Outras
27/09/2016 07:48

BMW amplia presença no automobilismo, confirma entrada na F-E pela Andretti e anuncia volta a Le Mans em 2018

A tradicional montadora bávara, presente em vários certames do esporte a motor, desde o DTM, passando pelo Rali Dakar e também no motociclismo, vai ampliar sua participação, num programa anunciado para os próximos anos. A marca vai fazer parte da F-E trabalhando em conjunto com a Andretti e também fará parte do grid do Mundial de Endurance na classe GTE
Warm Up
Redação GP, de Sumaré

Uma das marcas mais tradicionais do esporte a motor, a BMW anunciou nesta terça-feira (27) o seu planejamento para os próximos anos no automobilismo. Apesar da saída do grid do Mundial de F1 em 2009, a marca bávara está cada vez mais sólida no esporte, e os planos revelados horas atrás mostram exatamente isso. A BMW seguirá envolvida no DTM, o Campeonato Alemão de Turismo, bem como no IMSA SportsCar, nos Estados Unidos. A participação no Dakar segue garantida por meio da Mini, e agora a marca também fará parte de duas das categorias que mais crescem no automobilismo: o Mundial de Endurance, na classe GTE, a partir de 2018; e na F-E, por meio de parceria com a equipe Andretti.
 
No Mundial de Endurance, a BMW tem o plano de entrar a partir de 2018. A montadora chegou a até cogitar desenvolver um projeto para a classe LMP1, a mais veloz do circuito, e também para a Garage 56, destinado a protótipos desenvolvidos com tecnologia inovadora. Mas optou por voltar a competir na LM GTE, marcando assim seu retorno a Le Mans, onde não corre desde 2011.
 
“Desde que foi lançado, em 2012, o campeonato vem tendo um desenvolvimento positivo, forjou novos caminhos em muitos aspectos e angariou grande número de fãs. Maiores detalhes, como o modelo de carro a ser utilizado e a equipe responsável pelo carro serão confirmados e anunciados ao longo dos próximos meses”, disse a fábrica por meio de comunicado.
A BMW vai fazer parte do grid do Mundial de Endurance a partir de 2018 (Foto: BMW)
O piloto brasileiro Augusto Farfus é uma das bandeiras da BMW, fazendo parte do rol de nomes da montadora desse o WTCC, a partir de 2007. No DTM, foi um dos responsáveis por desenvolver o modelo que levou a marca de volta à categoria, em 2012, sendo também presença constante em provas de Endurance, como as 24 Horas de Daytona, 24 Horas de Dubai e as 24 Horas de Nürburgring, por exemplo.
 
Outra grande novidade é a confirmação do envolvimento na F-E, a categoria dos carros elétricos, por meio, inicialmente, de uma parceria com a equipe norte-americana Andretti. Desta forma, a participação de um dos seus pilotos, António Félix da Costa, no projeto, acaba sendo algo natural.
 
“A cooperação com a Andretti F-E está definida inicialmente para ser executada em duas temporadas. Isso incorpora, por exemplo, a cooperação a nível técnico e a utilização mútua de recursos. Dependendo do desenvolvimento global da categoria, está previsto o envolvimento a partir da quinta temporada, 2018/2019, desde que as circunstâncias e as condições sejam as corretas. Como parte deste compromisso, a BMW Motorsport vai prover seu piloto, António Félix da Costa, como piloto para a Andretti F-E”, confirmou.
Com Félix da Costa ao volante, a BMW vai entrar na F-E em forma de cooperação técnica com a Andretti (Foto: Formula E)
“O português, que tem posição destacada no topo do pódio do DTM com a BMW e já provou o gosto da vitória na F-E, vai disputar por completo a temporada 2016/2017 da F-E. Bem como a nova parceria, a BMW vai permanecer como o ‘Veículo-Parceiro Oficial’ da F-E. Esta parceria permite à BMW apresentar seu híbrido BMW i8, o safety-car, e o totalmente elétrico BMW i3, como o carro médico, em algumas das maiores cidades do mundo”, acrescentou o time.
 
Quanto ao Dakar, a BMW segue na disputa sendo representada pela marca britânica Mini, mas com sede na Alemanha. Os trabalhos seguem sendo desenvolvidos pela equipe X-raid, chefiada por Sven Quandt, que já levou a Mini a quatro títulos do Rali Dakar. Agora, os trabalhos estão focados nos preparativos finais com o Mini John Cooper Works para a prova de 2017, que será realizada com um percurso entre Paraguai, Bolívia e Argentina.
 
Jens Marquardt, diretor-esportivo da BMW, falou sobre os planos da marca bávara para os próximos anos.
 

“É fantástico que a BMW vai ser ainda mais amplamente posicionada e representada em todas as áreas relevantes no futuro. Vamos continuar a nos basear na Europa no DTM, e estamos ansiosos para continuar essa competição extremamente parelha com as outras fábricas premium ao longo dos próximos anos. Outras plataformas internacionais relevantes vão ser incorporadas nesta nova estratégia: o comprometimento na F-E mostra que vamos forjar novos caminhos e demonstra nossa expertise no campo da mobilidade elétrica”, declarou o engenheiro.
Marquardt exaltou os novos planos da BMW para o esporte a motor nos próximos anos (Foto: BMW)
“Ao longo dos próximos anos, a cooperação com a Andretti F-E vai primeiramente focar em nos familiarizar com os procedimentos e processos, e intensificar nosso conhecimento. Nosso piloto de fábrica, António Félix da Costa, vai estar em atividade a bordo do carro. O trabalho de envolvimento é então algo concebível a partir da quinta temporada. A premissa para todas essas etapas é o desenvolvimento positivo da categoria, o que inclui aumentar a capacidade das baterias, por exemplo”, disse.
 
O dirigente também falou sobre como vai funcionar a participação da BMW no Mundial de Endurance. “Começando a partir de 2018, nós queremos expandir ainda mais nossas atividades nas corridas de GT e competir no Mundial de Endurance, bem como no IMSA SportsCar. Isso obviamente inclui nosso retorno a Le Mans, o que nós particularmente estamos bem ansiosos.”
 
“A forma como o WEC se desenvolveu também nos deixa confiantes de que há um grande futuro para as corrias de GT. Esta também é a motivação por trás da nossa expansão no ramo das corridas. Nossa gama já é bastante representativa, na forma do BMW M6 GT3. A partir de 2018, nós também vamos ser extremamente bem representados pelo BMW M4 GT4 na classe GT4, que atualmente tem vivenciado um boom. Isso significa que vamos continuar nosso bem-sucedido programa com jovens pilotos, preparando jovens talentos no GT e em carros de turismo para grandes desafios pela frente”, explicou.
 
“Ao mesmo tempo, nós também estamos incrementando nosso apoio ao projeto da Mini no Rali Dakar no futuro. Como um todo, o projeto da BMW para o automobilismo é praticamente único em termos de abrangência e diversidade”, complementou.
PADDOCK GP #47 DISCUTE F1, FINAL DA INDY E FALA SOBRE ALEX ZANARDI


Últimas Notícias
sábado, 25 de fevereiro de 2017
F1
F1
F1
F1
F1
F1
MotoGP
F1
Nascar
F1
F1
Superbike
F1
F1
F1
Galerias de Imagens
Facebook