Nascar
26/02/2017 20:36

Kurt Busch deixa ‘quase’ no passado, evita pane seca e vence 500 Milhas de Daytona pela primeira vez

Foi só na 17ª tentativa que Kurt Busch venceu as 500 Milhas de Daytona. O piloto do #41 viu seu adversários caírem aos poucos, consequência de pane seca, e preencheu a maior lacuna que ainda tinha no currículo
Warm Up
VITOR FAZIO, de Porto Alegre
 
Kurt Busch, campeão da Nascar em 2004, tinha uma grande lacuna no currículo: a vitória nas 500 Milhas de Daytona nunca tinha vindo. Neste domingo (26), tudo se resolveu: depois de 17 tentativas, o veterano levou o #41 ao Victory Lane mais cobiçado da categoria.
 
Tudo se resolveu na última volta: Kyle Larson abriu o último giro em primeiro, mas foi vítima de pane seca metros antes do final – problema que já havia acometido Martin Truex Jr. e Chase Elliott. Como se tivesse um turbo no carro, Kurt abriu enorme vantagem sobre Ryan Blaney e venceu sem mais ser ameaçado.
 
AJ Allmendinger conseguiu um excelente terceiro lugar, apesar do retrospecto apagado em superspeedways. Aric Almirola e Paul Menard completaram um top-5 inusitado.

Antes da vitória deste domingo, Kurt foi segundo colocado em três anos, 2003, 2005 e 2008. Aos 38 anos, Busch parecia destinado a enfrentar o mesmo fardo do chefe Tony Stewart – o ex-piloto da Nascar levou três títulos, mas nunca triunfou em Daytona.
Kurt Busch venceu em Daytona (Foto: Nascar Media)
A corrida foi repleta de acidentes. Por conta do novo regulamento da Nascar, que não permite reparos que tomem mais do que cinco minutos, diversos pilotos abandonaram. Kyle Busch, Matt Kenseth, Dale Jr., Jimmie Johnson e Brad Keselowski foram apenas alguns dos que não viram a bandeira quadriculada. Na verdade, só 25 dos 40 pilotos tiveram tal honra.

Com o resultado, Kurt Busch já está classificado para os playoffs da Nascar, deixando 15 vagas em aberto. De brinde, leva 5 pontos de bonificação para o 'mata-mata' do campeonato. Kyle Busch venceu o primeiro segmento, enquanto Kevin Harvick levou o segundo. Cada um leva 1 ponto de brinde.
Kurt Busch, vencedor em Daytona (Foto: Reprodução/Twitter)
Saiba como foram as 500 Milhas de Daytona
 
Primeiro segmento

A prova mais importante do calendário da Nascar começou precisamente às 16h41 (de Brasília). Chase Elliott, pole, partiu bem e segurou a liderança, ainda com Dale Earnhardt Jr. em segundo. Denny Hamlin, Jamie McMurray e Clint Bowyer também vinham por perto.
 
Enquanto as linhas de carro ainda se acertavam, Dale Jr. cometeu um erro. O #88 se viu no meio das duas fileiras e, sem vácuo de ninguém, despencou de segundo para 11º. Bowyer subiu para segundo, tendo McMurray por perto.
 
Na sétima volta, a primeira ultrapassagem pela liderança. McMurray, comandando a linha interna, ganhou força e superou Elliott, que claramente estava perdendo terreno. Kevin Harvick e Brad Keselowski vinham logo atrás do #1 de Jamie.
 
Pouco depois, Logano se viu com uma bomba no colo. O piloto do #22 fez uma parada não programada ao perceber que estava perdendo pressão em um pneu. A manobra emergencial colocou Joey praticamente uma volta atrás – McMurray colou no piloto da Penske, mas não ultrapassou.
Chase Elliott sofreu pane seca e ficou para trás (Foto: Nascar Media)

Sem querer, Logano acabou adiantando o ciclo de pits em bandeira verde. Duas voltas depois, Erik Jones e Daniel Suárez também pararam. Jones realmente ficou uma volta atrás, enquanto Suárez teve problemas e precisou fazer um segundo pit. Os rookies estavam com um problema sério. Mais um pouco e Denny Hamlin, Kyle Busch, Martin Truex Jr. e Matt Kenseth – todos Toyotas – também pararam, mas se sustentaram na volta do líder com folga.
 
