Nascar
23/10/2016 19:41

Logano tira proveito de fim de prova comportado em Talladega, vence e garante classificação no Chase

Em um dia sem caos em Talladega, Joey Logano conseguiu sustentar a liderança quando mais precisava. A vitória é crucial para um piloto que corria sérios riscos de ser eliminado do Chase. Martin Truex Jr. e Brad Keselowski estouraram o motor e deram adeus
Warm Up
VITOR FAZIO, de Porto Alegre
Quem diria? O fim de prova em Talladega neste domingo (23) foi comportado. Poucos pilotos se arriscaram nas últimas voltas, dando uma colher de chá para Joey Logano: sem contratempos, o #22 segurou a liderança com facilidade, conseguiu a segunda vitória da temporada e avanço para a terceira fase do Chase.
 
As bandeiras amarelas até vieram, mas o big-one não se confirmou. Assim, sem grandes viradas de jogo, Logano só precisou fazer boas relargadas para se sustentar.

O segundo colocado foi uma bela surpresa: Brian Scott conseguiu o melhor resultado da carreira, até sonhando com a vitória nos metros finais. Denny Hamlin pintou em terceiro, enquanto Kurt Busch e Ricky Stenhouse Jr. completavam o top-5.
Joey Logano (Foto: Nascar Media)
Foi uma prova terrível para dois chasers: Martin Truex Jr. e Brad Keselowski explodiram seus motores e deram adeus ao campeonato de forma inesperada – eram dois dos melhores pilotos da temporada e francos favoritos ao título. Austin Dillon e Chase Elliott também deram adeus. Dillon, aliás, com requintes de crueldade: o #3 empatou em pontos com Hamlin, mas perdeu nos critérios de desempate.

A prova também foi marcada por um comportamente questionável da Joe Gibbs: seus três pilotos em condição mais tranquila no Chase – Kyle Busch, Matt Kenseth e Carl Edwards – passaram a prova inteira andando no fim da volta do líder. Assim, asseguraram posições dentro do top-30. Era suficiente para avançar no Chase, mas não pegou bem para a equipe.

A próxima etapa vai ser disputada em Martinsville. Trata-se da primeira corrida da terceira fase do Chase, que vai diminuir o número de candidatos de oito para quatro.

Saiba como foi a etapa de Talladega da Nascar
 
O sol brilhava em Talladega. Arquibancadas lotadas, clima agradável e uma corrida crucial pela frente em um circuito histórico. A Nascar não fica muito melhor do que isso.
 
A largada foi dada exatamente às 16h22 (de Brasília). Martin Truex Jr. sustentou a liderança na largada, ainda com Brad Keselowski em segundo. Já na primeira volta três fileiras de carro começavam a se formam, tornando tudo imprevisível.
 
Na segunda volta, Keselowski subiu para a liderança. Truex, Kurt Busch, Chase Elliott e Denny Hamlin fechavam o top-5, em uma ordem que mudava a cada instante. No fundão do grid, três carros da Joe Gibbs: Carl Edwards, Kyle Busch e Matt Kenseth andavam sozinhos para evitar acidentes.
 
Keselowski não era atacado. A liderança era sólida, com o #2 freando a reação de qualquer oponente. Logo atrás, Elliott conseguiu se estabelecer em segundo. E essas eram as duas únicas posições sólidas até aqui.
 
Claro, isso não durou por muito tempo. Truex conseguiu ir para cima em seguida, tomando a liderança. Duas voltas depois, Keselowski e Elliott recuperaram as duas primeiras posições.
Brian Scott conseguiu o melhor resultado da carreira: segundo lugar (Foto: Nascar Media)

Foram necessárias mais dez voltas para a liderança trocar de mãos. Elliott veio e passou Keselowski por fora. O #2, não querendo ficar preso atrás de ninguém, reagiu e deu início a uma briga acirrada: Chase e Brad vieram andando lado a lado por um bom número de voltas. Depois de um bom tempo, o #24 se consolidou como líder definitivo.
 
Keselowski se acalmou, ficando em segundo. Isso até dar o bote e, tirando proveito de um breve momento de instabilidade de Elliott, recuperar a ponta com Ricky Stenhouse Jr. em segundo.
 
Alguns pilotos foram aos boxes já na volta 37, dez voltas antes do planejado. O grupo, com aproximadamente 15 pilotos, contava com Stenhouse e Truex. Mais uma volta e o resto dos pilotou veio. No processo, AJ Allmendinger e Denny Hamlin receberam um drive-through por excesso de velocidade nos boxes.
 
Na saída dos boxes, Logano se viu com um problema seríssimo: o macaco ficou preso na traseira do carro, causando uma punição e exigindo um pit extra. O #22 se viu uma volta atrás do líder.
 
