A S FORD +4 voltas  
29 95 MICHAEL McDOWELL EUA LEAVINE CHEVROLET +5 voltas  
30 88 DALE EARNHARDT JR. EUA HENDRICK CHEVROLET +5 voltas  
31 15 REED SORENSON EUA PREMIUM TOYOTA +5 voltas  
32 3 AUSTIN DILLON EUA RICHARD CHILDRESS CHEVROLET +6 voltas  
33 33 JEFFREY EARNHARDT EUA CIRCLE SPORT CHEVROLET +8 voltas  
34 83 COREY LAJOIE EUA BK TOYOTA +12 voltas  
35 31 RYAN NEWMAN EUA RICHARD CHILDRESS CHEVROLET +16 voltas NC
36 55 DERRIKE COPE EUA PREMIUM TOYOTA +27 voltas NC
37 23 GRAY GAULDING EUA BK TOYOTA +72 voltas NC
38 11 DENNY HAMLIN EUA JOE GIBBS TOYOTA +143 voltas NC
39 51 CODY WARE EUA RICK WARE RACING CHEVROLET +251 voltas NC

PADDOCK GP #67 RECEBE OZZ NEGRI E DEBATE TESTES DA F1 EM BARCELONA



Últimas Notícias
sexta-feira, 22 de setembro de 2017
F1
MotoGP
MotoGP
F1
Stock Car
F1
MotoGP
Endurance
F1
MotoGP
F1
MotoGP
F1
MotoGP
F1
Galerias de Imagens
Facebook