Na dianteira, Logano só causava problemas. O #22 fez McMurray perder a liderança para Harvick, que fazia de tudo para deixar Joey como retardatário.
 
A primeira bandeira amarela veio na volta 26. Corey LaJoie estava indo aos boxes quando percebeu que estava muito rápido. Para não acertar a traseira do Bowyer, guinou para a direita e acertou o muro. Assim, todo o resto do pelotão visitou o pit-lane para encher o tanque a trocar pneus. 
 
Na relargada, Harvick seguiu líder. Kyle Busch, Hamlin, Truex e Blaney eram os demais pilotos do top-5. Não demorou muito e o ataque começou: Kyle Busch veio por fora e passou Kevin. Em seguida, Truex surgiu e passou os dois, virando líder na volta 43.
 
Mas a liderança voltou a não durar. Blaney aplicou a mesma manobra contra Truex, que caiu um pouco. Agora Ryan estava lado a lado com Kyle Busch, em uma disputava que se arrastava sem líder claro.
 
Mais atrás, as coisas estavam quentes. David Ragan, ao tentar uma ultrapassagem por fora, perdeu a traseira e bateu na lateral de Ricky Stenhouse Jr., que fez o mesmo com Paul Menard. Ninguém rodou, evitando uma bandeira amarela, mas Ragan precisou ir aos boxes e ficar para trás. Stenhouse enfrentou o mesmo destino na sequência.
 
Na frente, Kyle Busch virou líder com alguma folga. Blaney caiu para terceiro e Harvick virou a maior ameaça do #18. O #4 até ensaiou algo na volta 60, última do primeiro segmento, mas não concretizou uma ultrapassagem. Kyle venceu o segmento e ganhou 10 pontos de bonificação.
O acidente que tirou Dale Jr, Kyle Busch e Kenseth da prova (Foto: Reprodução/TV)
Segundo segmento

Com a amarela que acompanhou o final do segmento, todos foram aos boxes. Larson, trocando dois pneus, pintou na liderança. Harvick saltou para segundo – e tomou a ponta duas voltas após a relargada.
 
Conforme a linha interna de Larson perdia força, Blaney se consolidava como novo segundo colocado. Johnson, Logano e McDowell fechavam o top-5.
 
Assim como foi visto no primeiro segmento, os carros da Toyota foram juntos ao box. Kyle Busch, Jones e Hamlin caíram para a rabeira do grid e voltaram a correr o risco de perder uma volta. Denny de fato foi superado e passou a acompanhar Kenseth, Truex e Suárez na turma de retardatários.
 
Mais algumas voltas e os pilotos seguiam parando, ao poucos. Em grupos, todos cumpriam sua obrigação.
 
Na volta 106, a corrida ganhou outra cara. Kyle Busch, ainda se sustentando na rabeira da volta do líder, sofreu um furo de pneu e rodou. Jones e Kenseth, que vinham atrás, acertaram o #18 com força. Fim de prova para os três, que não conseguiriam fazer os reparos necessários em menos de cinco minutos – nova regra da Nascar. Dale Jr. não conseguiu desviar da bagunça e acabou com sérios danos no carro, mas foi capaz de seguir na corrida.

Depois de longa paralisação sob bandeira vermelha, necessária para limpar a pista, a bandeira amarela regressou com 12 voltas para o fim do segundo segmento. Dale Jr. levou o carro à garagem, abandonando em definitivo.
Kevin Harvick sofreu acidente e ficou para trás (Foto: Nascar Media)

Conforme os últimos pilotos iam aos boxes, Harvick virou líder. Agora restavam apenas nove voltas e todos tinham combustível para ir até o fim. O #4 se sustentou em primeiro na relargada, mas agora com Logano, Danica e Kurt Busch pouco atrás. Era uma oportunidade única para a Ford, que comandava a prova.
 
