Outras
27/09/2016 07:48

BMW amplia presença no automobilismo, confirma entrada na F-E pela Andretti e anuncia volta a Le Mans em 2018

A tradicional montadora bávara, presente em vários certames do esporte a motor, desde o DTM, passando pelo Rali Dakar e também no motociclismo, vai ampliar sua participação, num programa anunciado para os próximos anos. A marca vai fazer parte da F-E trabalhando em conjunto com a Andretti e também fará parte do grid do Mundial de Endurance na classe GTE
Warm Up
Redação GP, de Sumaré

Uma das marcas mais tradicionais do esporte a motor, a BMW anunciou nesta terça-feira (27) o seu planejamento para os próximos anos no automobilismo. Apesar da saída do grid do Mundial de F1 em 2009, a marca bávara está cada vez mais sólida no esporte, e os planos revelados horas atrás mostram exatamente isso. A BMW seguirá envolvida no DTM, o Campeonato Alemão de Turismo, bem como no IMSA SportsCar, nos Estados Unidos. A participação no Dakar segue garantida por meio da Mini, e agora a marca também fará parte de duas das categorias que mais crescem no automobilismo: o Mundial de Endurance, na classe GTE, a partir de 2018; e na F-E, por meio de parceria com a equipe Andretti.
 
No Mundial de Endurance, a BMW tem o plano de entrar a partir de 2018. A montadora chegou a até cogitar desenvolver um projeto para a classe LMP1, a mais veloz do circuito, e também para a Garage 56, destinado a protótipos desenvolvidos com tecnologia inovadora. Mas optou por voltar a competir na LM GTE, marcando assim seu retorno a Le Mans, onde não corre desde 2011.
 
“Desde que foi lançado, em 2012, o campeonato vem tendo um desenvolvimento positivo, forjou novos caminhos em muitos aspectos e angariou grande número de fãs. Maiores detalhes, como o modelo de carro a ser utilizado e a equipe responsável pelo carro serão confirmados e anunciados ao longo dos próximos meses”, disse a fábrica por meio de comunicado.
A BMW vai fazer parte do grid do Mundial de Endurance a partir de 2018 (Foto: BMW)
O piloto brasileiro Augusto Farfus é uma das bandeiras da BMW, fazendo parte do rol de nomes da montadora desse o WTCC, a partir de 2007. No DTM, foi um dos responsáveis por desenvolver o modelo que levou a marca de volta à categoria, em 2012, sendo também presença constante em provas de Endurance, como as 24 Horas de Daytona, 24 Horas de Dubai e as 24 Horas de Nürburgring, por exemplo.
 
Outra grande novidade é a confirmação do envolvimento na F-E, a categoria dos carros elétricos, por meio, inicialmente, de uma parceria com a equipe norte-americana Andretti. Desta forma, a participação de um dos seus pilotos, António Félix da Costa, no projeto, acaba sendo algo natural.
 
“A cooperação com a Andretti F-E está definida inicialmente para ser executada em duas temporadas. Isso incorpora, por exemplo, a cooperação a nível técnico e a utilização mútua de recursos. Dependendo do desenvolvimento global da categoria, está previsto o envolvimento a partir da quinta temporada, 2018/2019, desde que as circunstâncias e as condições sejam as corretas. Como parte deste compromisso, a BMW Motorsport vai prover seu piloto, António Félix da Costa, como piloto para a Andretti F-E”, confirmou.
Com Félix da Costa ao volante, a BMW vai entrar na F-E em forma de cooperação técnica com a Andretti (Foto: Formula E)
“O português, que tem posição destacada no topo do pódio do DTM com a BMW e já provou o gosto da vitória na F-E, vai disputar por completo a temporada 2016/2017 da F-E. Bem como a nova parceria, a BMW vai permanecer como o ‘Veículo-Parceiro Oficial’ da F-E. Esta parceria permite à BMW apresentar seu híbrido BMW i8, o safety-car, e o totalmente elétrico BMW i3, como o carro médico, em algumas das maiores cidades do mundo”, acrescentou o time.
 
Quanto ao Dakar, a BMW segue na disputa sendo representada pela marca britânica Mini, mas com sede na Alemanha. Os trabalhos seguem sendo desenvolvidos pela equipe X-raid, chefiada por Sven Quandt, que já levou a Mini a quatro títulos do Rali Dakar. Agora, os trabalhos estão focados nos preparativos finais com o Mini John Cooper Works para a prova de 2017, que será realizada com um percurso entre Paraguai, Bolívia e Argentina.
 
Jens Marquardt, diretor-esportivo da BMW, falou sobre os planos da marca bávara para os próximos anos.
 

“É fantástico que a BMW vai ser ainda mais amplamente posicionada e representada em todas as áreas relevantes no futuro. Vamos continuar a nos basear na Europa no DTM, e estamos ansiosos para continuar essa competição extremamente parelha com as outras fábricas premium ao longo dos próximos anos. Outras plataformas internacionais relevantes vão ser incorporadas nesta nova estratégia: o comprometimento na F-E mostra que vamos forjar novos caminhos e demonstra nossa expertise no campo da mobilidade elétrica”, declarou o engenheiro.
Marquardt exaltou os novos planos da BMW para o esporte a motor nos próximos anos (Foto: BMW)
“Ao longo dos próximos anos, a cooperação com a Andretti F-E vai primeiramente focar em nos familiarizar com os procedimentos e processos, e intensificar nosso conhecimento. Nosso piloto de fábrica, António Félix da Costa, vai estar em atividade a bordo do carro. O trabalho de envolvimento é então algo concebível a partir da quinta temporada. A premissa para todas essas etapas é o desenvolvimento positivo da categoria, o que inclui aumentar a capacidade das baterias, por exemplo”, disse.
 
O dirigente também falou sobre como vai funcionar a participação da BMW no Mundial de Endurance. “Começando a partir de 2018, nós queremos expandir ainda mais nossas atividades nas corridas de GT e competir no Mundial de Endurance, bem como no IMSA SportsCar. Isso obviamente inclui nosso retorno a Le Mans, o que nós particularmente estamos bem ansiosos.”
 
“A forma como o WEC se desenvolveu também nos deixa confiantes de que há um grande futuro para as corrias de GT. Esta também é a motivação por trás da nossa expansão no ramo das corridas. Nossa gama já é bastante representativa, na forma do BMW M6 GT3. A partir de 2018, nós também vamos ser extremamente bem representados pelo BMW M4 GT4 na classe GT4, que atualmente tem vivenciado um boom. Isso significa que vamos continuar nosso bem-sucedido programa com jovens pilotos, preparando jovens talentos no GT e em carros de turismo para grandes desafios pela frente”, explicou.
 
“Ao mesmo tempo, nós também estamos incrementando nosso apoio ao projeto da Mini no Rali Dakar no futuro. Como um todo, o projeto da BMW para o automobilismo é praticamente único em termos de abrangência e diversidade”, complementou.
PADDOCK GP #47 DISCUTE F1, FINAL DA INDY E FALA SOBRE ALEX ZANARDI



Últimas Notícias
quarta-feira, 13 de dezembro de 2017
F1
F1
Kart
MotoGP
MotoGP
terça-feira, 12 de dezembro de 2017
F1
Stock Car
Indy
Indy
F1
MotoGP
F1
F1
MotoGP
F1
Galerias de Imagens
Facebook