Rali
10/01/2017 12:07

Diretor-esportivo vê espírito do Rali Dakar redescoberto em 2017 e avalia: “Os navegadores vão decidir a vitória”

Diretor-esportivo do Rali Dakar, Marc Coma avaliou que a prova voltou ao passado com uma disputa imprevisível. Dirigente considerou que os copilotos serão decisivos em uma edição onde a navegação foi dificultada
Warm Up
Redação GP, de São Paulo
 
Diretor-esportivo do Rali Dakar, Marc Coma fez um balanço positivo da primeira semana da edição 2017. De acordo com o dirigente, os primeiros seis dias de disputa na América do Sul serviram para que o espírito da prova fosse redescoberto.
 
No primeiro rali que efetivamente leva a marca de Coma, a navegação foi dificultada, com o GPS tendo suas funções limitadas. Agora, por exemplo, o dispositivo não memoriza toda a rota, salvando apenas o último quilometro percorrido, o que dificulta em caso de erros.
Marc Coma fez um balanço positivo da primeira semana do Dakar (Foto: Marcelo Maragni/Red Bull Content Pool)

“Foi uma primeira semana muito interessante, cumprindo um pouco do que comunicado desde o início, que muita gente não acreditava”, avaliou Coma em entrevista ao diário espanhol ‘AS’. “Estou contente, pois compartilhamos com os fãs a minha maneira de entender a corrida”, observou.
 
“Em nível esportivo, com as etapas que tivemos e as novidades de navegação, redescobrimos o espírito do Dakar, que nos últimos anos tinha se apagado um pouco”, comentou. “Tivemos problemas meteorológicos, que é algo que não podemos controlar, mas avisamos desde o início que teríamos condições adversas, e está sendo assim”, sublinhou.
 
Com a oitava etapa em andamento, a disputa segue aberta. Entre as motos, a liderança é de Sam Sunderland, que tem 17min45s de vantagem para Pablo Quintanilla. Adrien Van Beveren vem na sequência, com Gerard Farres Guell, Matthias Walkner e Xavier De Soultrait completando um top-6 separado por menos de 1h.
 
Nos carros, as diferenças são ainda menores. Stéphane Peterhansel lidera com 1min57s de vantagem para Sébastien Loeb. Terceiro colocado, Nani Roma tem apenas 11min07s de atraso para o ponteiro e pouco menos de 3min de vantagem para Cyril Despres, o quarto colocado. Mikko Hirvonen fecha o top-5, 47min24s atrás do Mr. Dakar.
 
Nos quadriciclos, a disputa também é apertada, com Sergey Karyakin liderando com 5min16s de vantagem para Simon Vitse. Nos caminhões, a margem também é pequena, com Gerard De Rooy 2min11s à frente de Dmitry Sotnikov. Apenas na estreante categoria dos UTVs que o cenário é diferente. Os brasileiros Leandro Torres e Lourival Roldan sustentam 2h33min25s de vantagem para Mao Ruijin.
 
“Voltamos ao passado, onde a diferença de uma hora não significa nada”, disse Coma. “Isso é apaixonante para todos que acompanham a corrida. Por isso, não me atrevo a dizer quem pode ganhar”, seguiu.
 
“Nas motos, tem dez pilotos em uma hora, e [Joan] Barreda, que eu não descarto por nada”, lembrou, se referindo ao piloto da Honda, que está a 1h14min47s do líder. “Nos carros, ainda mais, pois há um grupo de quatro ou cinco que estão ali, mas já vimos que isso muda muito rápido a cada dia. Possivelmente, os Peugeot estão um pouquinho à frente dos outros, mas Nani com o Toyota e Hirvonen com o Mini estão na mistura. Creio que serão os navegadores que decidirão a vitória”, concluiu.


Últimas Notícias
terça-feira, 17 de outubro de 2017
F1
F1
Copa Grande Prêmio
F1
F1
F1
Seletiva BR
F1
F1
F1
F1
F1
F1
F1
F1
Galerias de Imagens
Facebook