Com carros da mesma marca brigando pelo mesmo terreno, a cautela era clara. Foi só na última volta do segmento que Logano tentou algo – e era tarde demais. Harvick se sustentou em primeiro por pouco e levou seus 10 pontos de bonificação.

Terceiro segmento

O segmento decisivo começava com estratégias diferenciadas. Larson não parou e voltou a ser líder, agora com Elliott e Johnson logo atrás – outros dois que não pararam. O #42 perdeu a liderança já nos primeiros metros, consequência de um ataque do #24. Kahne pintou em segundo, com Johnson em terceiro.
 
O problema é que mais um acidente aconteceu em seguida. Johnson foi tocado por McMurray, rodou e virou um alvo para todo o resto do grid. Hamlin, Harvick, Danica, Buescher, Bowyer e Kennington sofreram danos sérios, dando adeus a qualquer chance de vitória. Bandeira amarela, claro.
 
Elliott se confirmou como líder na relargada, com McMurray, Keselowski e Kahne pouco atrás. Eram três fileiras de carros e muita agitação, mesmo com 66 voltas de prova pela frente.
 
E é óbvio que essa agressividade toda ia dar errado. Sadler, que tentava ir aos boxes para uma parada emergencial, acabou acertando Stenhouse e Bayne. O trio ficou com danos sérios e definitivamente perderia voltas para fazer reparos. Mas havia tempo para isso, já que mais uma bandeira amarela foi acionada.
O acidente de Jimmie Johnson (Foto: Reprodução/TV)
A relargada veio um pouco depois, mas se tratou de outra tentativa frustrada de seguir em bandeira verde. Dessa vez quem bateu foi McMurray e Elliott, em um acidente que também afetou Newman e Suárez. Chase escapou relativamente ileso, mas teria de relargar da rabeira do grid.
 
Quando a bandeira verde foi agitada, uma disputa entre Logano e Austin Dillon pela liderança se formou. Quer dizer, se formava: a enésima amarela do dia foi acionada quando Joey Gase rodou e acertou Brendan Gaughan. Os ponteiros aproveitaram para ir aos boxes, de onde Aric Almirola saiu em primeiro (!!!) com Cole Whitt em segundo (!!!!!).
 
Almirola segurou a liderança, enquanto Larson tratava de despachar Whitt. Logano seguia por perto e parecia ser uma grande ameaça. Ainda restavam 45 voltas para o fim da corrida.
 
Almirola errou pouco depois e perdeu diversas posições. Larson virou líder, com Blaney e Elliott o seguindo de perto. Truex e Logano eram os últimos pilotos do top-5.
 
Kurt Busch, até então apagado, também virou um candidato. Uma bela manobra por fora jogou o #41 para segundo com 40 giros para o fim. Em seguida, Logano também começou a botar as mangas para fora. Tudo estava em aberto.
 
Logano ultrapassou Larson com 32 voltas para o fim. Elliott e Truex subiram para segundo e terceiro, enquanto o #42 ficava em quinto. Não demorou para que Chase encaixasse uma bela manobra para assumir a liderança novamente.

Restavam 15 voltas para o fim e as coisas voltavam a se acalmar. Os líderes ficaram em fila única, o que diminui os riscos de acidente. Elliott, Truex, Kurt Busch, Larson e Kahne formavam o top-5.
 
Foi só com dez giros para o fim que uma segunda fila, encabeçada por Blaney, começou a se formar. Além da questão de evitar acidentes, os pilotos também começava a se preocupar com uma possível pane seca.
 
O mundo de Chase Elliott caiu com três voltas para o fim. O piloto do #24 sofreu uma pane seca e começou a ficar para trás. Mais um pouco e o mesmo ocorreu com Truex.
 
Larson virou líder. Até sofrer pane seca na última volta – a vitória nas 500 Milhas de Daytona pertencia a Kurt Busch.