Quando tudo se normalizou, Stenhouse virou líder, com Keselowski e Elliott logo atrás.
 
Logo o caos voltou a se fazer presente: o motor de Truex foi para o brejo na volta 41, soltando fumaça e com princípio de incêndio. Salvo uma série de infelicidades de outros pilotos do Chase, o campeonato do #78 estava acabado. A bandeira amarela permitiu que Logano recuperasse a volta do líder, por conta do Lucky Dog.
 
Stenhouse perdeu a liderança para Keselowski na relargada, sendo ultrapassado também por Elliott e Ryan Blaney. Kurt Busch e Stenhouse também vinham por perto.
 
Mais algumas voltas e o grupo de ponteiros começava a mudar. Greg Biffle subiu para segundo, com Jamie McMurray em terceiro. Elliott e Kurt Busch fechavam o top-5.
 
Biffle, comandando a linha de baixo, veio e tomou a liderança em definitivo, com Elliott em segundo. Keselowski se viu sem apoio, perdendo terreno e saindo até do top-5.
 
Com 75 voltas completas, o top-5 estava andando em apenas uma linha, sem trocar posições. Biffle, Elliott, Kurt Busch, Stenhouse e Keselowski formavam o top-5.
Martin Truex Jr deu adeus ao campeonato (Foto: Nascar Media)

Em uma manobra corajosa, Keselowski resolveu formar uma linha nova de carros. Elliott o acompanhou, trazendo outros pilotos. Nesta função, o #2 recuperou a liderança com alguma facilidade. Claramente era o melhor carro do grid.
 
Na volta 80, o início do segundo ciclo de pits. Nenhum incidente desta vez, mas o top-5 voltou a mudar de cara: Keselowski, Blaney, Kurt Busch, Hamlin e Kyle Larson.

A partir daí, as coisas começaram a se acalmar. Só 30 voltas depois que uma nova troca de liderança aconteceu, com Blaney assumindo o primeiro lugar.
 
Nas 116, a segunda bandeira amarela do dia. Biffle, Jeffrey Earnhardt e Casey Mears se enroscaram, com todos indo para o muro com alguma força. Era a deixa para todos irem aos boxes.
 
Nos pits, as coisas mudaram um bocado. Hamlin saltou para primeiro, enquanto Larson trocava apenas dois pneus para pintar em segundo. McMurray, companheiro do #42, fez o mesmo e pintou em terceiro. Blaney e Logano fechavam o top-5, enquanto Keselowski era apenas o sexto.
 
Hamlin sustentou a liderança na relargada, crucial para alguém que precisa de um bom resultado para avançar no Chase. Não durou muito: Keselowski veio e roubou a primeira posição, enquanto Denny despencava.
 
Tão logo Keselowski pintou em primeiro, os carros com material da Penske vieram junto. Ryan Blaney – com motor da Penske – era segundo, enquanto Logano surgia em terceiro. Conforme os ponteiros se conformavam com a ideia de andar em fila indiana, Harvick e Bowman surgiam para fechar o top-5.
 
As coisas estavam calmas novamente, mas isso não devia durar muito. Austin Dillon e Hamlin estavam abaixo da linha de corte, respectivamente por 1 e 3 pontos. Agressividade seria necessário para reverter isso.
 
E, de fato, as coisas começaram a mudar: Blaney assumiu a liderança, conforme Keselowski começava a reclamar de superaquecimento do carro. Duas voltas depois, seu mundo caiu: o motor tinha explodido, soltando fogo e fumaça. Assim como Truex, fim de linha.
 
A bandeira amarela foi necessária, sendo acionada na volta 145. Nos boxes, Logano assumiu a liderança, sendo beneficiado por uma parada ruim de Blaney, agora quarto.
 
A relargada foi dada com 39 voltas para o fim, e Logano segurou a liderança. Mas isso pouco importou: a bandeira amarela foi necessária, consequência de um grande detrito na pista.
 
A relargada veio com 36 voltas para o fim. Logano disparou na liderança, enquanto Harvick e Blaney brigavam pelo segundo lugar. Elliott, relargando em décimo e precisando de uma vitória para seguir sonhando com o título, tentava ganhar terreno a qualquer custo.
 
O meio do pelotão ficava muito confuso, permitindo que os cinco primeiros escapassem. Logano, Harvick, Bowman, Scott e Kurt Busch eram os privilegiados.
 
Chase Elliott, mais atrás, tentava criar uma linha alternativa ou qualquer outro jeito de crescer na corrida. Mas não adiantava: o #24 seguia entalado em 11º.

Só com dez voltas para o fim começou uma verdadeira tentativa de formar uma segunda linha para combater Logano. 
 
