Outras
20/12/2014 11:40

De olho em sair do kartismo, filho de Schumacher faz teste com carro de F4 no circuito de Valência

Mick Schumacher, de 15 anos, testou no circuito de Valência, na Espanha, um carro da F4. A princípio, ideia é mudar para os monopostos só em 2016, mas assessora do heptacampeão não deu mais detalhes
Warm Up
Redação GP, de São Paulo
Seguindo os passos do pai, Mick Schumacher vai trilhando seu caminho rumo a uma carreira profissional no automobilismo. O garoto de 15 anos fez nesta semana, em Valência, um teste com um carro de F4 no autódromo de Valência, na Espanha.

A ideia, a princípio, é seguir no kart na temporada 2015 para disputar os campeonatos europeus e o Mundial da modalidade e migrar para os monopostos em 2016. Mas Sabine Kehm, assessora do heptacampeão, não dá muitos detalhes.
Mick compete nos principais campeonatos de kart da Europa (Foto: Divulgação)
Peter Mücke, chefe de uma das mais importantes equipes das categorias de base europeias, comentou o teste realizado por Mick.

“Mick certamente tem talento, mas não dá para dizer que um bom piloto de kart vai ser rápido em um F1. Não basta apenas ter um grande nome como piloto. E, depois de um único dia de testes, não é possível fazer uma avaliação da capacidade de Mick”, disse.

Mick conquistou em 2014 o vice-campeonato do Mundial de KFJ, destinado a pilotos da categoria Júnior. No próximo ano, ele vai disputar na elite do kartismo.
MELHORES DO ANO

E assim, como num passe de mágica, 2014 passou. Foi rápido mesmo. Se Vettel decepcionou, a Mercedes dominou e o medo de acidentes fatais voltou à F1; se a Ganassi não correspondeu e Will Power fez chegar o dia que parecia inalcançável; se Márquez deu mais um passou para construir uma dinastia; se Rubens Barrichello viveu sua redenção, tudo isso é sinal das marcas de 2014 no automobilismo. Para encerrar e reforçar o que aconteceu no ano, a REVISTA WARM UP volta a eleger os melhores do ano.
RETROSPECTIVA 2014

O GRANDE PRÊMIO traz a RETROSPECTIVA 2014 e começa a mergulhar outra vez no que foi a temporada do Mundial de F1 — um ano de uma equipe só. A Mercedes e Lewis Hamilton foram os grandes destaques graças às marcas que alcançaram. A equipe se tornou a recordista de vitórias em um único campeonato graças a um acerto primoroso no desenvolvimento dos novos motores V6 turbo. O inglês se sagrou bicampeão e tornou-se o mais vencedor britânico da história da F1 e o segundo mais vitorioso dentre os pilotos em atividade — atrás só de Sebastian Vettel.
 
O INFLUENTE

A decisão de Sebastian Vettel de deixar a Red Bull "muito provavelmente" foi influenciada pelo desempenho do colega Daniel Ricciardo. A frase é de Christian Horner, o chefe da equipe austríaca. O tetracampeão viveu um ano irregular em 2014. Longe da disputa pelo título, Seb não conseguiu emplacar nenhuma vitória e terminou a temporada na quinta colocação, com 167 pontos e quatro pódios. Já Ricciardo foi o responsável pelos três triunfos do time das bebidas energéticas neste ano.


Leia a reportagem no GRANDE PRÊMIO.

Últimas Notícias
sexta-feira, 26 de maio de 2017
Indy
Nascar
Indy
MotoGP
F1
Indy
MotoGP
Indy
F2
F1
MotoGP
Superbike
MotoGP
F1
F1
Galerias de Imagens
Facebook