Nascar 2017, Daytona, corrida, final:

1 41 KURT BUSCH EUA STEWART-HAAS FORD 200 voltas  
2 21 RYAN BLANEY EUA WOOD BROTHERS FORD +0.228  
3 47 AJ ALLMENDINGER EUA JTG DAUGHERTY CHEVROLET +0.419  
4 43 ARIC ALMIROLA EUA RICHARD PETTY FORD +1.195  
5 27 PAUL MENARD EUA RICHARD CHILDRESS CHEVROLET +1.564  
6 22 JOEY LOGANO EUA PENSKE FORD +2.196  
7 5 KASEY KAHNE EUA HENDRICK CHEVROLET +2.288  
8 15 MICHAEL WALTRIP EUA PREMIUM TOYOTA +8.827  
9 32 MATT DIBENEDETTO EUA GO F A S FORD +9.452  
10 6 TREVOR BAYNE EUA ROUSH FENWAY FORD +9.582  
11 75 BRENDAN GAUGHAN EUA BEARD CHEVROLET +9.670  
12 42 KYLE LARSON EUA GANASSI CHEVROLET +11.268  
13 78 MARTIN TRUEX JR. EUA FURNITURE ROW TOYOTA +21.738  
14 24 CHASE ELLIOTT EUA HENDRICK CHEVROLET +37.854  
15 95 MICHAEL McDOWELL EUA LEAVINE CHEVROLET +1 volta  
16 34 LANDON CASSILL EUA FRONT ROW FORD +1 volta  
17 11 DENNY HAMLIN EUA JOE GIBBS TOYOTA +1 volta  
18 72 COLE WHITT EUA TRISTAR FORD +1 volta  
19 3 AUSTIN DILLON EUA RICHARD CHILDRESS CHEVROLET +1 volta  
20 7 ELLIOTT SADLER EUA TOMMY BALDWIN CHEVROLET +1 volta  
21 31 RYAN NEWMAN EUA RICHARD CHILDRESS CHEVROLET +2 voltas  
22 4 KEVIN HARVICK EUA STEWART-HAAS FORD +3 voltas  
23 23 JOEY GASE EUA BK TOYOTA +4 voltas  
24 83 COREY LAJOIE EUA BK TOYOTA +7 voltas  
25 38 DAVID RAGAN EUA FRONT ROW FORD +12 voltas  
26 33 JEFFREY EARNHARDT EUA CIRCLE SPORT CHEVROLET +55 voltas NC
27 2 BRAD KESELOWSKI EUA PENSKE FORD +57 voltas NC
28 1 JAMIE McMURRAY EUA GANASSI CHEVROLET +59 voltas NC
29 19 DANIEL SUÁREZ MEX JOE GIBBS TOYOTA +59 voltas NC
30 13 TY DILLON EUA GERMAIN CHEVROLET +60 voltas NC
31 17 RICKY STENHOUSE JR. EUA ROUSH FENWAY FORD +67 voltas NC
32 14 CLINT BOWYER EUA STEWART-HAAS FORD +72 voltas NC
33 10 DANICA PATRICK EUA STEWART-HAAS FORD +72 voltas NC
34 48 JIMMIE JOHNSON EUA HENDRICK CHEVROLET +73 voltas NC
35 37 CHRIS BUESCHER EUA JTG DAUGHERTY CHEVROLET +73 voltas NC
36 96 DJ KENNINGTON CAN GAUNT BROTHERS TOYOTA +73 voltas NC
37 88 DALE EARNHARDT JR. EUA HENDRICK CHEVROLET +94 voltas NC
38 18 KYLE BUSCH EUA JOE GIBBS TOYOTA +97 voltas NC
39 77 ERIK JONES EUA FURNITURE ROW TOYOTA +97 voltas NC
40 20 MATT KENSETH EUA JOE GIBBS TOYOTA +97 voltas NC

Últimas Notícias
terça-feira, 23 de maio de 2017
F1
F1
F1
MotoGP
F1
Indy
Indy
F1
F1
F2
Superbike
F1
Superbike
F1
F-E
Galerias de Imagens
Facebook