Mas a linha não era forte suficiente para ameaçar Logano. Só uma bandeira amarela parecia capaz de ameaçar o #22. E ela veio: com sete voltas para o fim, um pneu de Kasey Kahne furou, resultando em um acidente com Jamie McMurray.

A relargada foi dada com três voltas para o fim. Harvick veio por dentro, conseguindo desafiar Logano. Não deu: o #4 caiu para quarto, quando a bandeira amarela foi necessária novamente – Bowman havia rodado sozinho.
 
Na relargada, a mesma história de sempre: Logano se segurou bem, evitando qualquer ataque de Scott, agora segundo. Como os ponteiros não foram capazes de organizar uma segunda linha para atacar o #22, nada de muito sério mudou, e Joey levou a vaga.

Nascar 2016, Talladega, corrida, final:
*Os pilotos com fundo verde estão no Chase
 
1 22 JOEY LOGANO EUA PENSKE FORD 192 voltas  
2 44 BRIAN SCOTT EUA RICHARD PETTY FORD +0.124  
3 11 DENNY HAMLIN EUA JOE GIBBS TOYOTA +0.258  
4 41 KURT BUSCH EUA STEWART-HAAS CHEVROLET +0.264  
5 17 RICKY STENHOUSE JR. EUA ROUSH FENWAY FORD +0.423  
6 42 KYLE LARSON EUA GANASSI CHEVROLET +0.427  
7 4 KEVIN HARVICK EUA STEWART-HAAS CHEVROLET +0.467  
8 43 ARIC ALMIROLA EUA RICHARD PETTY FORD +0.495  
9 3 AUSTIN DILLON EUA RICHARD CHILDRESS CHEVROLET +0.524  
10 47 AJ ALLMENDINGER EUA JTS DAUGHERTY CHEVROLET +0.529  
11 21 RYAN BLANEY EUA WOOD BROTHERS FORD +0.614  
12 24 CHASE ELLIOTT EUA HENDRICK CHEVROLET +0.630  
13 27 PAUL MENARD EUA RICHARD CHILDRESS CHEVROLET +0.659  
14 31 RYAN NEWMAN EUA RICHARD CHILDRESS CHEVROLET +0.682  
15 16 GREG BIFFLE EUA ROUSH FENWAY FORD +0.805  
16 95 MICHAEL McDOWELL EUA LEAVINE CHEVROLET +0.823  
17 6 TREVOR BAYNE EUA ROUSH FENWAY FORD +0.828  
18 15 CLINT BOWYER EUA H SCOTT CHEVROLET +0.837  
19 1 JAMIE McMURRAY EUA GANASSI CHEVROLET +0.897  
20 10 DANICA PATRICK EUA STEWART-HAAS CHEVROLET +0.924  
21 38 LANDON CASSILL EUA FRONT ROW FORD +0.926  
22 34 CHRIS BUESCHER EUA FRONT ROW FORD +0.986  
23 48 JIMMIE JOHNSON EUA HENDRICK CHEVROLET +1.020  
24 23 DAVID RAGAN EUA BK TOYOTA +1.033  
25 7 REGAN SMITH EUA TOMMY BALDWIN CHEVROLET +1.072  
26 99 RYAN REED EUA ROUSH FENWAY FORD +1.119  
27 93 MATT DIBENEDETTO EUA BK TOYOTA +1.331  
28 20 MATT KENSETH EUA JOE GIBBS TOYOTA +1.356  
29 19 CARL EDWARDS EUA JOE GIBBS TOYOTA +1.360  
30 18 KYLE BUSCH EUA JOE GIBBS TOYOTA +1.431  
31 32 BOBBY LABONTE EUA GO F A S FORD +1.666  
32 14 TONY STEWART EUA STEWART-HAAS CHEVROLET +2.634  
33 46 MICHAEL ANNETT EUA H SCOTT CHEVROLET +2.679  
34 83 JEFFREY EARNHARDT EUA BK TOYOTA +2.977  
35 5 KASEY KAHNE EUA HENDRICK CHEVROLET +1 volta  
36 88 ALEX BOWMAN EUA HENDRICK CHEVROLET +1 volta  
37 55 REED SORENSON EUA PREMIUM CHEVROLET +13 voltas  
38 2 BRAD KESELOWSKI EUA PENSKE FORD +48 voltas NC
39 13 CASEY MEARS EUA GERMAIN CHEVROLET +79 voltas NC
40 78 MARTIN TRUEX JR. EUA FURNITURE ROW TOYOTA +151 voltas NC

Últimas Notícias
sexta-feira, 20 de janeiro de 2017
MotoGP
F1
MotoGP
MotoGP
Rali
quinta-feira, 19 de janeiro de 2017
Rali
Rali
F-E
Outras
MotoGP
MotoGP
F1
Indy
MotoGP
MotoGP
Galerias de Imagens
Facebook